Workaholic: os viciados em trabalho

A gestão da continuidade dos negócios
Como garantir os processos fundamentais para que uma empresa, após ter passado por um incidente gerador de uma ruptura do negócio, retorne à sua condição normal, conseguindo, dessa forma, minimizar os prejuízos? A norma NBR 15999, de 2008, foi publicada em duas partes, a parte 1 trata do código de prática e a parte do descreve os requisitos, mostra que a continuidade hoje deve ser tratada como atividade indispensável para a manutenção dos negócios, sendo discutida no nível de diretoria e suas diretrizes disseminadas por toda a empresa. Clique para mais informações.

Num mercado de trabalho bastante competitivo, somado à à pressão por resultados rápidos e com a necessidade de sobrevivência, fez com que nos últimos tempos os profissionais exagerassem na dedicação ao trabalho, cumprindo exaustivas jornadas diárias. Contudo, para os chamados workaholics (viciados em trabalho), toda essa correria é normal e faz parte do seu dia a dia. A revista Exame divulgou um teste para saber se a pessoa é um desses trabalhadores compulsivos:

  • Você tem dificuldade de relaxar ou repousar no seu tempo livre e evita tirar férias?
  • Faz muitas coisas ao mesmo tempo e marca o maior número de compromissos no menor espaço de tempo possível?
  • Releva a vida pessoal e familiar em prol do trabalho?
  • É agressivo ou muito competitivo no trabalho?
  • Trabalha ou lê quando come, ou antes de dormir?
  • Tem dificuldade em estabelecer limites de horários para trabalhar?
  • Teme a aposentadoria?
  • Sente-se culpado quando relaxa ou não trabalha?

Se você respondeu sim em pelo menos três questões, fique alerta: você está entrando no limite de ser um workaholic. Caso a resposta tenha sido positiva para a maioria das questões (cinco), você apresenta as características de um workaholic.

Caracterizados por não conseguirem se desligar do trabalho, mesmo durante os fins de semana e nas férias, os workaholics são pessoas comuns, mas altamente propensas ao estresse e à baixa autoestima. No entanto, dificilmente as pessoas percebem ou reconhecem que estão viciadas no trabalho.

De acordo com o psiquiatra da Paraná Clínicas, em Curitiba, Lincoln Cesar Andrede, a maioria dos workaholics possui um padrão de personalidade, também chamada de tipo A, próprio de pessoas suscetíveis a doenças cardiovasculares, apresentando as seguintes características:

– Ansiosos;

– Incapacidade de relaxar;

– Bastante competitivos;

– Exigentes consigo mesmos;

– Suscetíveis ao estresse;

– Impacientes;

– Baseiam suas vidas no relógio;

– Vivem com uma espécie de urgência de tempo;

– Realizam mais de uma tarefa ao mesmo tempo: dirigem comendo, falam ao telefone e retocam a maquiagem, etc.;

– Baixa tolerância à frustração.

Segundo Andrade, a maioria dos workaholics deve cumprir quase todos esses itens, mas dificilmente reconhecerá que não consegue se desvencilhar do trabalho, pois é ali onde elas se realizam. “Perceber e reconhecer esses traços na personalidade é o principal meio para chegar à cura e se livrar do vício”, alerta o especialista. Segundo ele, é importante que o tratamento psicológico seja feito para evitar consequências, como: hipertensão, acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos e desenvolvimento de doenças cardíacas.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: