Continuam a aumentar os níveis de gases de efeito estufa

Segundo um relatório da World Meteorological Organization’s (WMO), os níveis de gases de efeito estufa continuam a aumentar, pois em 2008, as concentrações globais de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, que são os principais gases do efeito estufa na atmosfera, atingiram o maior patamar registrado desde tempos pré-industriais. A concentração de dióxido de carbono (CO2), gás que mais contribui para o problema do aquecimento global, chegou a 385,2 partes por milhão (ppm), com potencial para chegar a 390 ppm já no ano que vem.

Segundo o documento, em relação à era pré-industrial (antes de 1750), o aumento foi de 38%. O dano é considerado tão grave que, mesmo se o mundo interrompesse todas as emissões de CO2 hoje, em cem anos haveria ainda uma concentração de gases de efeito estufa 30% superior à de 1750.

Os maiores responsáveis pelo excesso de gases na atmosfera, segundo o Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), são as atividades humanas, principalmente em decorrência da queima de combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) e do desmatamento. Os estudos do IPCC apontam para uma alta na temperatura do planeta que poderia variar entre 1,5 a 4,5 ° C.

Os dados divulgados pela WMO são resultados da maior coleta já feita sobre a concentração de gases-estufa na atmosfera e foram usadas mais de 200 estações espalhadas pelo mundo, inclusive no Brasil. Além do dióxido de carbono, foram medidos o metano e o óxido nitroso, que são os principais gases envolvidos no aquecimento global. Um dos efeitos mais estudados é o derretimento de geleiras. Desde 2000, a Groenlândia perdeu mais de 1,5 trilhão de toneladas de gelo. A Antártida também perdeu 1 trilhão desde 2002. Para ler o relatório em inglês clique no link http://www.wmo.int/pages/prog/arep/gaw/gaw_home_en.html

Análise SWOT

Uma leitora me enviou um e-mail querendo saber o que é uma análise SWOT. Ela é feita dentro dos ambientes e quer dizer SWOT – Strong, Weak, Opportunities, Threats. Deste modo, após a análise SWOT, é possível identificar os pontos a serem fortalecidos e as ações a serem tomadas na estratégia a ser adotada pela empresa. A análise SWOT possui os seguintes objetivos: identificar as oportunidades de crescimento; e identificar, principalmente, pontos de vulnerabilidade que ameaçam o desenvolvimento.

 Ambiente interno

Para o ambiente interno da empresa são analisados os pontos fortes e fracos por meio de dados obtidos de documentos e informações internas da empresa (ex. relatórios, estudos, medições, etc.). Dessa forma são identificadas:

 Potencialidades (Pontos fortes – Strong)

  • Sistemas produtivos eficientes;
  • Sistemas produtivos com alta confiabilidade;
  • Treinamento e conscientização do pessoal;
  • Produtos dentro das especificações;
  • Economia de energia, água e matérias-primas;
  • Ganhos em processos de reciclagem;
  • Ganhos com melhoria da qualidade.

 Vulnerabilidades (Pontos fracos – Weak)

  • Processos produtivos ultrapassados;
  • Riscos de acidentes pela baixa confiabilidade dos sistemas;
  • Produtos fora de padrões estabelecidos;
  • Falta de garantia de qualidade nos produtos oferecidos;
  • Emissão de poluentes;
  • Treinamento deficiente de pessoal.

 

Variáveis Análise
Recursos humanos Qualificação de empregados para sistema de garantia de qualidade

Motivação e conscientização dos colaboradores e alta gerência quanto à questão da qualidade

Treinamento de pessoal em relação à qualidade

Participação dos deptos. nas questões ligadas à qualidade

Responsabilidades de diretoria definidas em relação à qualidade

Definição de cargos e responsabilidades em relação à área de qualidade

Normas e procedimentos de trabalho da qualidade

Recursos financeiros Investimentos para modernização de sistemas

Disponibilidades para implantação do sistema de qualidade

Atender aspiração dos acionistas (valor das ações)

Valores de seguros pagos

Indenizações

Economia obtida de programas de reciclagem

Contabilidade de custos da qualidade

Recursos materiais Controle de qualidade em matérias-primas e combustíveis utilizados

Avaliação de equipamentos e máquinas

Implantação e atualização de laboratórios de ensaios/testes

Implantação do setor de metrologia

Controle de qualidade de produtos

Recursos tecnológicos Tecnologias empregadas na empresa

Atualização tecnológica de equipamentos e sistemas

Ambiente externo

Para o ambiente externo são analisadas as oportunidades e ameaças externas à organização. A alta administração, de posse de dados em relação ao mercado e concorrentes, deve estabelecer a filosofia, a visão e a estratégia em relação ao sistema de qualidade a ser implantado.

