Será que vão ocorrer mudanças no Sistema Internacional de Unidades (SI)?

NBR ISO/IEC 27003: As diretrizes para a implantação de um Sistema de Gestão de Segurança da Informação
A certificação NBR ISO/IEC 27001 geralmente envolve um processo de auditoria em dois estágios: No primeiro, faz-se uma revisão da existência e complexidade da documentação chave como a política de segurança da organização, declaração de aplicabilidade e plano de tratamento de risco. No segundo estágio, faz-se um detalhamento com auditoria em profundidade envolvendo a existência e efetividade do controle das práticas de segurança citadas na declaração de aplicabilidade e no plano de tratamento de risco, bem como na documentação de suporte. Dessa forma, o processo descrito na NBR ISO/IEC 27003 foi concebido para fornecer apoio à implantação da NBR ISO/IEC 27001, incluindo as partes relevantes das Seções 4, 5 e 7 e a sua documentação, visando a preparação de um plano para implantação do SGSI na organização, definindo a estrutura organizacional do projeto e obtendo a aprovação da direção; as atividades críticas para o projeto do SGSI e os exemplos de como atender aos requisitos da NBR ISO/IEC 27001. Clique para mais informações.

metrologyEm outubro, aconteceu a 24th General Conference on Weights and Measures (GCWM) que discutiu possíveis mudanças no SI, incluindo uma redefinição do quilograma. Segundo o diretor de Metrologia Científica e Industrial do Inmetro, Humberto S. Brandi, que participou do evento, das sete unidades de base do SI, apenas o quilograma ainda é definido em termos de um artefato material, o protótipo internacional do quilograma (um cilindro de platina irídio), o que implica em várias limitações importantes, entre as quais se destaca o fato da sua massa poder variar ao longo dos anos. Também, as definições do ampere, do mol e da candela que, como o quilograma, são unidades de base do SI, dependem do quilograma. “Esses foram alguns dos motivos pelos quais, durante a realização da 21th GCWM, em 1999,foi recomendado que os laboratórios nacionais continuassem seus esforços, refinando os experimentos que relacionam a unidade de massa (1 kg) às constantes fundamentais, ou atômicas, visando uma futura redefinição do quilograma. Desde então, muitos avanços foram feitos na direção de se adotar novas definições do quilograma, do ampere, do kelvin e do mol, em termos de constantes fundamentais”, explica.

Assim, alguns progressos foram obtidos relacionando a massa do quilograma com a constante de Planck, h, através de métodos que incluem balanças de watt e medições da massa de um átomo de silício. Já as incertezas de todas as unidades elétricas do SI, realizadas direta ou indiretamente através dos efeitos Josepshson e Hall quântico, dos valores do SI das constantes de Josephson (KJ=2e/h) e de von Klitzing (RK=h/e2), poderiam ser significativamente reduzidas se o quilograma fosse redefinido de modo a associá-lo a um valor exato de h, e o ampere fosse redefinido de modo a associá-lo a um valor exato da carga elementar do elétron e. Igualmente, o kelvin pode ser redefinido associando-o a um valor numérico exato da constante de Boltzmann k. E o mol pode ser definido associando-o a um valor exato da constante de Avogrado NA e, portanto independente da definição do quilograma. As incertezas dos valores de outras importantes constantes fundamentais e dos fatores de conversão de energia desapareceriam ou seriam significativamente reduzidos se h, e, k, NA, tivessem valores numéricos exatos, quando expressos em unidades do SI.

Apesar de todo o progresso realizado, nem todos os requisitos necessários para a redefinição das unidades do SI foram estabelecidos claramente e, desta forma, o International Bureau of Weights and Measures (BIPM) não ficou em posição de apresentar uma proposta final. Contudo, abaixo segue algumas proposições do que provavelmente será discutido no futuro. O original em inglês está no link http://www.bipm.org/utils/en/pdf/24_CGPM_Resolution_1.pdf:

– A frequência do desdobramento hiperfino do estado fundamental do átomo de césio 133,(133Cs)hfs é exatamente 9 192 631 770 hertz.

– A velocidade da luz no vácuo, c, é exatamente 299 792 458 metros por segundo.

– A constante de Planck, h, é exatamente 6.626 06X ×10−34 joule segundo.

– A carga elementar e é exatamente 1.602 17X ×10−19 coulomb.

– A constante de the Boltzmann k é exatamente 1.380 6X ×10−23 joule por kelvin.

– A constante de Avogadro NA é exatamente 6.022 14X ×1023mole-1.

– A eficácia luminosa Kcd da radiação monocromática de frequência 540 ×1012 Hz é exatamente 683 lumen por watt, onde: hertz, joule, coulomb, lumen, e watt, cujos símbolos Hz, J, C, lm, e W, respectivamente, são relacionados às unidades segundo, metro, quilograma, ampere, kelvin, mol, e candela, com simbolos s, m, kg, A, K, mol, e cd, respectivamente,de acordo com to Hz = s–1, J = m2 kg s–2, C = s A, lm = cd m2 m–2 = cd sr, and W = m2 kg s–3, o símbolo X na Minuta da Resolução do CGPM representa um ou mais dígitos adicionais a serem incluídos nos valores numéricos de h,e,k, e NA, utilizando os ajustes mais recentes dos valores no CODATA, segue-se que o SI continuará a ter o atual conjunto de sete unidades de base.

Em particular, o quilograma continuará a ser a unidade de massa, mas seu valor será estabelecido fixando o valor numérico da constante de Planck exatamente igual a 6.626 06X ×10−34 quando expresso em unidades do SI, m2kgs-1, que é igual a joule segundo (Js). O ampere continuará a ser a unidade de corrente elétrica, mas seu valor será estabelecido fixando o valor numérico da carga elementar exatamente igual a 1.602 17X ×10−19 quando expresso em unidades do SI, sA, que é igual a joule coulomb (C). O kelvin continuará a ser a unidade de temperatura termodinâmica, mas seu valor será estabelecido fixando o valor numérico da constante de Boltzmann exatamente igual a 1.380 6X ×10–23 quando expresso em unidades do SI m2 kg s–2 K–1, que é igual a (J K–1). O mol continuará a ser a unidade de substância de uma entidade elementar especificada, que pode ser um átomo, molécula, ion, elétron, qualquer outra partícula ou um grupo especificado de tais partículas, mas seu valor será estabelecido fixando o valor numérico da constante de Avogrado exatamente igual a 6.022 14X ×1023 quando expresso em unidades do SI, mol-1.

Além disso, foram discutidos mais alguns pontos. As novas definições propostas para o quilograma, ampere, kelvin e mol são intencionalmente do tipo constante explicita, isto é, uma definição em que a unidade é definida indiretamente, através da especificação explícita do valor exato de uma constante fundamental, amplamente reconhecida. A definição atual do metro é associada diretamente a um valor exato da velocidade da luz no vácuo, que também é uma constante fundamental amplamente reconhecida. A atual definição do segundo é associada diretamente a um valor exato de uma propriedade do átomo de césio, o que também é um invariante da natureza. Embora a definição atual da candela não esteja associada à uma constante fundamental, pode ser vista como associada a um valor exato de um invariante da natureza. A compreensão do SI seria facilitada adotando uma descrição semelhante para todas unidades de base.

Também será proposta uma reformulação das atuais definições do segundo, metro, candela, nos seguintes termos: o segundo símbolo s é a unidade de tempo; seu valor é obtido fixando-se o valor numérico da frequência do desdobramento hiperfino do átomo de césio 133, em repouso e à temperatura de 0 K, exatamente igual a 9 192 631 77 quando expressa em unidades do SI, s-1, que é igual ao Hz; o metro símbolo m é a unidade de comprimento; seu valor é obtido fixando-se o valor numérico da velocidade da luz no vácuo , exatamente igual a 299 792 458 quando expressa em unidades do SI, ms-1; e a candela símbolo cd é a unidade de intensidade luminosa em uma dada direção; seu valor é obtido fixando-se o valor numérico da eficácia luminosa da radiação monocromática de frequência 540 ×1012 Hz , exatamente igual a 683 quando expressa em unidades do SI, m2kg-1s3cd sr, ou 3cd srW-1.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Boas Práticas de Fabricação ou BPF (1)

claudemir2“O MASP é um método de solução de problemas que aproveita o potencial das abordagens acima e acrescenta elementos complementares, formando um conjunto muito consistente, eficaz e, numa perspectiva ampla, também rápido. A experiência das pessoas é utilizada para inferir causas potenciais e analisá-las sob o ponto de vista da probabilidade de ocorrência e impacto no problema que se deseja solucionar. A intuição é necessária para a busca de explicações e soluções criativas, possibilitando a abstração fundamental para o abandono das saídas óbvias e a tendência à reprodução de práticas mal sucedidas do passado. Quanto aos complementos à experiência e intuição, o MASP incorpora a racionalidade, a objetividade, a aprendizagem organizacional e sobretudo a ação, pois conhecimento sem ação é inócuo. A racionalidade se manfesta pela estruturação lógica que proporciona à organização do método um entendimento fácil e reprodutível. A objetividade, por sua vez, possibilita o emprego de fatos e dados na análise dos “porquês”, fundamental para a tomada de decisão com mais convergência e confiança. A padronização dos processos recém descobertos e que eliminam a ocorrência do problema são práticas que institucionalizam o conhecimento e que permitem que a solução se mantenha estável enquanto o contexto que envolve o problema ainda exista. Vemos portanto, que o emprego do MASP tráz várias vantagens para uma resolução de problemas nas empresas. No entanto, o MASP não é um método que substitui os demais, mas os complementa e potencializa. Além disso, embora seja mais estruturado do que as abordagens baseadas na experiência e intuição, o MASP é mais rápido na resolução de problemas complexos do que os demais. Mas isso é um assunto para uma discussão futura.”

Contate o Claudemir Oribe para um treinamento ou uma palestra em sua empresa sobre o MASP, faça contato com ele: (31) 3391-7646 – 8748-1686 ou pelo e-mail: claudemir@qualypro.com.br

Ou acesse o site do MASP da Qualipro:

http://www.masp.inf.br/site/

GMPAlípio Silva Pereira

Denominadas Good Manufacturing Practice (GMP) são normas que fixam procedimentos mínimos para métodos, instalações e controles a serem utilizados na fabricação, embalagem, estocagem e distribuição de produtos, a fim de assegurar que tais produtos, quando prontos, sejam eficientes e confiáveis.

Para que servem:

Oferecer ao consumidor produtos:

  • a) seguros;
  • b) eficazes;
  • c) boa apresentação.

Princípios Básicos

  1. Escrever e elaborar documentos, de forma detalhada (passo a passo), servindo como guia para um desempenho constante e controlado;
  2. Seguir cuidadosamente os procedimentos escritos;
  3. Ter sempre todos os documentos de trabalho disponíveis e cuidadosamente preenchidos, visando estar em conformidade com as normas e proporcionando rastreabilidade, quando necessária;
  4. Provar que os sistemas fazem o que foi designado para fazer, através de um trabalho de validação;
  5. Integrar produtividade, a qualidade do produto e a segurança do operador, ao se planejar áreas produtivas ou utilização de equipamentos;
  6. Manter de forma adequada a manutenção de instalações e equipamentos produtivos;
  7. Possuir definições claras de desenvolvimento pessoal e descrição de cargos na empresa;
  8. Promover a proteção dos produtos contra contaminações, fazendo da limpeza e higiene um hábito diário/constante;
  9. Qualidade traduzida em produtos: utilização de controles sistemáticos de seus itens e processos de fabricação, embalagem, rotulagem, testes analíticos e distribuição
  10. Conduzir auditorias e inspeções periódicas para aderência e desempenho segundo normas estabelecidas.

Teve sua origem nos EUA em 1964, onde o FDA (Food and Drug Administration), órgão americano que fiscaliza os alimentos e medicamentos, analisou 169 produtos farmacêuticos entre cremes e loções de 127 fabricantes, resultando em 1960 amostras analisadas, encontraram 19,5 % com problema de contaminação microbiológica. Além de possuírem alto nível de contaminação, apresentaram também presença de microorganismos patogênicos, ou seja, que prejudicam a saúde. Alguns microorganismos têm a capacidade de provocar doença em nós seres humanos. Ex: Coliformes fecais (bactéria encontrada no trato gastro intestinal). No Brasil, as BPF, começaram a ser implantadas no início da década de 70.

Essas normas foram recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e transformadas em lei na Europa e outros paises. São impostas a todos os fabricantes de medicamentos que assumem total responsabilidade pelos possíveis problemas com os produtos fabricados. E para quem trabalha no fornecimento á estes segmentos. As normas GMP englobam e estabelecem exigências para todas as áreas que possam afetar a qualidade dos produtos, tais como: Pessoal e treinamento; Higiene e limpeza; Construção e instalações; Equipamentos e materiais utilizados; Processos de fabricação e procedimentos; e Documentação.

Estas normas passaram a ser lei no Brasil em 1970, quando o governo as tornou parte da lei de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde e são controladas por esse órgão através de auditorias. As BPF foram desenvolvidas para evitar contaminações, confusões e erros que possam tornar os produtos inadequados para o uso. Na prática BPF é:

  1. Buscar constantemente Qualidade;
  2. Evitar retrabalhos;
  3. Reduzir desperdícios;
  4. Trabalhar com segurança;
  5. Incrementar a eficiência do sistema produtivo.

Trabalhar com eficiência é ter:

  • Organização;
  • Controle;
  • Higiene e limpeza.

Organização

Executar uma tarefa de forma ordenada permitindo harmonia entre recursos materiais, humanos e equipamentos. Desta forma obtemos:

  1. Racionalização de espaço;
  2. Comunicação visual;
  3. Rapidez e facilidade na busca de documentos e objetos (valorização do tempo);
  1. Diminuição da incidência de acidentes;
  2. Prevenção de erro humano;
  3. Redução de estoques;
  4. Controle sobre o que cada um utiliza;
  5. Redução de custos.

Controle

Executar as tarefas permitindo que cada pessoa cuide de sua área, equipamentos, ferramentas e utensílios de sua responsabilidade, proporcionando o preenchimento e verificação correta dos documentos, formulários, anotando o acontecimento no momento ocorrido.

Higiene e Limpeza

Executar as tarefas mantendo o asseio pessoal e conservando limpo o uniforme, além do ambiente de trabalho. Desta forma preservaremos a saúde e preveniremos contaminações de produtos.

Departamentos envolvidos

Garantia da Qualidade

Entende-se por garantia da qualidade o departamento responsável pelo conjunto de técnicas e análises que tem como objetivo garantir que matérias primas, materiais de embalagem e produtos estejam dentro dos padrões de qualidade exigidos, para que possam ser utilizados para finalidade proposta. A Garantia da Qualidade coordena, monitora e desenvolve atividades dentro de uma unidade de fabricação, visando assegurar produtos com todos os atributos essenciais de identidade, pureza, atividade, estabilidade e uniformidade, de acordo com padrões previamente estabelecidos/especificados.

A Garantia da Qualidade deve atuar no sentido de:

  • Assegurar que as condições mínimas para se obter produtos dentro do esperado sejam cumpridas;
  • Buscar envolvimento contínuo de todos os indivíduos direta e indiretamente relacionados com o processo de fabricação e controle;
  • Assegurar que todos os processos e procedimentos foram validados;
  • Assegurar que todos os fornecedores e prestadores de serviços foram aprovados/qualificados.

Qualidade Para o Produto

  • O produto é correto;
  • Está livre de contaminação;
  • Não deve estar deteriorado;
  • Deve estar embalado corretamente;
  • Deve estar identificado corretamente.

O conceito de Garantia da Qualidade é aplicado visando o envolvimento e a responsabilidade de todos na busca da qualidade do produto final.

Alipio Silva Pereira é consultor organizacional da Leme Consultoria e Crescer Group – apereira@crescergroup.comqualipio@gmail.com

Normas comentadas

Confira quais as normas comentadas disponíveis. Elas oferecem mais facilidade para o entendimento e são muito mais fáceis de usar: http://www.target.com.br/portal_new/produtossolucoes/NBR/Comentadas.aspxNBR 14039Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV. Possui 140 páginas de comentários

NBR 5410Instalações elétricas de baixa tensão – Comentada – para windows, versão 2004

NBR ISO 9001 – COMENTADASistemas de gestão da qualidade – Requisitos

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Glossário Técnico Gratuito

Disponível em três línguas, a ferramenta permite procurar termos técnicos traduzidos do português para o inglês e para o espanhol. Acesse no link

http://www.target.com.br/portal_new/ProdutosSolucoes/GlossarioTecnico.aspx

ingles=1&indice=A