Como manter o foco no trabalho num mundo dispersivo

 
   

Requisitos de segurança para aparelhos eletrônicos

Quem leva na bagagem secador de cabelo, chapinha ou ferro de passar roupa deve redobrar a atenção. Esses eletrônicos normalmente funcionam com uma só voltagem e você corre o risco de ver fumaça saindo do aparelho se não verificar antes o sistema adotado no destino. Em caso de voltagem incompatível, será preciso usar um conversor. Pelo menos se não quiser andar com a roupa amassada ou adotar um look com cabelo ao natural. Eletrônicos recarregáveis, como laptops, câmeras fotográficas e telefones celulares, geralmente são bivolts, uma preocupação a menos. Confira mais sobre o assunto e as normas relacionadas clicando aqui.

Está muito difícil manter o foco em qualquer atividade durante o dia todo. Existem barulhos, conversas paralelas, ligações, internet, o que faz qualquer pessoa se desconcentrar no trabalho. E essa falta de foco pode custar milhões ou até bilhões de dólares por ano.

Quem visualiza o que vai fazer durante o dia se distrai menos e se torna menos dispersivo. É importante ter uma atividade física antes de ir para o trabalho. A pessoa se sente mais alerta e preparada para o dia após uma sessão de corrida e musculação. Outra media é não se deixar arrastar pelos sentimentos, como raiva, tristeza, ciúmes, impotência. Deve-se respirar e procure voltar para o momento presente. Também, não se permita que o passado e o futuro ocupem sua mente a todo o momento. Essa ocupação constante é inútil. Foque no presente no que estiver fazendo agora,

Treinar a atenção para o aqui e o agora vai fazer com que se envolva mais profundamente no trabalho. Uma noite de sono é fundamental para um dia de trabalho sem dispersão. Mas é preciso um treinamento para ter um descanso profundo. Deite-se na cama de barriga para cima e vá soltando o corpo, procurando visualizar cada parte dele e mentalizando uma palavra ou imagem que traga tranquilidade. Fique atento a respiração. É comum acordar com soluções para o dia.

Para lidar com as pressões e as angústias do dia a dia profissional, como prazos curtos, cortes de pessoal e falta de estimulo, pense que, apesar de importante, o trabalho é apenas uma etapa da vida. Saiba extrair dos acontecimentos o que é essencial para você. Cultive amizades sadias no trabalho. Tudo fica mais simples e agradável quando se pode contar com uma rede de suporte mútuo.

Para o especialista em gestão do tempo e produtividade Christian Barbosa, se alguém perguntar agora quantas vezes você perdeu o seu foco com outras atividades, ligações, e-mails, redes sociais ou pessoas, provavelmente diria que foram inúmeras as pausas, não é mesmo? Um ingrediente que está em falta no dia-a-dia das pessoas, cada vez mais, é o foco. A tecnologia e o ambiente de trabalho têm sido fatores determinantes para todo mundo deixar de manter a concentração de determinadas tarefas.

“Essa desatenção cria, consequentemente, o modelo de multitarefação, ou seja, as pessoas preferem adotar esse método para correr atrás do tempo perdido e realizar todas as pendências em curto prazo. Feito alguns cálculos, consegui avaliar que multitarefa pode custar de uma a três horas por dia. Isso quer dizer que, se cumpríssemos apenas uma atividade por vez economizaríamos algumas horas diárias, produzindo o mesmo volume de atividades, em um menor espaço de tempo. De acordo com pesquisa realizada pela Workplace Options, empresa especializada em serviços de Estrutura Analítica de Projetos (EAP) para analisar o resultado da perda de foco, ao serem questionados, 53% dos entrevistados afirmaram que as distrações no ambiente de trabalho afetam sua produtividade. Segundo Jonathan Spira, co-autor do estudo, estas distrações chegam a custar US$ 650 bilhões por ano! É muito dinheiro gasto de maneira improdutiva, não é mesmo?”, diz.

A pesquisa ainda questionou os profissionais sobre o uso da tecnologia nas empresas. Para 60% dos trabalhadores, ter um smartphone auxilia no aumento da produtividade. Já 35% afirmaram que esses equipamentos aumentam o nível de distrações durante o dia e, para 50% dos participantes esse padrão se replica na vida pessoal. “Agora, somando o problema dos aparelhos tecnológicos com as redes sociais, a situação se agrava. No estudo, 55% dos entrevistados sentem que acessar esses meios de comunicação no trabalho aumenta um pouco ou de forma significante o volume de distração. Imagine mais da metade de sua empresa deixando de prospectar novos clientes, criar os relatórios do mês ou pensar em novas ações por terem dedicado tempo às atividades circunstanciais, aquelas que não trazem resultados efetivos. Provavelmente toda a produtividade do seu negócio seria comprometida”, explica.

Barbosa acredita que outro resultado importante divulgado na pesquisa remete ao que todos já perceberam que 42% dos entrevistados estendem o seu horário de expediente para poder trabalhar sem serem interrompidos. Isso é a tradução de que as pessoas estão precisando de mais tempo para fazer as mesmas atividades que fariam durante um dia normal de trabalho, caso não fossem interrompidas com todas essas demandas. “E esse problema não fica só na pesquisa, há consequências: cerca de 1/4 dos entrevistados conhecem alguém que foi demitido por perder tempo no escritório com esses tipos de distrações. E você, anda perdendo o seu foco?”, pergunta

Ele acrescenta que existem algumas ações que podem auxiliar no cumprimento das atividades mais concentrado:

  • E-mail – Ficar com e-mail aberto faz o nível de interrupções crescer e aumenta a sensação de atividades por fazer. Defina períodos para lidar com as suas mensagens;
  • Redes sociais – Você usa twitter, facebook, orkut, etc.? Controle a ansiedade de ficar conectado a essas redes. Utilize em eventuais intervalos do dia ou no horário de almoço.
  • Pessoas – Se muita gente interrompe você, pode ser porque sua comunicação não anda muito adequada. Faça uma revisão de como redige os e-mails, concede informações e delega atividades. 
  • Ainda está com falta de foco? – Começa uma atividade e em pouco tempo salta para outras tarefas? Se a atividade for grande, quebre em pequenas atividades, feche qualquer outro software que não esteja usando, coloque o celular no silencioso e, se funcionar para você, ouça música.

“E lembre-se: não ter foco para cumprir suas atividades diárias pode custar bilhões de dólares! E mais, o problema só tende a se agravar. Então, vá atrás da concentração e seja mais produtivo”, conclui.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Dicas Qualidade Online – Cozinha cabocla

Carne de panela à cabocla – Pegue um lagarto e, com o auxilio de uma faca, perfure a carne e introduza pequenas porções de toucinho e azeitonas. Tempere a carne com alho, cebola e sal amassados no pilão, e um pouco de vinho tinto seco. Deixe descansar durante uma hora. Leve ao fogo uma panela com azeite, coloque a carne e junte aos poucos o molho em que temperou a carne. Tampe a panela, deixe em fogo regular. Pingue água quente aos poucos até que a carne cozinhe.Quando estiver quase pronta, coloque cinco batatas descascadas. Quando estiver pronta, retire e, ao molho que se formou, acrescente uma cebola cortada em rodelas e três tomates, sem pele e picados. Deixe engrossar e jogue sobre a carne. Sirva a seguir.

Anúncios

Qualidade cartorial

Jogo da Responsabilidade Ambiental e Jogo da ISO 14001

Jogo da Responsabilidade Ambiental e Jogo da ISO 14001

DOIS DESAFIOS PARA O TREINAMENTO EMPRESARIAL – Dois jogos divertidos, para treinar e conscientizar seus funcionários sobre a importância do tema Meio Ambiente. Acompanha 100 cartas de baralho com assuntos da ISO14001 e sobre Ar, Agua, Solo e Responsabiliade Ambiental, peões e dados, além de um tabuleiro com dupla face onde cada lado tem um jogo. Clique para mais informações.

Filas, distribuição de senhas para atendimento, demora na prestação de serviços, etc. Isso era e ainda é a realidade dos serviços cartoriais no Brasil. A maioria tem gestão deficiente ou mesmo inexistente, além do número elevado de demandas de trabalho e, na maioria dos casos, poucos servidores para atendê-las. Isso poderá mudar a partir da obrigação da prestação de concursos públicos de provas e títulos para ingresso ou remoção no serviço extrajudicial (administração de cartórios). A decisão atinge de frente todos os cartórios destinados ao registro civil, de títulos e documentos, de notas, de registro de imóveis e de protestos de títulos.

Essa história remonta ao período colonial, onde o provimento dos cartórios (tornar titular em caso de vacância) se dava através da nomeação do escrevente mais antigo, independentemente de qualquer avaliação. E como este escrevente mais antigo quase sempre era parente do titular anterior, na prática, esta titularidade e seus ganhos tornaram-se propriedade familiar de sucessão hereditária. Isto perdurou até a promulgação da Constituição de 1988, quando se passou a exigir concurso para o provimento das vacâncias.

