Como vem evoluindo a qualidade das tintas imobiliárias

A gente pinta e, depois de 15 dias, a tinta começa a escorrer pela parede sumindo gradativamente. Esse poderia ser o depoimento de um usuário de tintas no Brasil. Depois que o Inmetro fez uma avaliação das tintas imobiliárias látex econômicas em novembro de 2008 (http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/tintasImobiliarias.pdf), o que melhorou e piorou nesse mercado. Em suas conclusões, o instituto revelou que 53% das marcas analisadas tiveram amostras que não atenderam aos requisitos mínimos estabelecidos nas normas brasileiras pertinentes.

Aparentemente, esse índice mostra uma divisão no setor. Entretanto, de acordo com o Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias, reconhecido no âmbito do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) pela Secretaria Nacional da Habitação do Ministério das Cidades, as empresas que têm colocado no mercado produtos não conformes às normas representam cerca de 20% do setor.

Todas as marcas de tintas cujas amostras foram consideradas não conformes na análise coordenada pelo Inmetro encontram-se classificadas da mesma forma no Programa Setorial. O mesmo vale para as marcas com amostras consideradas conformes. Os problemas observados representam potencial prejuízo econômico para o consumidor, agravado pelo fato de tratar-se de um tipo de tinta com preço mais baixo e, por isso mesmo, mais acessível às pessoas de pouco poder aquisitivo. Além de serem enganosas quanto ao rendimento, incorrendo em maior gasto de material e de horas de trabalho, as tintas fabricadas em desacordo com a normalização apresentam deficiência quanto à durabilidade e comprometem a proteção adequada do patrimônio do consumidor.

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) ficou responsável pelo Programa Setorial da Qualidade – Tintas Imobiliárias. Usa como critérios:

  • Tinta Látex Econômica – A verificação da qualidade é realizada de acordo com a NBR 15079 – Especificação dos requisitos mínimos – Tinta látex econômica nas cores claras, publicada pela ABNT, em 30 de junho de 2004. A norma especifica que todas as tintas látex fabricadas e comercializadas no Brasil, de qualquer nível de qualidade, devem atender as exigências mínimas contidas na NBR 15079.

Ensaios – Poder de cobertura de tinta seca – NBR 14942: a película de tinta deve apresentar poder de cobertura de no mínimo 4,0 m²/l. Poder de cobertura de tinta úmida – NBR 14943 : a película deve apresentar a razão de contraste de no mínimo 55%. Resistência à abrasão sem pasta abrasiva – NBR 15078 : a película de tinta deve resistir no mínimo por 100 ciclos.

  • Massa corrida – A verificação da qualidade das massas niveladoras está sendo feita com base na NBR 15348 – Tintas para construção civil – Massa niveladora monocomponente à base de dispersão aquosa para alvenaria – Requisitos.

Ensaios: NBR 15303 – Determinação da absorção de água de massa niveladora: a quantidade de água absorvida pela massa niveladora não deve ser superior a 15% no caso de massa interior e de 18% para massa de uso interior/exterior. NBR 15312 – Determinação da resistência à abrasão da massa niveladora: a quantidade de massa niveladora seca desbastada não deve superar 10 gramas no caso de massa de uso interior, e de 5 gramas para uso interior e exterior. Nota: As formas de determinar os valores para absorção de água e para resistência à abrasão são diferentes para os dois tipos de massas: interior e exterior.

  • Esmalte Sintético – A verificação da qualidade está sendo feita com base no Projeto – 02:115.29-0 – Tintas para construção civil – Especificação dos requisitos mínimos de desempenho de esmalte sintético para edificações não-industriais.

Ensaios: Projeto 02:115.29-004 – Determinação do tempo de secagem de tintas e  vernizes por método experimental. Projeto 02:115.29-643 – Determinação do poder de cobertura de tinta seca. Projeto 02:115.29-048 – Determinação do teor de substâncias voláteis e não voláteis.

Segundo a associação, o objetivo maior foi a melhoria da qualidade dos produtos em benefício do mercado consumidor e assegurar a lealdade na concorrência. Ele é importante para determinar uma qualidade mínima para o setor. O programa é gradual e visa que todo fabricante de tintas possa produzir em conformidade. Atualmente, conforme diz a Abrafati, 100% das empresas que participam do Programa estão em conformidade com as normas brasileiras e técnicas. Também é possível notar uma melhoria crescente nas marcas de tintas imobiliárias que são acompanhadas pelo Programa, permitindo assim traçar um panorama de mais de 90% do setor. Para conhecer quais os produtos conformes e não conformes, clique no link http://www.tintadequalidade.com.br/

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

2 Respostas

  1. […] site já publicou um texto sobre a qualidade das tintas imobiliárias no país em https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/07/29/como-vem-evoluindo-a-qualidade-das-tintas-imobiliari… Inspirado no programa Responsible Care, da indústria química, o Coatings Care é focado na […]

  2. aló pessoal da inmetro tudo bem? quero lhe dizer que ainda tem muitas lojas vendendo marcas de tintas desconhecidas sem selo de qualidade no mercado , cada dia á parece uma marca de tinta diferente . mais barato e sem redimento, nos bairros . o que vocês pretende ,dar em cima dos fabricantes ou dos lojistas . aquele abraço!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: