Será que o horário comercial de trabalho da 9 às 18 horas está com os dias contados?

Coletânea Série Sistema de Gestão Ambiental

Os aspectos ambientais onde a empresa está inserida fazem com que as organizações que implantam a NBRISO 14001 em suas administrações, tenham uma vantagem competitiva em relação aos demais concorrentes, pois o consumidor enxergará essa organização não somente uma prestadora de serviços comum, mas sim como uma empresa que está interagindo com o interesse da sociedade. Se o consumidor pode escolher entre duas empresas com preço e qualidade similar, certamente ele dará prioridade à empresa que tem com o meio ambiente uma relação não danosa. Com uma visão voltada para o futuro, os legisladores estão criando leis mais rígidas, imputando sanções aos infratores, obrigando as empresas a encarar com seriedade e responsabilidade a variável ambiental em sua estratégia operacional. Clique para mais informações.

timeUma pesquisa mostrou que mais da metade dos profissionais no Brasil trabalham além das oito horas por dia e mais de 40% levam trabalho para concluir em casa regularmente. Essa evidência do horário estendido é demonstrada pela pesquisa global da Regus, maior fornecedora de locais de trabalho flexíveis, e reflete a opinião de mais de 12.000 profissionais em 85 países. A pressão por resultados influencia no aumento do número de horas de trabalho nos últimos anos. Isso ocorre devido à lenta recuperação da economia nos países desenvolvidos e, por outro lado, devido ao rápido crescimento dos países emergentes. Os principais resultados mostram que:43% dos profissionais no Brasil trabalham de nove a 11 horas por dia e no restante do mundo esse percentual é de 38%; 17% dos profissionais no Brasil e 10% em outros países trabalham mais de 11 horas por dia regularmente; no Brasil, 46% dos profissionais levam trabalho para terminar em casa, mais de três vezes por semana, no comparativo com o índice de 43% global; os profissionais remotos em todo o mundo estão mais propensos a trabalharem 11 horas por dia (14%) do que os funcionários em escritórios fixos (6%), e de levarem trabalho para casa (59%), do que os profissionais com local de trabalho fixo (26%); de forma semelhante, os profissionais remotos no Brasil (59%) levam trabalho para casa com mais frequência do que os funcionários com local de trabalho fixo (22%); e os profissionais do sexo masculino no Brasil (20%) têm quatro vezes mais chances de trabalharem 11 horas por dia, do que as mulheres (4%).

“Este estudo mostra que existe uma indefinição entre os limites do trabalho e a vida pessoal, em casa. No Brasil, onde o problema do estresse relacionado à pressão por resultados está crescendo, os efeitos a longo prazo desse excesso de trabalho podem prejudicar tanto a saúde do profissional como a sua produtividade, já que os próprios funcionários exigem demais de si mesmos e ficam frustrados, depressivos e até mesmo fisicamente doentes”, considera Guilherme Ribeiro, diretor geral da Regus no Brasil. “As mulheres parecem estar menos propensas a trabalharem mais horas por dia, provavelmente porque há mais chances de trabalharem meio período. Por outro lado, colaboradoras de pequenas empresas geralmente trabalham mais horas por dia do que funcionárias de grandes corporações”.

A pesquisa da Regus revelou ainda que funcionários remotos e móveis geralmente trabalham mais horas por dia, e há cada vez mais evidências sugerindo que os funcionários remotos são mais produtivos, têm uma maior satisfação com o resultado do seu trabalho e apresentam níveis menores de estresse. De modo geral, esses profissionais passam menos tempo se locomovendo de um local para outro, dessa forma, podem dedicar mais tempo ao trabalho. “As empresas que possibilitam aos seus funcionários trabalharem mais perto de casa e administrarem seu tempo com maior independência, irão conseguir uma diminuição do estresse; e com isso ganharão uma equipe mais produtiva, comprometida e saudável”, conclui.

Central de reciclagem

A Made in Forest está disponibilizando o site www.centraldareciclagem.org, uma central de reciclagem que é um serviço gratuito, de utilidade pública, no qual a população pode pesquisar onde descartar corretamente 36 tipos de materiais recicláveis. A proposta é sensibilizar o cidadão urbano sobre a importância de descartar os materiais corretamente e de maneira organizada, desde embalagens de alimentos e bebidas (em plástico, pet, alumínio, entre outros), além de móveis, metais, óleo usado em cozinha, vidro, eletrônicos, pilhas e baterias, pneus, lâmpadas. “O consumidor quer descartar corretamente seu lixo doméstico, o problema é que ele não sabe onde fazer esse descarte”, afirma o co-fundador da Made in Forest e um dos diretores da Central de Reciclagem, Fabio Biolcati, ao completar que “Esta novidade está em consonância com a Lei Nacional dos Resíduos Sólidos”.

O site www.centraldareciclagem.org tem ainda material Educativo em dois formatos: textos informando sobre a importância e como descartar o material e até 4 vídeos sobre cada material reciclável “Queremos que a população conheça os detalhes da reciclagem dos materiais que descarta, de modo a avaliar o impacto sobre o meio ambiente”, comenta Martin Mauro, diretor de parcerias da Central da Reciclagem.org.

Diariamente milhares de pessoas telefonam para as prefeituras e empresas para saber onde descartar todo tipo de reciclável. A resposta quase sempre é frustrante, pois a administração pública municipal e as empresas, na maioria dos casos, não têm estrutura nem pessoal para dar a resposta desejada pela população. “Somos um aliado das Prefeituras Municipais e das empresas no fornecimento de informação dos pontos de descarte espalhados em todo o Brasil” completa Mauro, apontando que é na liderança dos prefeitos e secretários de meio ambiente e na iniciativa privada onde estão as respostas desejadas pela sociedade. Para saber onde descartar entre no site www.centraldareciclagem.org , clique no material que deseja des cartar e digite sua cidade. O serviço esta disponível para que as Prefeituras de todo o Brasil identifiquem, organizem e divulguem para a população onde descartar corretamente o material reciclável em sua cidade.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: