Onde está o conhecimento?

A Revista Banas Qualidade, com o objetivo de reconhecer as empresas com melhores praticas de gestão, lançou o Selo Best Quality 2010 que se utiliza de  critérios baseados nos itens da norma ISO 9001:2008. Para mais informações clique aqui.

Esse site já abordou a gestão do conhecimento em https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/01/07/gestao-do-conhecimento/ A verdade é que a humanidade vive no momento a era do conhecimento, com destaque para a avaliação do poder lucrativo e de continuidade das empresas, sob a ótica do capital humano, um intangível que, se já era de interesse dos estudiosos no passado, passou a ganhar um relevo especial atualmente. O que alguns estudiosos denominam de capital intelectual é um valor de poder empresarial, imaterial, mas determinável. E o que é esse bendito conhecimento?

O conhecimento individual é aquele que se acha representado pela educação, experiência, habilidades e atitudes das pessoas que trabalham na empresa. Não é propriedade da companhia, pois, tem caráter subjetivo. O simples contratar pessoas que passam a exercer seu conhecimento na célula social não outorga um valor agregado definitivo, mas, apenas, uma ação temporária sob o risco permanente de deixar de existir. Quando alguém vai para casa leva estes ativos intelectuais consigo.

Entretanto, se um conhecimento é moldado para ser utilizado nos negócios e se em torno do mesmo são criados sistemas de execução, transferíveis, a cultura formada adquire, praticamente, uma força agente que pode sob certas circunstâncias ser considerada como um ativo imaterial. Em virtude das novas tecnologias, da internet, da concorrência entre as células sociais e o cliente sempre mais exigente há maior interesse no aprimoramento cultural do empregado que faz parte da organização e na valorização do ativo intelectual.

NBR ISO 26000

Publicada em 01 de novembro de 2010 a norma sobre as diretrizes sobre responsabilidade social, a NBR ISO 26000 foi baseada na ISO 26000. Esta norma fornece orientações para todos os tipos de organizações, independentemente do porte ou localização, sobre conceitos, termos e definições referentes à responsabilidade social. Clique para mais informações.

A empresa — que não partir para a inovação cultural de seu pessoal a fim de criar novos procedimentos e ter a capacidade de mudanças — estará com sérias dificuldades num mercado cada vez mais exigente e competitivo. O cliente mais consciente quanto ao atendimento, qualidade patrimonial e preço buscará certamente a empresa proporcionar o que ele precisa para satisfazer a sua necessidade. Aí vence a célula social que estiver com o pessoal melhor preparado e que possuí a mercadoria que satisfaz o cliente. A conquista do cliente exige criatividade e capacidade de motivação como pontos importantes.

A capacidade intelectual do empregado, moldada a um sistema de trabalho específico e com método adequado, é importante para o êxito da organização. Este ativo imaterial fará diferença de uma empresa para sua concorrente. A célula social pode adquirir tais forças intelectuais ou investir na formação delas. Deverá buscar manter tais ativos intangíveis sempre atualizados e em constante evolução isto passa a ser um objetivo estratégico de valor.

Este agente externo ao meio patrimonial poderá levá-lo a eficácia ou a ineficácia. A probabilidade de eficácia do meio patrimonial será maior onde há conhecimento. Este ativo imaterial fará diferença na prosperidade ou não da célula social. Quanto maior o conhecimento maior a probabilidade de eficácia. Quanto mais eficácias ocorrerem melhor o desempenho patrimonial volvido à prosperidade.

Cada trabalhador com sua cultura é importante na célula social pois cada um tem uma função a cumprir do mais humilde ao mais graduado. Cada um participando no bom andamento do todo da organização. Somando as habilidades intelectivas dos elementos da célula social teremos o conhecimento coletivo.

Já o conhecimento coletivo é o conjunto formado por parcelas de intelectualidades individuais e moldado a uma filosofia empresarial, enriquecida pela tecnologia. Há uma tendência de transformar uma empresa hierarquizada em uma estrutura mais plana, mais dinâmica e ágil onde os trabalhadores participam nas decisões da empresa e é levado em conta o conhecimento e a experiência dos trabalhadores. Há valorização da cultura dos empregados e há interesse em atualização do conhecimento por meios de palestras, leituras, treinamentos, etc. Nessas empresas há a valorização do ativo intelectual e há interesse na cultura da célula social.

Enfim, a informação que interessa aos gestores, e que não está suficientemente expressa nos balanços e documentos contábeis tradicionais, se refere a atividades de pesquisa e desenvolvimento, recursos humanos, processos produtivos, capacidade de inovação e valores que conduzem os produtos ao consumidor. Os estudiosos estão se preocupando na mensuração dos ativos imateriais e do conhecimento gerado pelo elemento humano que vai movimentar o capital da organização.