Oportunidades (Opportunities)

  • Lançamento de novos produtos com melhor qualidade;
  • Existência de processo mais moderno de produção;
  • Linhas de financiamento e subsídios;
  • Novas normas de especificação para determinado produto.

 Ameaças (Threats)

  • Risco de perda de mercado;
  • Acidentes com indenização;
  • Novas leis mais severas que dificultam desempenho;
  • Pressão da comunidade (meio ambiente);
  • Seguros elevados;
  • Problemas com fornecedores.

A implantação de um programa de qualidade exige que o exame seja direcionado, podendo abranger os seguintes tópicos:

 

Variáveis Análise
Sociais Interesse do mercado

Imagem junto à comunidade

Repercussão da má-qualidade

Pressão de clientes e consumidores.

Políticos Decisões do governo (tendências)

Alteração na legislação existente ou em curso

Estímulos fiscais para melhorias e sanções

Obras públicas que afetem a empresa

Ações e iniciativas de governos estrangeiros

Ofertas de energia e insumos com subsídio

Econômicos Financiamentos e subsídios para máquinas e equipamentos

Riscos de indenizações e multas

Investimentos p/ cumprimento de requisitos de normas de qualidade

Barreiras tarifárias e não tarifárias (certificação)

Custos de implantação de programas de qualidade

Tecnológicos Sistemas produtivos mais modernos e menos poluentes

Tecnologias de reciclagem

Desenvolvimento tecnológico da concorrência.

 Os critérios para identificação de predominâncias para serem identificados pontos fortes e fracos, além de ameaças e oportunidades, podem ser definidos por meio da metodologia GUT (Gravidade x Urgência x Tendência), a qual auxilia a priorizar os fatores e a estabelecer as predominâncias para definir a postura estratégica. A avaliação se baseia numa escala de avaliação para cada aspecto.

 Gravidade

Tudo o que afeta profundamente o resultado da empresa. Sua avaliação decorre do nível de dano ou prejuízo que pode decorrer dessa situação.

 

Avaliação Escala
O dano é extremamente importante? 5
O dano é muito importante? 4
O dano é importante? 3
O dano é relativamente importante? 2
O dano é pouco importante? 1

 Urgência

Resultado da pressão do tempo sofrida pela empresa. Decorre do tempo disponível para resolver uma situação provocada pelo fator considerado.

 

Avaliação Escala
A ação é bastante urgente? 5
A ação é urgente? 4
A ação é relativamente urgente? 3
A ação pode aguardar? 2
A ação é sem pressa? 1

 Tendência

Padrão de desenvolvimento de uma situação, sendo relacionado ao estado que a situação apresentará caso não sejam alocados esforços ou recursos extras para modificação favorável.

 

Avaliação Escala
Com a mesma forma e intensidade de ação, a situação vai piorar muito? 5
Com a mesma forma e intensidade de ação, a situação vai piorar ? 4
Com a mesma forma e intensidade de ação, a situação vai permanecer? 3
Com a mesma forma e intensidade de ação, a situação vai melhorar? 2
Com a mesma forma e intensidade de ação, a situação vai melhorar muito? 1

 Resultado da análise SWOT

O diagnóstico permite a escolha consciente de uma direção a ser tomada pela empresa por meio de uma visualização da ação. A verificação dos pontos predominantes entre ameaças oportunidades, vulnerabilidades e potencialidades em relação à qualidade, nos diversos contextos (financeiro, produção, vendas, etc.), permitem auxiliar a escolha da postura estratégica a ser adotada pela alta administração.

 

Diagnóstico estratégico Análise do ambiente interno
Vulnerabilidades Potencialidades
Análise do ambiente externo Ameaças Sobrevivência Manutenção

 

Oportunidades

Crescimento Desenvolvimento