Ética no dia a dia das pessoas

O Target GEDWeb – Gerenciador Eletrônico de Documentos via Web da Target – é o único Portal Corporativo no mercado que possibilita o gerenciamento de grandes acervos de normas técnicas, documentos técnicos e internos das organizações, e os disponibiliza de forma totalmente customizável, de acordo com as características e necessidades de seus usuários, seguindo todos os padrões visuais e de comunicação da empresa que o implanta.

Clique aqui para conhecer melhor o Target GEDWeb

Sonia Jordão

Sabemos que pessoas éticas agem sem prejudicar os outros. Em outros dois artigos trouxemos algumas atitudes sobre a ética no dia a dia das pessoas e dos motoristas. Agora trazemos outras para que você continue a refletir se está se comportando adequadamente.

  • Tem o costume de furar fila?

Há sempre alguém que diante de uma fila tenta arrumar uma forma de ficar na frente das demais pessoas que estão esperando. Todas as outras pessoas que estão na fila, assim como você, deixaram de fazer outra coisa para aguardar atendimento. Então, respeite a todos da fila e vá para o final dela.

  • Você “varre” a calçada com a mangueira?

Seja esperto, economize água e ganhe tempo. Lavar a calçada com a mangueira é um verdadeiro desperdício. Você já pensou na quantidade de água que é gasta para isso? Em 15 minutos gastamos 279 litros d’água!!! E isso se você só gastar 15 minutos e a mangueira não for grossa. Procure usar a vassoura. Caso você não saiba, uma de suas utilidades é varrer a sujeira. E, por favor, ao terminar, recolha o lixo e jogue no local apropriado, não deixe na rua porque pode entupir os bueiros.

  • Joga lixo em local inapropriado?

É muito ruim andar pelas ruas e se deparar com a sujeira do outro. Além de não ser nada agradável, pois deixa o ambiente com um péssimo aspecto, todo o lixo que é jogado nas ruas, se ali permanecerem, irão direto para os bueiros da cidade. O que acontece? Chega a época das chuvas, os bueiros ficam entupidos, as ruas alagadas e todo esse lixo suja ainda mais a cidade. Isso vale também para os rios e lagos. Na época da seca tudo o que estava no fundo aparece e na época das chuvas ainda recebem as latas, os papéis, dentre outros objetos que foram jogados ao seu redor.

  • Visando “economia” você compra produtos piratas ou frutos de roubo?

Essa é uma situação muito comum nos dias atuais. Visando a economia em cima do preço de um produto, muitas pessoas compram produtos piratas ou, às vezes sem saber, que são frutos de roubo. Com isso acabam financiando o crime. Isso mesmo, você acaba permitindo que organizações criminais tenham verba para cometer ainda mais crimes. Isso sem contar o fato de que o “barato” sairá caro, de uma forma ou de outra, sendo na verba para o crime ou na mercadoria de baixa qualidade, se comparada com a original. Sem contar que lesa os autores das obras que não recebem os direitos autorais e o governo que não recebe os impostos que lhe são devidos.

  • Pegar um objeto emprestado e não devolver.

Se você pegou algo emprestado, devolva. E devolva no prazo combinado com o dono do objeto. É péssimo quando emprestamos algo e não o temos de volta. Perdemos o objeto e, ainda, a confiança na outra pessoa.

  • Falar alto ao celular dentro de lugares públicos?

O próprio termo “público” já diz tudo: pertencente ao povo. Contudo, não é por isso que podemos fazer com esse local o que bem entendermos. Um desses atos é o de falar alto ao celular. Não há nada mais incômodo para o outro do que ouvir a sua conversa. Ninguém está interessado em saber de sua briga com o namorado, de sua conversa com os familiares ou de seus negócios, por exemplo. Procurar falar baixo é educação também.

Veja mais algumas atitudes que são antiéticas e precisam ser evitadas:

  • Trocar voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo e até dentadura.
  • Violar a lei do silêncio.
  • Espalhar mesas e churrasqueira nas calçadas.
  • Fazer “gato” de luz, de água e de tv a cabo.
  • Registrar imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
  • Comprar recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
  • Mudar a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
  • Comercializar objetos doados em campanhas de catástrofes.
  • Diminuir a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
  • Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
  • Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

Cada decisão ética tem por trás um conjunto de valores fundamentais. Por isso, tente:

  • Ser honesto e íntegro em qualquer situação.
  • Ser tolerante e flexível.
  • Ter coragem para assumir decisões.
  • Assumir os seus atos.
  • Ouvir as pessoas ou avaliar a situação sem julgá-las antes.
  • Ser prudente, educado, fiel e humilde para aprender com os outros.

Tenho observado que uma pessoa educada é sempre mais querida que alguém que não tem bons modos. Espero, verdadeiramente, que este artigo o tenha ajudado a refletir sobre os seus atos. Afinal, quando agimos sem ética, prejudicamos outras pessoas.

Sonia Jordão é especialista em liderança, palestrante, consultora empresarial e escritora. Autora do livro “A Arte de liderar – Vivenciando mudanças num mundo globalizado”, e dos livros de bolso “E agora, Venceslau? – Como deixar de ser um líder explosivo” e “E agora, Lívia? – Desafios da liderança” – www.soniajordao.com.br

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Os riscos de se alimentar fora de casa

Curso: Segurança em serviços com eletricidade de acordo com a NR 10
A Norma Regulamentadora 10 estabelece os requisitos e condições mínimas exigíveis para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que interajam direta ou indiretamente em instalações elétricas. A sua aplicação abrange as fases de geração, transmissão, distribuição e consumo de energia elétrica, em suas diversas etapas, incluindo elaboração de projetos, construção, montagem, operação, manutenção das instalações elétricas, bem como quaisquer trabalhos realizados em suas proximidades. Clique para mais informações.

foodMuitas pessoas não podem se alimentar em casa e têm que enfrentar diariamente a alimentação fora de suas residências. As doenças transmitidas pelos alimentos (DTA) são provocadas pelo consumo de alimentos e ocorrem quando micróbios prejudiciais à saúde, parasitas ou substâncias tóxicas estão presentes no alimento. Os sintomas mais comuns de DTA são vômitos e diarreias, podendo também apresentar dores abdominais, dor de cabeça, febre, alteração da visão, olhos inchados, dentre outros. Para adultos sadios, a maioria das DTA dura poucos dias e não deixa sequelas; para as crianças, as grávidas, os idosos e as pessoas doentes, as consequências podem ser mais graves, podendo inclusive levar à morte. Principalmente, durante o verão, a estação mais quente do ano no Brasil, alguns cuidados extras devem ser tomados com a alimentação. Segundo o Ministério da Saúde, de 1999 a 2007, ocorreram 5.699 surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA), nos quais 114 mil pessoas foram contaminadas. Até 2006, dos 4.892 surtos ocorridos, a maior parte deles, 1.404 (28,7%), foi nos meses de janeiro a março.

Dessa forma, é importante salientar que nesse período as pessoas fazem mais refeições fora de suas residências e comem alimentos de vários lugares, como ambulantes, vendedores de praia, lanchonetes, restaurantes e essas pessoas estão suscetíveis a terem DTA durante todo o ano, mas o aumento de surtos no verão está associado às férias e viagens. Apesar da refeição feita fora de casa ser a suspeita número um de causar problemas, a pesquisa mostra que a maioria dos surtos, 1.979 (34,7%) ocorreu dentro da residência. Em bares e restaurantes, muitos alimentos são reaproveitados mais tarde e o problema é que muita gente esquece de armazená-los corretamente em refrigeradores ou freezers. Com isso, os alimentos ficam expostos a temperatura ambiente e sujeitos a multiplicação de microorganismos, que podem causar as DTA. Entre os alimentos, ovos crus e mal passados, também usados na preparação da famosa maionese caseira, provocaram 874 surtos (22,6%) das doenças. Em seguida estão os pratos mistos, com alimentos de origem animal e vegetal, responsáveis por 666 surtos (17,2%), as carnes vermelhas, com 450 ocorrências (11,6%) e as sobremesas, com 422 surtos (10,9%). Água, leite e seus derivados também provocaram surtos, com 333 (8,6%) e 276 (7,1%) notificações, respectivamente.

Na verdade, as bactérias são responsáveis por 83,5% dos surtos e a Salmonela spp é a vilã na contaminação, em seguida estão os vírus depois os produtos químicos. As contaminações causam sintomas como falta de apetite, náuseas, vômitos, diarreia, dores abdominais e febre. A falta de Boas Práticas de Fabricação (BPF) é o principal fator para a proliferação de microorganismos causadores das doenças transmitidas por alimentos. As BPF são medidas exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que devem ser adotadas pelas indústrias de alimentos para garantir a qualidade sanitária e a conformidade dos produtos alimentícios com os regulamentos técnicos. Embora o principal fator seja a falta de boas práticas, a recomendação é que as pessoas observem, entre outros fatores, a qualidade da comida, hábitos e métodos de higiene do manipulador, da cozinha e dos utensílios. Essas recomendações valem tanto para quem vai ao restaurante ou decide produzir os seus próprios pratos em casa. Na compra de alimentos, preparados ou não, é importante checar a data de validade e reparar se alguma alteração na cor, no cheiro ou na aparência do produto.

Algumas recomendações que podem ser aplicadas tanto para os alimentos comprados de vendedores de rua em postos fixos ou ambulantes, quanto também para hotéis e restaurantes:

  • Lavar as mãos antes e durante a preparação dos alimentos e desinfetar os utensílios e equipamentos utilizados em sua preparação: os microorganismos que causam as doenças podem ser encontrados na terra, água, animais, pessoas, sendo facilmente transportados;
  • Separar alimentos crus dos cozidos ou prontos para comer e utilizar utensílios diferentes para a manipulação dos alimentos diferentes: se contaminados, os alimentos crus podem transferir os microorganismos a outros alimentos durante a preparação. Alimentos prontos que serão consumidos posteriormente devem ser armazenados sob refrigeração;
  • Cozinhar completamente o alimento (60°C), como carnes, frangos, ovos ou peixes impede a formação de microorganismos nocivos ou mata os que sejam perigosos. O reaquecimento adequado (70°C) elimina os microorganismos que possam ter se desenvolvido durante a conservação do alimento;
  • Mantenha os alimentos em temperatura segura: com o calor, alguns microorganismos podem multiplicar-se rapidamente. Por isso, evite deixar alimentos expostos por mais de duas horas;
  • Use água e ingredientes seguros: a água pode conter microorganismos prejudiciais à saúde, por isso, beba água e gelo apenas de procedência conhecida. Escolha alimentos já tratados como leite pasteurizado, frutas e verduras que podem ser descascadas;
  • Evite consumir preparações culinárias que contem ovos, como gemadas, ovos fritos moles e maionese caseira, e também sorvetes de procedência duvidosa. Pescados e mariscos oferecem riscos, pois podem estar contaminados com toxinas que permanecem ativas mesmo depois de cozidos;
  • Sempre checar o prazo de validade dos alimentos, acondicionamento e suas condições físicas como aparência, consistência, odor.

As pessoas precisam saber que nem todos apresentam os sintomas mais graves, como vômitos e diarreia. Algumas têm um leve mal-estar, uma dor de barriga e, por isso, não procuram os médicos. Os problemas só são identificados quando ocorrem com um grande número de pessoas ou uma família passa mal por consumir o mesmo tipo de alimento. Todos devem tomar cuidado ao consumir alimentos na rua, e evitar, principalmente, maionese caseira e as famosas quentinhas. As duas não têm autorização da Vigilância Sanitária para serem comercializadas. De maneira geral, o estômago das pessoas é uma ótima defesa do organismo contra essas substâncias nocivas ingeridas no dia a dia. O problema é quando essa defesa natural não é suficiente para a proteção e a contaminação pode progredir para um quadro maior e causar perfuração intestinal, hemorragia, necrose intestinal e até a morte. De 80% a 90% dos casos podem ser resolvidos em casa com soro caseiro, muito líquido e uma dieta sem fibras como arroz mole com cenoura, canja de galinha, sopa de verdura, banana e maça cozidas.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a