Dessa forma, conhecer é incorporar um conceito novo, ou original, sobre um fato ou fenômeno qualquer. O conhecimento não nasce do vazio e sim das experiências que acumulamos em nossa vida cotidiana, através de experiências, dos relacionamentos interpessoais, das leituras de livros e artigos diversos. Assim, os seres humanos são os únicos capazes de criar e transformar o conhecimento; os únicos capazes de aplicar o que aprende, por diversos meios, numa situação de mudança do conhecimento; os únicos capazes de criar um sistema de símbolos, como a linguagem, e com ele registrar as próprias experiências e passar para outras pessoas. Essa característica é o que permite dizer que há uma diferença entre os humanos e os gatos, os cães, os macacos, etc. Ao se criar esse sistema de símbolos, por meio da evolução da espécie humana, permite-se também pensar e, por consequência, ordenar e prever alguns fatores.

Siga o blog no TWITTER 

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

NBR 18801 – Os requisitos para um Sistema de Gestão de Saúde e Segurança no Trabalho

Glossário Técnico Gratuito

Disponível em três línguas, a ferramenta permite procurar termos técnicos traduzidos do português para o inglês e para o espanhol. Acesse no link http://www.target.com.br/portal_new/ProdutosSolucoes/GlossarioTecnico.aspx?ingles=1&indice=A

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou a NBR 18801 de Sistema de Gestão de Saúde e Segurança no Trabalho (SST) – Requisitos, a fim de auxiliar no gerenciamento pela redução de acidentes e doenças ocupacionais. Alguns dos referenciais da norma são a normativa internacional OHSAS 18001 (Occupational Health and Safety Assessment Series) e as Diretrizes sobre Sistemas de Gestão de SSO da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Segundo a ABNT, essa norma vai além e busca levar em conta peculiaridades da realidade brasileira e das micro e pequenas empresas. Ela engloba o gerenciamento dos processos em questões de saúde e segurança no trablaho, estimulando a melhoria contínua das condições de trabalho e contribuindo para a redução de custos, riscos, acidentes e doenças ocupacionais. Nesse site já foi publicado um texto sobre o assunto em https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/01/22/ohsas-180012007/

Nas definições da norma, o termo risco tolerável foi substituído por risco aceitável e perigo não mais se refere a danos a propriedade ou ambiente de trabalho. Agora é considerado que não está diretamente relacionado com saúde ocupacional e gestão de segurança, que é o foco do padrão OHSAS e está englobado no escopo de gerenciamento de bens. Em vez disso, o risco de dano como efeito na segurança e saúde ocupacional deverá ser identificado através de processos de análise de risco da organização e controlado através da aplicação apropriada de controle de riscos. Em resumo, a OHSAS 18001:2007 tornou-se mais compatível com a ISO 14001:2004 e ISO 9001:2008, inclui conceitos modernos e comprovados de segurança e saúde ocupacional e traz uma melhor definição de seus termos e conceitos. As organizações já certificadas pela OHSAS18001 contarão com um período de transição de dois anos, que venceu em julho de 2009 e devem começar a implementar as melhorias e o alinhamento o mais rápido possível para se beneficiar das novas mudanças. Faça um treinamento ou passe informações para o seu pessoal com uma apresentação em power point disponível no link https://qualidadeonline.files.wordpress.com/2010/12/ohsas-18001.ppt 

 

Quer comprar a norma NBR 18801:2010 – Sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho – Requisitos, cole o link http://www.target.com.br/portal_new/Pesquisa/Resultado.aspx no seu browser.

Leia mais sobre o assunto nos links:

https://qualidadeonline.wordpress.com/2011/01/21/uma-matriz-de-riscos-para-a-saude-e-seguranca-ocupacional/

https://qualidadeonline.wordpress.com/2011/04/06/nbr-18801-algumas-duvidas-sobre-saude-e-seguranca-no-trabalho/

 

Acidentes do trabalho

O número de acidentes de trabalho no Brasil vem crescendo, pois enquanto em 2001 ocorreram mais 340 mil acidentes de trabalho, em 2007 este número subiu para 653 mil ocorrências. Um aumento de 92% no número de acidentes de trabalho. Somente em 2007 foram registrados 2,8 mil mortes por acidentes de trabalho em todo o Brasil, são quase oito mortes diárias.

Esse crescimento no número de acidentes de trabalho foi verificado em todos os setores econômicos e, em 2007, sofreu influência dos acidentes sem Comunicações de Acidentes de Trabalho (CAT), registrados por meio do nexo técnico epidemiológico. Segundo dados do governo, os acidentes e doenças do trabalho custam, anualmente, R$ 10,7 bilhões aos cofres da Previdência Social, através do pagamento do auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadorias. Deve ser frisado que essas estatísticas de acidentes de trabalho refletem somente os acidentes registrados pela Previdência Social. Estima-se que ainda haja no Brasil uma alta taxa de subnotificação de acidentes de trabalho.

CLIQUE NA FIGURA PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Aumente as suas vendas com o e-mail marketing

Email-Qualidade – A comunicação com os seus clientes de qualidade, meio ambiente, metrologia e normalização ficou mais fácil, rápida e eficaz. Saiba como, clicando aqui.