Alguns defendem a aplicação do Código de Defesa do Consumidor nos serviços dos cartórios, porém há problemas com os serviços nos quais há algum envolvimento do Estado. Numa lógica racional, independente do pagamento ser direto (pelo consumidor) ou indireto (pela população, via tributos), não existe motivo para um serviço público ter qualidade diferente de um serviço privado. Entretanto, essa lamentável circunstância faz parte da realidade e da cultura brasileira.

Por tudo isso é que a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) colocou em discussão um projeto de norma para a gestão empresarial para serviços notariais e de registro- Requisitos. A ideia é estabelecer os requisitos de sistema de gestão empresarial, para demonstrar a capacidade dos serviços notariais e de registro de gerir seus processos com qualidade, de forma a satisfazer as partes interessadas, atender requisitos legais, elementos de gestão sócio-ambiental, saúde e segurança ocupacional, visando a excelência nos serviços. Além de propor um processo de liderança, de planejamento estratégico e gestão dos resultados, o texto em discussão prevê foco nas partes interessadas.

O serviço deve possuir sistemática para levantar e entender a percepção das partes interessadas e usá-las para promover mudanças. O serviço deve possuir mecanismos que permitam e facilitem às partes interessadas a se comunicar, utilizar seus serviços e fazer suas reclamações e/ou sugestões. No que tange a uma abordagem pró-ativa, o Serviço deve dispor de um canal aberto com os usuários. Como nota, a norma diz que a disponibilização de web site com opção fale conosco, consulte seu pedido, etc., é considerada um canal aberto com o usuário.

Quanto á gestão dos processos de prestação de serviços, o serviço deve disponibilizar para seus colaboradores e usuários instalações consideradas adequadas, atendendo a padrões ergonômicos. Para o acesso de usuários com necessidades especiais, devem estar disponíveis estruturas que permitam um acesso facilitado e/ou outras formas de atendê-los (ex.: rampas, banheiros remodelados, etc.). O serviço deve disponibilizar, sempre que possível, áreas de espera climatizadas, banheiros diferenciados conforme os sexos, e outras formas de conforto. O ambiente de trabalho deve ser adequado quanto à iluminação, espaço de trabalho, segurança ocupacional, conforto e que permita certa confidencialidade de área para área.

Para cada tipo de serviço ou produto (ex. documentos e atos) solicitado pelo usuário, devem existir indicações claras aos mesmos dentro das instalações, para que saibam para onde e como se dirigirem, a fim de prontamente serem atendidos com eficiência. O serviço deve dispor de meios de manutenção, de forma a manter suas instalações sempre em condições adequadas de funcionamento.

Já as informações aos usuários, referentes a emolumentos e demais despesas legais deverão ser dadas, de forma que o usuário saiba claramente os valores envolvidos, evitando surpresas e descontentamento. Os usuários deverão ser informados quais são todos os documentos necessários que devem ser apresentados em uma única oportunidade, evitando retornos desnecessários. Além disso, o texto da norma diz que o serviço pode disponibilizar, sempre que possível, informações via web site, de forma que os usuários possam entender os processos, os documentos necessários, os valores envolvidos, evitando que tenham que retornar várias vezes.

O que a sociedade espera com essa norma é a melhoria dos serviços prestados. Há cartórios com boa estrutura, com serviço rápido, informatizado, bom atendimento, boa equipe de funcionários. Mas há muitos cartórios com péssimo atendimento, demorados e, o pior, sem a devida segurança ou garantia de que os documentos estão, e estarão, sempre bem armazenados. Segundo a Comissão Nacional de Justiça (CNJ), o faturamento bruto dos cerca de 12.000 cartórios existentes está assim distribuído: 5.265 têm receitas de até cinco mil reais por mês. 1.427 têm receitas entre cinco mil e dez mil reais por mês. 2.835 têm receitas entre dez mil e cem mil reais a cada mês. 629 geram entre cem mil e quinhentos mil. 103 cartórios geram mais de quinhentos mil reais por mês, sendo que alguns geram mais de dois milhões. Desses valores, entre 30% e 50% vão para o Estado ou para o Tribunal de Justiça, nos chamados emolumentos, dependendo do Estado e do tipo de ato. Para votar na norma, acesse o link http://www.abntonline.com.br/consultanacional/ e depois clique em ABNT/CEE-148 Gestão Empresarial Cartorária. Há a necessidade de se efetuar um cadastro que é gratuito.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.