A rotina do dia a dia incapacita para o trabalho?

Coletânea Digital com as Normas Técnicas, Regulamentos, etc. relacionadas à Tecnologia da Informação

A rotina diária dos funcionários inclui o cumprimento de metas, as cobranças, as situações conflitantes e muitas outras dificuldades. Todas essas exigências resultam no estresse que se manifesta de forma arrasadora, tornando tudo um grande caos. Mas o estresse não vem sozinho, pois ele é o principal causador da depressão que é a quarta principal causa da incapacidade para o trabalho, segundo revela a coach ontológica e administradora de empresas Káritas de Toledo Ribas.

Ela explica que a sociedade contemporânea tem sido classificada como a sociedade do estresse crônico. “As pessoas são cobradas a todo o momento e em todas as circunstâncias de vida. Para alguns indivíduos a aquisição de um corpo que se enquadre dentro dos modelos eleitos pela sociedade passa a ser uma obrigação, para outros, a aquisição de status profissional é um pré-requisito para a felicidade. Dependendo da intensidade de nossa cobrança, tais desejos podem produzir emoções desastrosas”. Ela esclarece que deve ser levado em consideração como a pessoa encara as situações de estresse. “Se a pessoa transforma a situação em um transtorno será altamente prejudicada, mas se desenvolve uma percepção de desafio possivelmente os resultados serão de qualidade”.

Para evitar o estresse e seus possíveis desdobramentos, como a depressão e a ansiedade, Káritas explica que é preciso, em primeiro lugar, identificar o que está causando o problema e destacar os pontos que desencadeiam a causa. A partir destas informações, o profissional pode definir como ele quer lidar com a situação. Em alguns casos, não há apenas um profissional estressado, mas sim uma equipe inteira. Nessa situação, o líder deve buscar uma maneira de sanar o problema de forma que a harmonia volte para o convívio dos envolvidos, inclusive para que essas pessoas possam estar aptas a enfrentar as pressões do dia-a-dia. “O líder tem a função de preparar o time para lidar com as situações de conflito presentes no negócio, direcionando a equipe para que toda adversidade se transforme em oportunidades”.

No entanto, a melhor maneira de impedir esse problema que causa tantos contratempos, tanto na vida dos colaboradores como no cotidiano da empresa, é apostar em políticas de saúde e bem-estar que possam proporcionar apoio e equilíbrio para o capital humano. “Os benefícios de adotar atitudes que proporcionam qualidade de vida e bem-estar são inúmeros. Investimento na saúde aumenta a rentabilidade, afinal pessoas felizes e satisfeitas produzem mais. O bem-estar traz ideias mais criativas, proporcionando saídas inovadoras e reforçando o conceito de empreendedorismo, trazendo outro envolvimento com as atividades. Além de ser uma valorização indireta que rende frutos diretos”, assegura.

Outra alternativa para não deixar o estresse e os seus desdobramentos tomarem conta de vida dos executivos é pedir ajuda. “O profissional precisa identificar as causas do estresse, mas muitas vezes ele está tão saturado que não consegue agir contra o estresse sozinho”. As técnicas de gerenciamento de estresse e de emoções destrutivas, como o coaching ou sessões de biofeedback podem ser utilizadas para afastar esse mal. Estas técnicas são tentativas de manipulação do estado emocional. “As técnicas de gerenciamento de estresse e de emoções destrutivas contemplam inúmeras etapas: a primeira é a identificação do nível de estresse que a pessoa se encontra; a segunda é determinar os fatores que originam o estado indesejado; a terceira etapa é a escolha de um instrumento de medicina comportamental que objetive a eliminação de hábitos limitantes e a solidificação de novos e benéficos comportamentos. Isso deve ser feito levando em consideração as características pessoais” ressalta Káritas.

Em alguns casos, o simples ato de participar de cursos ou palestras que atentem para a identificação consciente de estados emocionais inadequados já pode trazer resultados em ralação a mudanças de hábitos limitantes. “Esses métodos ensinam as pessoas como criar e manter padrões de pensamento favoráveis, mostrando que é possível atingir metas e mudar o comportamento apenas transformando a mente” esclarece.

“O coaching e o biofeedback são ferramentas poderosas que dão aos profissionais a capacidade de utilizar a sua neurologia de forma mais prática e funcional, aproximando-o do que ele quer e evitando desperdiço de energia. Entendendo que o cérebro é passível de mudança, assim como um músculo pode crescer depois de determinados exercícios, fica mais fácil compreender que é possível alterar voluntariamente percepções, sentimentos e emoções e os benefícios das técnicas da medicina comportamental são obtidos com mais facilidade. Essas técnicas aplicadas com eficácia proporcionam autoconfiança, pois o profissional descobre que pode lidar com várias experiências desafiadoras de forma produtiva e com resultados. Ter uma estratégia para mudar e poder operacionalizá-la com agilidade são os resultados obtidos”, salienta.

Para Káritas, um profissional em pleno bem-estar pode influenciar o ambiente de trabalho de forma positiva e ser um agente multiplicador de criatividade e ações bem-sucedidas. “Buscar formas de conhecer as quais as causas dessas emoções que fazem tão mal são as melhores maneiras de harmonizar bem estar e resultados, um colaborador influencia o sistema sempre, então a empresa que investir em como esse profissional irá influenciar sairá na frente e terá um excelente diferencial”, finaliza.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Dicas Qualidade Online

Já que eu gosto de andar por esse mundo de deuses e cozinhar, a partir de agora o site vai editar textos dando dicas para os internautas que visitam São Paulo para cursos ou férias e mesmo para aqueles que moram na cidade. Comida, passeios, receitas, dicas de informática, etc. …tudo visando uma melhor qualidade de vida.

Receita de pato com batata salsa, mandioquinha ou batata baroa – Essa é um receita que aprendi com a minha falecida mãe. Não sei de onde ela copiou. Pegue um pato bem servido, se possível caipira, corte pelas juntas e tempere com vinho tinto, alho e cebola amassados com sal, ervas finas e um pouco de azeite. Deixe no tempero, no mínimo, 12 horas, Coloque azeite numa panela, frite o pato, deixando secar a água que ele solta. Quando estiver seco, coloque quatro tomates sem pele, uma cebola picada e mais ervas finas. Misture bem. Cubra o pato com água quente e deixe cozinhar em fogo médio. Deve demorar uma hora ou mais, dependendo do tamanho do pato. Quando estiver cozido, acrescente a batata salsa, baroa ou mandioquinha cortada em pedaços grandes. Deixe cozinhar as batatas e sirva com arroz branco, feijão de corda e uma farofa de ovo. Bom apetite e beba o resto do vinho usado para temperar o bicho!!! Saúde.

Segurança dos alimentos

APPCC/HACCP

Vídeo APPCC/HACCP

Aborda o Programa APPCC – Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle – Essencial para as indústrias alimentícias, de embalagens, etc. Fala da sua importância e das 7 etapas a serem seguidas.

Uma leitora me escreve querendo conhecer um pouco mais sobre o Hazard Analysis Critical Control Point (HACCP) ou Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). Na verdade com o crescimento do mercado de alimentação, tornou-se imprescindível criar um diferencial competitivo nas empresas por meio da melhoria da qualidade dos produtos e serviços oferecidos, para que esse diferencial determine quais permanecerão no mercado. A qualidade é aquilo que satisfaz o cliente, e o controle de qualidade é a manutenção dos produtos e serviços dentro dos níveis de tolerância aceitáveis para o consumidor. Desse modo, para avaliar a qualidade de um produto alimentar, deve ser mensurado o grau em que o produto satisfaz os requisitos específicos, sendo que esses níveis de tolerância e requisitos se expressam por meio de normas, padrões e especificações.

O Codex Alimentarius estabelece as condições necessárias para a higiene e produção de alimentos seguros. Seus princípios são pré-requisitos para a implantação da APPCC, em que ocorre o controle de cada etapa de processamento. Já as Boas Práticas de Fabricação (BPFs) funcionam como pré-requisitos fundamentais para a implantação do sistema de APPCC, considerado parte integrante das medidas de segurança alimentar e ponto referencial para produção de normas reguladoras da produção de alimentos.

A APPCC é eficaz porque, ao invés de detectar, por exemplo, a presença de microorganismos patogênicos no final do processo de produção de alimentos, atua como um plano para minimizar os riscos de ocorrência desse evento, por meio do controle dos procedimentos em certos pontos críticos, específicos, durante a produção de alimentos16. O uso da APPCC requer também procedimentos simultâneos com outras ferramentas, tais como BPF e sistemas avançados de qualidade na avaliação da produção de alimentos.

O método APPCC analisa personalizadamente cada etapa da operação de produção do alimento, levando em consideração o contexto dos recursos estruturais e humanos disponíveis e ainda privilegia os objetivos da empresa, com relação à posição e competitividade de mercado, produtividade, controle de desperdícios, organização e limpeza. O APPCC surgiu no início da década de 60 nos Estados Unidos, a partir da necessidade da produção de alimentos com defeito zero, para uso dos programas espaciais. Na década de 70, o sistema passou a ser recomendado pela agência norte-americana Food and Drug Administration.

Em geral, as doenças transmissíveis por alimentos podem ter duas origens: química e microbiológica ou parasitária. As substâncias químicas podem ocorrer de modo natural nos alimentos ou resultar da incorporação intencional ou acidental, em qualquer etapa da cadeia alimentar, de substâncias nocivas à saúde. Constituem exemplos mais frequentes: pesticidas como os organoclorados ou organofosforados, fármacos como os antibióticos, hormônios como os anabolizantes, metais pesados e aditivos. Também em discussão, os alimentos transgênicos que podem estar aumentando as rinites alérgicas. As do segundo grupo são causadas por diversos agentes de origem endógena, na qual os agentes já se encontram nos alimentos antes de sua obtenção; e de origem exógena, na qual os alimentos são contaminados durante sua manipulação.

Em resumo, como fatores de controle devem ser considerados, os materiais de embalagem, as temperaturas de armazenamento, uma eficaz rotação de estoques e o ambiente das instalações. Relativamente aos manuseadores, eles devem ter roupa de trabalho adequada (casacos, botas, toucas, mascaras, etc.) e formação apropriada em práticas de higiene e nos processos devendo estes ter conhecimento das instruções, normas, especificações, legislação aplicável (ou outros). É indispensável avaliar a sua higiene pessoal e ser efetuado o controle da saúde quer definido pela legislação, quer especificado em outro documento. Quanto às instalações, deve estar definida a sua concepção higiênica assim como os requisitos para os processos de limpeza.

Os equipamentos devem ter a manutenção adequada, e quando aplicável, verificados e/ou calibrados para assegurar que se mantêm capazes de operar de acordo com os requisitos especificados. Devem ser considerados todos os equipamentos de inspeção, medição e ensaio cujo resultado possa afetar a qualidade do produto final. Na restauração o equipamento de medição de temperaturas é crítico. Todas as calibrações devem ser rastreadas a padrões internacionais (sempre que aplicável). O plano da qualidade deve identificar os pontos de controle para inspeções e ensaios a matérias primas e embalagem em curso e finais. A análise de risco pode ser usada para identificar os pontos de controle.

Após execução das inspeções e ensaios os problemas detectados devem ser identificados, deve estar definido método de identificação do estado de inspeção para prevenir a utilização inadvertida. Como exemplo de identificações: Passou/Falhou; Aceito/Recusado, Aguardando Inspeção que marquem de forma clara o produto. Sempre que for detectado um produto não conforme, identificado pelas inspeções, reclamações de clientes ou auditorias da qualidade internas. O sistema da qualidade deve prevenir a utilização inadvertida desses produtos até que seja tomada uma decisão de como lidar com eles. Deve ser feita a rastreabilidade do lote desse produto de forma a possibilitar a segregação de potenciais produtos não conformes.

Uma vez que um problema é identificado, há a necessidade de não apenas corrigir a situação de imediato como também identificar, quando possível, as causas. Uma vez que tenham sido identificadas, devem ser tomadas ações para evitar novas ocorrências. As ações corretivas devem ser endereçadas à área responsável, como exemplo auditorias de higiene e análises microbiológicas. Quando apropriado a utilização de técnicas de análise de risco devem ser aplicadas para preencher todos os aspectos preventivos da norma.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Dicas Qualidade Online

Já que eu gosto de andar por esse mundo de deuses e cozinhar, a partir de agora o site vai editar textos dando dicas para os internautas que visitam São Paulo para cursos ou férias e mesmo para aqueles que moram na cidade. Comida, passeios, receitas, dicas de informática, etc. …tudo visando uma melhor qualidade de vida.

Japonês em Itanhaém – Estive em Itanhaém por esses dias e jantei em um restaurante japonês no centro da cidade (Asahi). Tocado por mãe, pai e filho (o sushiman), não deixe de pedir o espetinho de camarão como entrada (peça dois ou mais porque é muito bom, sequinho e saboroso). Tem teishoku, yakissoba e o combinado de sushi no barquinho, com 15 fatias de sashimis, seis niguirisushis e oito sushis Califórnia. Voltei à Itanhaém e esse restaurante está servindo comida por quilolograma, com a mesma qualidade. Há queijo de soja, missoshiro, salmão na brasa, camarões fritinhos (deliciosos), saladas e muito mais, tudo pesado honestamente e você só paga o que vai comer. A qualidade é uma das melhores da  cidade. Além de tudo tem a Fernanda (a filha dos donos – uam figura fantástica), Vale a pena ir! Praça Carlos Botelho, 71, Centro, Itanhaém – (13) 3422-4319.