NBR ISO 14031

Curso ao vivo pela Internet

O PORTAL DAS NORMAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Uma leitora quer saber do que trata a NBR ISO 14031. Ela trata das diretrizes para a avaliação do desempenho ambiental através da adoção de indicadores. Esta norma propõe duas categorias gerais de indicadores a serem considerados na condução da Avaliação de Desempenho Ambiental (ADA): Indicador de Condição Ambiental (ICA) e o Indicador de Desempenho Ambiental (IDA). O ICA fornece as informações sobre a qualidade do meio ambiente onde se localiza a empresa industrial, sob a forma de resultados de medições efetuadas de acordo com os padrões e regras ambientais estabelecidos pelas normas e dispositivos legais.

O IDA é classificado em dois tipos: Indicadores de Desempenho Gerencial (IDG) e Indicadores de Desempenho Operacional (IDO). O IDG fornece as informações relativas a todos os esforços de gestão da empresa que influenciam positivamente no seu desempenho ambiental, por exemplo, reduzindo o consumo de materiais e/ou melhorando a administração de seus resíduos sólidos, mantendo os mesmos valores de produção. Inclui: atendimento aos requisitos legais; utilização eficiente dos recursos; treinamento de equipes; e investimentos em programas ambientais.

Dependendo do foco da avaliação, alguns indicadores podem ser especificados conforme o quadro abaixo:

Foco de avaliação Exemplos de indicadores
1. Implementação de políticas e programas • número de iniciativas implementadas para a prevenção de poluição.• níveis gerenciais com responsabilidades ambientais específicas.• número de empregados que participam em treinamentos ambientais.
2. Conformidade • número de multas e penalidades ou reclamações e os custos resultantes das não confoimidades.
3. Desempenho financeiro • gastos (operacional e de capital) associados com a gestão e o controle ambiental.• economia obtida através da gestão e controle ambiental.• responsabilidade legal ambiental que pode ter um impacto material na situação financeira da indústria.
4. Relações com a comunidade • número de programas educacionais ambientais ou quantidade de materiais fornecidos à comunidade.• índice de aprovação em pesquisas nas comunidades.

 Já o IDO proporciona as informações relacionadas às operações do processo produtivo da empresa com reflexos no seu desempenho ambiental, tais como o consumo de água, energia ou matéria-prima. Relaciona-se diretamente com:

• Entrada de materiais (matéria prima; recursos naturais, materiais processados, reciclados e/ou reutilizados).

• Fornecimento de insumos para operações da indústria.

• Projeto, instalação, operação (incluindo situações de emergência e operações não rotineiras) e manutenção das instalações físicas e dos equipamentos.

• Saídas (principais produtos, subprodutos, materiais reciclados e reutilizados), serviços, resíduos (sólidos, líquidos, perigosos, não perigosos, recicláveis, reutilizáveis), e emissões (emissões para a atmosfera, efluentes para água e solo, ruído) resultantes das operações.

• Distribuição das saídas resultantes das operações.

Dependendo do tipo de avaliação, podem selecionados os indicadores de desempenho operacional como os indicados no quadro abaixo:

Foco de avaliação Exemplos de indicadores
1. Materiais • materiais usados/produto.• materiais ou matéria-prima reciclados ou reutilizados.• embalagens descartadas ou reutilizadas/produto.
2. Energia • tipo de energia usada/ano ou produto ou serviço.• tipo de energia gerada com subprodutos ou correntes de processo
3. Água • água consumida/ano ou por produto.• água reutilizada/ano ou por produto.
4. Fornecimento e distribuição • consumo médio de combustível da frota de veículos.
5. Resíduos • resíduos/ano ou por produto.• resíduos perigosos, recicláveis ou reutilizáveis produzidos/ano.• resíduos perigosos eliminados através da substituição de materiais.
6. Efluentes líquidos • volume de efluente orgânico/produto.• volume de efluente inorgânico/produto.
7. Emissões • emissões atmosféricas prejudiciais a camada de ozônio.• emissões de gases de efeito estufa, em CO2 equivalentes/ano ou por produto.
8. Ruídos • nível de ruído.

Quer ler uma cartilha sobre os indicadores de desempenho ambiental na indústria, clique no link http://www.fiesp.com.br/publicacoes/pdf/ambiente/cartilha_indic_ambiental.pdf

 Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Sono de qualidade: quase pronta a avaliação de conformidade de colchões e colchonetes

 CURSOS BANAS QUALIDADE – IN COMPANY 

Transforme a sua estratégia em treinamentos em efetivos conhecimentos para os seus funcionários

  • TPM (Total Productive Maintenance) – noções básicas para implementação
  • Formação de RD (representante da Direção) para ISO 9000
  • Gerenciamento de Fábrica
  • NBR 10015 – Diretrizes para Treinamento
  • OEE – Maximização Operacional Global
  • Princípios do SIG: Sistema Integrado de Gestão (NBR ISO 9001:2008, NBR ISO 14001:2004 e OSHAS 18001:2007)
  • Kaizen – Melhoria Continua
  • Ferramentas da Qualidade
  • Avaliação e Qualificação de Fornecedores
  • Satisfação do Cliente – Tratamento de Reclamações – NBR ISO 10002:2005
  • FMEA – Análise do Modo e Efeito da Falha
  • Indicadores Gerenciais – Melhorando a Gestão da Empresa

Escolha o curso e contate Christine Banas:

christine.banas@epse.com.br – (11)5188-1515

O ser humano ao atingir a idade de 60 anos terá passado 20 anos de sua vida deitado em um colchão, ou seja, toda pessoa passa, aproximadamente, 1/3 de sua vida deitada (cerca de oito horas de sono por dia). Várias pesquisas realizadas apontam que 90% dos problemas de dores de cabeça, torcicolos, dores na nuca, dores lombares e musculares, são decorrentes de noites mal dormidas em colchões inadequados. Devido a várias solicitações por parte dos consumidores, o Inmetro decidiu analisar colchões de espuma objetivando verificar a conformidade destes produtos disponíveis no mercado nacional em relação aos requisitos da norma brasileira, ou seja, verificar se o consumidor tem acesso a produtos que atendam às suas necessidades e que não causem riscos à sua saúde.

O regulamento com os requisitos de avaliação da conformidade (RAC) para colchões e colchonetes de espuma flexível de poliuretano foi submetido à consulta pública (via internet e Diário Oficial da União) até o dia 19 de julho, pois a certificação compulsória de colchões começou a ser discutida a partir de denúncias recebidas pela Ouvidoria do Inmetro e após as análises realizadas pelo instituto nos anos de 2006 e 2008. Nas análises foram testados os colchões D33 para solteiro. Os ensaios evidenciaram que 47% (em 2006) e 66% (em 2008) apresentavam não conformidades em relação à norma técnica brasileira definida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A certificação contemplará as demais densidades comercializadas.

A atuação do Inmetro no desenvolvimento de programas de avaliação da conformidade é caracterizada por um processo amplo e participativo dos segmentos envolvidos, para promover a transparência no seu desenvolvimento. Para realizar esse trabalho, o Inmetro institui Comissões Técnicas que assessoram o Instituto na elaboração dos programas. Essas comissões são constituídas por entidades representativas das partes interessadas, de preferência em ordem paritária, de forma a proporcionar o equilíbrio de interesses e a imparcialidade, sem predominância de qualquer interesse particular.

O RAC de colchões contém as regras específicas que estabelecem um tratamento sistêmico à avaliação da conformidade de colchões e colchonetes, de forma a propiciar um adequado grau de confiança em relação ao cumprimento dos requisitos estabelecidos nas normas ABNT NBR 13579-1: Colchão e colchonete de espuma flexível de poliuretano – Parte 1: Bloco de espuma e ABNT NBR 13579-2: Colchão e colchonete de espuma flexível de poliuretano – Parte 2: Revestimento.

Após a publicação em caráter definitivo do RAC, os fabricantes e comerciantes terão um prazo de 24 a 36 meses para se adequarem às exigências do regulamento. Após esse prazo, o produto entra no Plano de Fiscalização da Rede Brasileira Metrologia e Qualidade – RBMLQ-I. Igualmente, desde julho de 2007 a ABNT mantém um programa de certificação para colchões e colchonetes de espuma, que atende às recomendações do Comitê de Avaliação da Conformidade da International Organization for Standardization (ISO/CASCO). Envolve avaliação de requisitos de qualidade de acordo com a norma ABNT NBR 13579:2006.

Enfim, a ideia para o selo obrigatório é estabelecer regras específicas para a avaliação da conformidade dos colchões a partir dos requisitos estabelecidos pelas normas técnicas que já existem. Serão avaliados, por exemplo, as dimensões do produto (se o comprimento, largura e espessura atendem à norma); a resistência da matéria-prima em relação à possibilidade de ruptura, alongamento e rasgo; o revestimento (resistência do tecido que reveste o colchão e o risco de propagação de chamas), entre outros requisitos. O Instituto Falcão Bauer da Qualidade possui um folheto digital orientando para a certificação desses produtos: http://www.ifbauer.org.br/adm/img/produto/79/ORIENTACAO%20Colchoes%20e%20Colchonetes%20%20-%20rev%2002%2023112009.pdf

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.