Panela de pressão: quando bem usada e com boa manutenção não há perigo

A melhor maneira de se combater incêndio é evitá-lo!

NBR17240 – Sistemas de detecção e alarme de incêndio – Projeto, instalação, comissionamento e manutenção, detecção e alarme de incêndio – Requisitos.

Esta norma especifica requisitos para projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas manuais e automáticos de detecção de incêndio em e ao redor de edificações, conforme as recomendações da ABNT ISO/TR7240-1 . Clique para mais informações.

Uma das peças mais utilizadas em cozinhas de lares e restaurantes é a panela de pressão, que responde por aproximadamente 2.000 acidentes por dia no Brasil e a causa mais provável, segundo os fabricantes, é o entupimento de válvulas de segurança. Há casos em que as pessoas colocam mais alimento que a capacidade da panela, entupindo a válvula no cozimento, podendo haver uma explosão. O ideal é ler o manual de instrução da panela, respeitando a capacidade indicada pelo fabricante. Geralmente, o indicado é usar 65% da capacidade do utensílio, ou seja, em um recipiente com capacidade de cinco litros, deve-se colocar um volume de apenas três litros aproximadamente.

Um especialista explica que não basta só colocar água e alimento na panela e levá-la ao fogo. Para ele, o cuidado deve começar desde a compra do objeto, que deve ter o selo do Inmetro. Não é recomendável comprar de ambulantes, pois não há garantia de procedência, o que pode ser perigoso para quem vai utilizar o material. No uso diário, é preciso ficar atento ao colocar os condimentos, temperos e verduras na panela de pressão. Alguns desses condimentos ou até mesmo alimentos, podem provocar o entupimento da válvula. Enquanto a panela estiver no fogo, é preciso observar se a válvula está funcionando normalmente, se está aliviando ou não a pressão.

Glossário Técnico Gratuito

Disponível em três línguas, a ferramenta permite procurar termos técnicos traduzidos do português para o inglês e para o espanhol. Acesse no link http://www.target.com.br/portal_new/ProdutosSolucoes/GlossarioTecnico.aspx?ingles=1&indice=A

Se a válvula não estiver liberando pressão, provavelmente está obstruída e o alívio deverá ser feito mecanicamente. Um garfo ou uma faca pode ajudar a resolver. Para isso, basta levantar a válvula, com cuidado para não se queimar. Antes de abrir a panela, é fundamental verificar se está totalmente sem pressão. Nunca force a tampa para abrir.

E como funciona esse tipo de panela? Nas panelas abertas a água ferve a temperatura próxima de 100°C, dependendo da altitude. Lembrando que a pressão atmosférica ao nível do mar é 1atm e que submetida a essa pressão a água ferve a 100°C. A panela de pressão foi inventada pelo francês Denis Papin e cozinha mais rapidamente os alimentos porque a temperatura da água no seu interior ultrapassa os 100°C, atingindo temperaturas próximas de 120°C.

A panela é fechada de maneira que o vapor d’água que se forma no seu interior, não se dissipa facilmente para o ambiente. Desta maneira, a pressão interna da panela aumenta, podendo chegar a 2 atm. Nesta pressão a água ferve a uma temperatura aproximadamente igual a 120°C. Como a água atinge uma temperatura maior, os alimentos são cozidos com maior rapidez. Por segurança, elas possuem uma válvula para controle de pressão, e uma válvula de segurança. A válvula para controle de pressão permite a saída do vapor d’água quando a pressão deste vapor atinge um limite. Caso a pressão interna ultrapassa o valor suportado pela panela, a válvula de segurança se rompe.

Por tudo isso, a Associação Brasileira de Normas Técnicas colocou em consulta nacional duas normas para as panelas de pressão até o dia 14 de fevereiro de 2011. Os documentos foram revisados pela Comissão de Estudo Especial de Utensílios Domésticos Metálicos (ABNT/CEE-66), da qual participam produtores, consumidores e os chamados neutros (universidades, laboratórios e outros). São dois os projetos: ABNT NBR 15684 – Utensílios domésticos metálicos – Peças de reposição para panela de pressão; e a ABNT NBR 11823 – Utensílios domésticos metálicos – Panela de pressão. O primeiro projeto compreende a definição de peças de reposição, como válvulas de segurança e de pressão, anel de vedação, alças de cabos, entre outras. Já o segundo apresenta os requisitos para fabricação de panelas de pressão com fechamento interno ou externo e capacidade volumétrica de até 30 litros, estabelecendo os métodos de ensaios.

A norma especifica que o controle da pressão deve ser efetuado por meio de massas livres ou por molas. Qualquer sistema diferente dos previstos deve atender aos requisitos desta Norma. No caso de válvula reguladora de pressão acionada por molas, esta deve ser projetada de modo que sua montagem não altere a pressão interna da panela, seja de maneira acidental ou proposital, e, conseqüentemente, as especificações do fabricante. A válvula reguladora de pressão deve ser projetada de modo que seja fácil de limpar, quando desmontada, devendo constar no manual de instruções procedimentos de desmontagem, montagem e limpeza.

Além da válvula reguladora de pressão do vapor, a panela deve ter no mínimo uma válvula de segurança abrindo diretamente para o exterior da panela. Esta válvula de segurança pode ser do tipo não repetitivo (destrutível) ou do tipo repetitivo (de funcionamento contínuo). A válvula de segurança deve ser construída de tal forma a não permitir a sua montagem invertida. Caso não haja esta possibilidade, deve haver indicação nas peças informando o sentido correto de montagem.

A válvula de segurança, quando acionada, não deve desprender-se da panela. Caso isso ocorra, deve existir uma proteção que impeça sua projeção. O modelo não repetitivo deve ser constituída por um disco ejetável, um plugue fusível, um pino fusível ejetável ou outro dispositivo adequado para propiciar alívio de pressão. Já a repetitiva deve ser um dispositivo adequado para propiciar alívio de pressão, de forma que, após seu funcionamento, retorne automática ou manualmente à sua condição original, sem a utilização de objetos que danifiquem suas características funcionais e que não permita ao usuário sua remontagem de forma que altere seu funcionamento.

As pressões de trabalho devem ser determinadas conforme segue: a) instalar um manômetro classe A com resolução máxima de 1,0 kPa, acoplando-o diretamente à panela de pressão através de uma mangueira com 1 200 mm ± 200 mm de comprimento e diâmetro interno de 6,35 mm, de modo que seja possível a verificação da pressão interna da panela durante o ensaio; ajustar a válvula reguladora de pressão para sua regulagem máxima; colocar na panela o volume de água correspondente à metade ± 10 % do volume interno do corpo; colocar a panela de pressão sobre um fogão elétrico com potência de 3,3 kW ± 0,2 kW; quando o manômetro indicar – 10 % da pressão nominal, cronometrar 5 min. A pressão máxima registrada durante esse tempo não deve ser superior a + 10 % da pressão nominal. Para a realização dos ensaios, utilizar uma amostra de cada tipo ou modelo de panela de pressão, de acordo com a tabela abaixo:

CLIQUE NA TABELA PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO

Siga o blog no TWITTER 

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

 

EMAIL-QUALIDADE

Aumente as suas vendas com o e-mail marketing

A comunicação com os seus clientes de qualidade, meio ambiente, metrologia e normalização ficou mais fácil, rápida e eficaz. Saiba como, clicando aqui.