Qualidade de vida: o fascinante mundo da leitura

Flávia Cunha Lima

Apesar de existir há mais de três mil anos, a literatura ainda conquista novas mentes no mundo moderno. Engana-se quem pensa que ler é um hábito cujos dias estão contados: as vendas de livros juvenis aumentaram seis vezes nos últimos cinco anos e os jovens têm consciência da importância que a leitura tem em suas vidas.

O grande desafio dos pais e dos educadores é fazer com que a criança dê os primeiros passos no universo dos livros. A princípio, alternativas de entretenimento passivas, como televisão e videogame, parecem muito mais interessantes. Contudo, se a prática é estimulada desde cedo, a criança pode descobrir que o esforço para a leitura é recompensado com histórias fantásticas e personagens muito mais atraentes do que os do desenho animado.

É importante que as crianças tenham contato com livros desde cedo, mesmo antes de aprenderem a falar. O objeto estimula a curiosidade e, conforme as histórias são contadas, aumenta o interesse em descobrir o que tem ali dentro. Contar histórias é uma atividade que deve ser rotina na vida de quem tem filhos pequenos, pois é um momento importante tanto para o aprendizado quanto para a consolidação da relação entre pai e filho.

Levar os filhos para livrarias e bibliotecas também estimula a curiosidade e ajuda a motivar a leitura. Nesse momento, deixar a criança escolher o livro é essencial. Contudo, devemos ficar atentos para o conteúdo, que deve ser adequado à faixa etária. Se não houver ressalvas, os pais podem levar a obra com tranquilidade e deixar que a criança saboreie a leitura.

A criança que lê tem contato com informações de diversas partes do mundo, conhece novas culturas e aprende melhor a sua própria língua. Nas páginas do livro, ela entra em contato com novas emoções e sentimentos, essenciais para construir sua identidade.

O hábito da leitura não vai morrer. Apesar do entretenimento passivo que a TV oferece parecer muito mais interessante, o prazer de descobrir um universo novo feito de tinta sobre o papel ainda é insuperável. Estimular o hábito, servindo inclusive como modelo de leitor voraz, é essencial para que as crianças quebrem a barreira da preguiça e descubram as maravilhas que a literatura oferece.

Flávia Cunha Lima é pedagoga e coordenadora da Escola Manacá – (11) 4702-0631.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: