O controle de substâncias perigosas em produtos elétricos e eletrônicos

Artigos escolares: no mercado brasileiro, somente de acordo com as normas técnicas

O Inmetro determinou que todos os artigos escolares disponíveis no mercado nacional deverão obter a certificação compulsoriamente. No entanto, os lojistas terão o prazo para adequação de 18 meses, ou seja, a partir de 07 de junho de 2012 e 40 meses, até 07 de abril de 2014, para comercializar os produtos sem a marca de conformidade. O objetivo dessas mudanças visa à segurança dos usuários de artigos escolares que, neste caso, são as crianças. Durante o processo de certificação os artigos escolares passarão por análise em laboratórios, onde serão avaliados basicamente aspectos: químico, mecânico e físico – em alguns casos, também por elétrico e biológico. O objetivo do Inmetro é também assegurar a eficiência do material vendido, para que o consumidor não adquira, por exemplo, canetinhas que ressecam facilmente. Para certificar os artigos escolares os fabricantes nacionais e importadores podem optar pelo Sistema 5 (avaliação do sistema de gestão da qualidade nas fábricas) ou Sistema 7 (lote). Clique para mais informações.

eletronicosA norma ABNT IECQ-QC 080000 descreve os requisitos de gestão das substâncias perigosas em produtos e componentes elétricos e eletrônicos. Ela acompanha a diretiva 2002/95/CE, estabelecida em toda a Europa, sobre a restrição do uso de determinadas substâncias perigosas nesses equipamentos. Definindo os requisitos para o estabelecimento dos processos para identificar e controlar a introdução de substâncias perigosas em produtos elétricos e eletrônicos, no caso de substâncias perigosas eventualmente serem introduzidas nos produtos, a especificação técnica ABNT IECQ-QC 080000, de 2010, descreve a implementação de processos para ensaiar, analisar ou de outro modo determinar o conteúdo de substâncias perigosas e fazer com que estas informações sejam disponíveis ao cliente. Os processos documentados devem ser implementados no sistema de gestão da qualidade e de negócios da organização.

Importante é saber a definição de substância Perigosa que se refere a qualquer material listado nas diretivas REEE (WEEQ, Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos ou RSP (RoHS), Restrição de Substâncias Perigosas e em qualquer requisito adicional do cliente como proibido para uso e é intercambiável com Substância Restrita. Já Livre de Substâncias Perigosas (LSP) refere-se a redução ou eliminação de qualquer material listado nas diretivas REEE ou RSP ou em qualquer outra norma ou regulamento aplicável. Na norma está documentado que cada organização deve incluir em seu sistema de gestão da qualidade ABNT NBR ISO 9001 os procedimentos, a documentação e as praticas de gerenciamento de processo necessários para realizar produtos e processos de produção LSP. A organização deve

a) Identificar e documentar todas as substâncias perigosas em uso na organização.

b) identificar os processos específicos a serem gerenciados que são relevantes às suas metas para LS P.

c) determinar a interdependência e interação destes processos e desenvolver um plano de gerenciamento para LSP apropriado.

d) estabelecer critérios que determinem objetivamente a eficácia do processo de gerenciamento do LSP da organização.

e) assegurar a disponibilidade de recursos e informações necessários para ajudar na eficacia do gerenciamento de processos LSP.

f) monitorar, medir e analisar estes processos.

g) implementar ações para assegurar os processos de melhoria continua alcançando LSP.

h) ter um processo estabelecido para restringir elou eliminar o uso de substâncias perigosas nos produtos e processos.

CLIQUE NA FIGURA PARA SE INSCREVER GRATUITAMENTE

A intenção deste documento é que o processo de gerenciamento dos LSP seja congruente com os elementos da ABNT NBR ISO 9001. Na verdade, o problema está relacionado com os produtos elétricos e eletrônicos, que, em geral, possuem vários módulos básicos. Os módulos básicos comuns a esses produtos são conjuntos/placas de circuitos impressos, cabos, cordões e fios, plásticos antichama, comutadores e disjuntores de mercúrio, equipamentos de visualização, como telas de tubos catódicos e telas de cristais líquidos, pilhas e acumuladores, meios de armazenamento de dados, dispositivos luminosos, condensadores, resistências e relês, sensores e conectores. As substâncias mais problemáticas do ponto de vista ambiental presentes nestes componentes são os metais pesados, como o mercúrio, chumbo, cádmio e cromo, gases de efeito estufa, as substâncias halogenadas, como os clorofluorocarbonetos (CFC), bifenilas policloradas (PCBs), cloreto de polivinila (PVC) e retardadores de chama bromados, bem como o amianto e o arsênio 8.

Dessa forma, essa norma acompanha a diretiva 2002/95/CE, estabelecida em toda a Europa, sobre a restrição do uso de determinadas substâncias perigosas em equipamentos elétricos e eletrônicos (diretiva RoHS). Ela foi adotada pela União Europeia em fevereiro de 2003, entrando em vigor no dia primeiro de julho de 2006. Contudo, por não se tratar de uma lei, mas sim de uma diretiva da UE para seus membros, tem de ser implementada em todos os países de forma individual. A RoHS restringe o uso de seis materiais perigosos na produção de diversos tipos de equipamentos eletrônicos e elétricos: chumbo (Pb) max. 0,1 %; mercúrio (Hg) max. 0,1 %; cádmio (Cd) max. 0,01 %; cromo hexavalente (Cr(VI) ou Cr 6+) max. 0,1 %; bifenilas polibrominados (PBB) max. 0,1; e éteres difenilas polibrominados (PBDE) max. 0,1 %. Todos os materiais homogêneos utilizados em produtos devem respeitar os limites mencionados acima. Se um dos materiais utilizados em um produto não cumprir as exigências da diretiva RoHS, o produto inteiro está em desacordo com a mesma. Dessa forma, os fabricantes precisam verificar se todos os componentes e materiais estão cumprindo a diretiva, para certificar-se de que o produto final está de acordo com ela.

Para mais informações, clique no link ABNT IECQ-QC 080000 – Sistema de gestão para substâncias perigosas em produtos e componentes elétricos e eletrônicos – Requisitos

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Facebook: http://www.facebook.com/#!/hayrton.prado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: