A fenilalanina em alimentos

Já editei textos sobre ingredientes químicos em alimentos e em embalagens (https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/01/25/os-corantes-em-medicamentos-e-alimentos/, https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/04/29/o-bisfenol-bpa-e-a-saude-humana/) e agora gostaria de escrever sobre a fenilalanina que é um aminoácido, um composto natural que está presente em todas as proteínas, tanto vegetais como animais. O corpo humano necessita da fenilalanina, pois é uma parte integral de todas as proteínas do nosso corpo. Os humanos não conseguem sintetizar a fenilalanina, logo é um componente essencial da dieta diária, pois sem ela o corpo não consegue funcionar.

Contudo, existe um grupo de pessoas que sofrem da uma doença hereditária rara, a PKU fenilketonuria. A estas pessoas faltam-lhes uma enzima que é necessária para digerir a fenilalanina, a fenilalanina que resta não é digerida mas convertida em compostos tóxicos, designados por fenilketonas, que são excretados pela urina. Os doentes com PKU que ingerem a fenilalanina sofrem de diferentes sintomas de toxicidade, incluindo atrasos mentais especialmente em crianças, e distúrbios intelectuais nos adultos.

Links Patrocinados

20% de aumento no faturamento?

Faça Links Patrocinados nesse site

hayrton@uol.com.br

Tel.: (11) 9105-5304

Muitos produtos denominados light e sem açúcar contêm aspartame como um adoçante. O apartame é basicamente uma proteína pequena, que contem ate 40% de fenilalanina. Os produtos com aspartame, representam um risco para os doentes com PKU. Todos os produtos com aspartame têm que ser rotulados com uma frase declarando que o produto contem uma fonte de fenilalanina. Geralmente como os doentes de PKU conhecem quais sao os produtos que contêm esta proteína, logo o rotulo não é necessário para estes produtos. Só os produtos como, a pastilha elástica, que normalmente não contêm qualquer proteína, mas que contem o aspartame, devem ser rotulados.

Por isso mesmo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de editar a Resolução RDC 19/2010 sobre informações sobre a quantidade de fenilalanina, proteína e umidade presentes nos alimentos. A medida é valida para alimentos que possuem teores de proteína entre 0,10% e 5,00% como: molhos de tomate, creme de leite, arroz, balas, bombons, entre outros. “Essas informações serão essenciais para os nutricionistas elaborarem, com segurança, a dieta dos quase 1,5 mil brasileiros fenilcetonúricos”, afirma Maria Cecília Brito, diretora da Anvisa.

Ghost Writer

Não tem tempo para escrever

Livros, relatórios técnicos, TCCS, palestras.

Discursos, malas diretas, textos… Já existe a solução:

Envie um e-mail para hayrton@uol.com.br

Tel.: (11) 9105-5304

A fenilcetonúria é um erro inato no metabolismo humano que resulta da dificuldade do organismo em converter a substância fenilanina em tirosina (um dos componentes essenciais das proteínas dos seres vivos). Essa deficiência aumenta a quantidade de fenilalanina no sangue e tecidos e gera problemas, como: atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, hiperatividade, convulsões, comportamento agressivo ou tipo autista e retardo no crescimento.

O tratamento dessa doença se dá por meio de uma dieta com alimentos de baixo teor em fenilalanina. Por outro lado, por se tratar de uma substância essencial aos seres humanos, essa dieta deve conter quantidade suficiente de fenilalanina, de forma a evitar uma síndrome por carência da substância.

Em geral, frutas, hortaliças e outros alimentos com baixo teor de proteína são mantidos na dieta dos pacientes e oferecidos quantitativamente de acordo com a tolerância individual. “Com a elaboração de uma tabela sobre o conteúdo de fenilalanina em alimentos, essas pessoas poderão ter acesso controlado a uma série de alimentos que antes não faziam parte do seu dia a dia”, explica a diretora da Anvisa.

A norma da Anvisa classifica os alimentos em cinco categorias prioritárias. As empresas terão prazos específicos (entre agosto de 2010 e julho de 2012) para apresentar os laudos sobre o teor dessas substâncias para a Agência e disponibilizar essas informações para a população. “Essas categorias foram estabelecidas de acordo com as necessidades nutricionais prioritárias dos fenilcetonúricos, com base em informações apresentadas por profissionais do Programa Nacional de Triagem Neonatal do Ministério da Saúde”, complementa Maria Cecília. Esse programa acompanha os fenilcetonúricos desde a coleta da amostra (teste do pezinho nos recém nascidos), tratamento e acompanhamento dos pacientes por equipe multidisciplinar.

 Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Anúncios

Eletrodomésticos e similares deverão ser certificados até 2013

A partir de 1º de julho de 2011, um grupo de 87 famílias de eletrodomésticos e similares – inclusive industriais – fabricados ou importados para comercialização no Brasil deverão ser certificados de acordo com regulamento do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). A Portaria 371, que torna a certificação obrigatória, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) em dia 31 de dezembro 2009. Estão entre os produtos de uso residencial que deverão ser certificados o ferro de passar roupa, secador de cabelo, aspirador de pó, multiprocessador, liquidificador e aparelho de barbear. Estão entre os equipamentos comerciais e industriais as máquinas de vendas (como de comidas e refrigerantes), fogões, fornos, chapas elétricas e aparelhos multifuncionais para cozinha de uso comercial.

Aumente suas Vendas

Criação e otimização de campanhas de links patrocinados

hayrton@uol.com.br

Tel.: (11) 9105-5304

A Portaria 371 do Inmetro baseada em uma norma internacional da International Eletrotechnical Commission (IEC) para eletrodomésticos e similares e tem o objetivo de aumentar a segurança do usuário desses aparelhos. Copnforme explica o instituto, a obrigatoriedade da certificação aumentará a segurança dos aparelhos porque, para receber o selo, eles serão submetidos a testes de laboratórios e os fabricantes terão a linha de produção auditada periodicamente. Atualmente, existem 13 laboratórios no Brasil autorizados a fazer a avaliação de acordo com os critérios determinados pelo Inmetro. Essa portaria (http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC001519.pdf) decidiu aprovar os requisitos de avaliação da conformidade para aparelhos eletrodomésticos e similares, disponibilizados em www.inmetro.gov.br

A nova regulamentação ampliou a lista de eletrodomésticos com certificação compulsória e só deixou de fora aqueles que integram o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), porque já são avaliados diretamente pelo Inmetro dentro do programa de avaliação da eficiência energética inclusive quanto aos aspectos de segurança. O comércio terá até 1º de janeiro de 2013 para escoar o estoque de produtos nacionais e importados que estejam fora dos padrões definidos pela regulamentação. A ampliação da compulsoriedade será feita conforme calendário publicado abaixo:

Calendário para adaptação dos fabricantes, importadores e comércio
Prazo Medida
1º de julho 2011 Fabricantes e importadores de aparelhos eletrodomésticos não poderão mais fabricar e importar equipamentos fora das exigências.
1º de julho de 2012 Fabricantes e importadores de aparelhos eletrodomésticos não poderão mais comercializar para o atacado/varejo produtos fora do padrão.
1º de janeiro de 2013 O comércio atacadista/varejista não poderá mais vender aparelhos eletrodomésticos fora do padrão.
Lista dos eletrodomésticos e outros equipamentos que deverão ser certificados
Aspiradores de pó Exterminadores de insetos
Ferros de passar roupa Banheira de hidromassagem
Fogões e fornos Aquecedores de ambiente por armazenagem térmica
Barbeadores e cortadores de cabelo Máquinas de enxaguar comercial
Tostadores e grills Máquinas elétricas de cozinha de uso comercial (moedor, etc)
Máquinas de tratamento de piso e lixamento ou polimento úmido Filtros de ar,  ionizador de ar
Placas aquecedoras Aquecedores de camas d’água
Fritadeiras e frigideiras Máquinas de tratamento e limpeza de chão para uso comercial e industrial
Multiprocessadores Máquinas para limpeza de carpete com spray para uso industrial e comercial
Aquecedores de líquidos Aspiradores de pó (seco e úmido) para uso comercial e industrial
Trituradores de lixo alimentar Máquinas de ordenha
Cobertores e lençóis elétricos Aparelhos elétricos de aquecimento para criação e reprodução animal
Aquecedores de água  por acumulação Máquinas para tratamento de piso para uso comercial e industrial
Aparelhos para cuidado da pele ou cabelo Aquecedores para líquidos fixos de imersão
Relógios digitais Aquecedores portáteis de imersão
Aparelhos de exposição da pele à radiação Ultravioleta Máquinas de vendas (vending machines de refrigerantes e comidas)
Máquinas de costura Cercas elétricas
Carregadores de pilhas e baterias Cortadores de grama industriais
Aquecedores de ambiente Churrasqueiras elétricas para uso externo
Coifas Limpadores de alta pressão e vapor
Aparelhos de massagem Piso aquecido
Moto-compressor Terminais de auto-atendimento bancários
Aquecedores de água instantâneos Aquecedores para dreno de telhado
Fogões e fornos elétricos de uso comercial Assento elétrico para Toaletes
Fritadeiras elétricas para uso comercial Máquinas de limpeza de tecidos a vapor
Chapas elétricas para uso comercial Máquinas elétricas de pescar
Aparelhos multifuncionais de cozinha para uso comercial Equipamentos para choque em animais
Bombas de água Umidificadores com uso associado com aquecimento, ventilação ou sistema de ar condicionado
Fornos elétricos de uso comercial por convecção forçada, forno assador a vapor Cortadores de grama residenciais
Secadoras de roupa com varal e fluxo de ar quente Roçadeira elétrica
Secadores e passadores comerciais Tesouras cortadoras de grama
Sopradores de ar quente e ferramentas móveis de aquecimento Motores para portão de garagem
Panelas elétricas Folhas flexíveis para aquecimento de ambiente
Grill e tostadeiras de uso comercial Comando para cortinas e similares
Balcões com aquecimento elétrico de uso comercial Umidificador
Equipamento para banhos-maria elétricos de uso comercial Exaustor elétrico
Bombas estacionárias para aquecimento e serviço de instalações hidráulicas Assopradores elétricos para a limpeza de jardins
Escova de dente elétrica Vaporizadores
Aparelhos para aquecimento para saunas Aquecedor para óleo e gás tendo conexão elétrica
Aparelhos para limpeza de superfícies usando vapor Movimentador para portas e janelas
Aparelhos para uso em aquários (bombas de ar, termostatos) Aparelhos para reciclar gás refrigerante de aparelhos refrigeradores
Projetores Cabines de banho
Aquecedores de piso acarpetado Secadores de cabelo

Liquidificador

Ghost Writer

Não tem tempo para escrever

Livros, relatórios técnicos, TCCS, palestras.

Discursos, malas diretas, textos… Já existe a solução:

Envie um e-mail para hayrton@uol.com.br

Tel.: (11) 9105-5304

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.