Células de trabalho ou de manufatura

Recebi um pedido de uma leitora para analisar as células de trabalho ou de manufatura. Baseadas nos conceitos do trabalho em equipe, são realizadas por meio da formação de famílias de peças que é constituída por aquelas que possuem características e atributos similares, sejam de forma geométrica e/ou de processos de fabricação. A célula de manufatura é constituída por um agrupamento de máquinas e/ou equipamentos capazes de processar uma determinada família de peças. Suas principais vantagens:

  • Menor ciclo de fabricação;
  • Redução de setup;
  • Redução em transporte e movimentação;
  • Fluxo de fabricação simplificado;
  • Controle de produção simplificado;/
  • Redução de refugos e retrabalhos;
  • Melhoria da qualidade;
  • Menor número de operadores;
  • Menores custos.

Este tipo de processo é um dos pilares mais importantes do Lean Manufacturing, podendo ser considerado a sua alma. A manufatura baseada em células (manufatura celular) representa uma tentativa de combinar a eficiência do layout orientado a fluxo (product-flow layout) com a flexibilidade do layout orientado a processo (process layout) em sistemas de produção.

Na manufatura celular, a produção é decomposta em um conjunto de centros de trabalho ou células. Cada centro de trabalho é uma coleção de equipamentos e processos dedicados para o atendimento dos requisitos de processamento de uma família de peças (peças com requisitos de fabricação similares).

A figura abaixo mostra a estratégia de manufatura tradicional e a celular. Como resultado da utilização da organização celular, os tempos de transporte de material podem ser significativamente reduzidos. Na busca de flexibilidade e automação, a manufatura celular utiliza equipamentos como robôs, máquinas-ferramenta controladas, sistemas automáticos de inspeção e sistemas de transporte de material.

CLIQUE SOBRE A FIGURA PARA MELHOR VISUALIZAÇÃO

No chão de fábrica, algumas funções básicas devem ser realizadas para que o seu objetivo principal seja atingido, ou seja, a transformação de matéria prima em produto final. Estas funções envolvem processamento, montagem, armazenamento e manuseio de material, inspeção e teste, e controle. As primeiras quatro funções dizem respeito às atividades físicas que relacionam-se diretamente com o produto sendo fabricado. A função de controle é necessária para coordenar e regular as atividades físicas dos vários dispositivos que existem no chão de fábrica.

O controle em sistemas de manufatura celular usualmente é exercido nos seguintes níveis de controle: local, de supervisão e de planejamento. O controle local envolve um processo interativo entre um controlador e uma máquina. Este processo abrange todas as funções necessárias para o controle da máquina. O processo envolve o recebimento de comandos de outras entidades (controlador) e o posterior envio de comandos específicos para as máquinas.

O controle de supervisão envolve um processo interativo entre o controlador, ou operadores humanos e um grupo de máquinas. O objetivo do controle é mover as peças de uma máquina para outra em uma sequência ótima de processamento executando o plano de processo de cada peça. O processo abrange as funções necessárias para o controle da produção de um tipo de produto.

Já o nível de planejamento é a conexão de todos os controles de supervisão envolvidos na fabricação do mesmo produto. As funções deste nível envolvem cálculo de capacidades das máquinas e planejamento de produção.

Enfim, o termo controlador é usado de uma forma genérica para descrever o hardware, software, e outros componentes que influenciam o comportamento do chão-de-fábrica. Alguns controladores são compostos apenas por componentes de hardware, como um conjunto de botões, motores e chaves elétricas ou relés.

Outros são caracterizados por apresentarem componentes de hardware e software. Neste caso, o hardware como um Controlador Lógico Programável-(CLP) fornece uma interface para o sistema físico (sensores e atuadores) e um ambiente para a execução do software. Os softwares usados para o controle podem ser representados por vários componentes distintos: o de controle que influencia o fluxo de peças e o fluxo de informações, o de sequenciamento, o de planejamento, e o de gerenciamento e a aquisição de dados.

Clique no link para acessar uma apresentação em power point sobre o assunto: http://qualidadeonline.files.wordpress.com/2010/01/apresentacao_celulas_trabalho.ppt

About these ads

2 Respostas

  1. Eu arrumava a minha coleção de CDs por ordem alfabética. Daí quando necessitava transportar CDs para escutar música de casa para o carro ou para casa de algum amigo , só tinha duas opções: Levar todos os CDs ou levar somente os CDs que desejaria ouvir e depois colocá-los sempre de volta na mesma ordem alfabética repetitivamente fazendo-me perder tempo e gerando procuras. Então, eu passei a arrumar os meus CDs por “Gênero Musical”, onde cada estojo identificado contempla o conceito de características e atributos similares que neste caso é o clima e o ambiente propício à música que estou levando. Daí quando vou para uma feijoada rola um sambinha. Quando vou para um jantar rola um MPB e no carnaval um frevo/axé, ou seja: . As vezes fazemos isso instintivamente para facilitar nossas vidas e não damos conta de que é uma técnica. Isso é Lean, símples assim !

  2. Muito bom!
    Tenho que apresentar um trabalho sobre isso, e o seu texto me ajudou muito! : )

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.738 outros seguidores

%d bloggers like this: