Como minimizar as mudanças climáticas?

Revista Digital

Com o objetivo de atender os clientes e usuários, a Target elaborou uma pauta de treinamentos estruturados que oferecem aos participantes os subsídios técnicos necessários para que todos possam estar seguros das melhores práticas existentes no âmbito da engenharia, saúde, segurança no trabalho e gestão empresarial atendendo a legislação vigente.  Um corpo docente formado por especialistas reconhecidos em seus setores, garante aos alunos uma formação altamente eficaz e qualificada. O número reduzido de participantes por turma é outro fator que confere eficiência aos Cursos Target. Dessa maneira, cada aluno tem mais oportunidades de interagir pessoalmente com os professores e colegas de sala, potencializando a troca de informações e experiências.
Para aqueles que possuem uma agenda de compromissos complexa, a Target transmite os cursos ao vivo pela Internet, utilizando-se de ferramentas de interação de última geração.  Clique no link abaixo para acessar o catálogo digital

Revista Digital

capabancomundialO The World Bank acaba de publicar um relatório mostrando que as mudanças climáticas no Planeta representam um dos maiores desafios para o desenvolvimento e afirma que a Terra está caminhando para uma elevação de 4°C nas temperaturas até o fim do século, o que resultará em impactos severos para a humanidade. Isso poderá conduzir a extremos nos trópicos e, consequentemente, de forma significativa maiores impactos sobre a agricultura e os ecossistemas. Um aumento do nível do mar poderá ser maior do que 15 a 20 % nos trópicos do que a média global; um aumento da intensidade dos ciclones tropicais tendem a ser sentida desproporcionalmente nas regiões de baixas latitudes; e um aumento da aridez e da seca são esperada em muitas regiões de países em desenvolvimento localizados nos trópicos e áreas subtropicais.

O relatório, disponível no link http://climatechange.worldbank.org/sites/default/files/Turn_Down_the_heat_Why_a_4_degree_centrigrade_warmer_world_must_be_avoided.pdf, pede ações urgentes para minimizar as consequências das mudanças climáticas. Se nada for feito, a entidade prevê o declínio da produção de alimentos, a perda de ecossistemas e biodiversidade e a impossibilidade de desenvolvimento econômico para milhões de pessoas. “O aquecimento de 4 ° C ainda pode ser evitado, pois inúmeros estudos mostram que há técnicas viáveis para diminuir as ​​emissões e manter o aquecimento abaixo dos 2 ° C. Assim, o nível de impactos que os países em desenvolvimento e o resto do mundo poderão ser diminuídos”. A mudança climática é um dos maiores desafios para o desenvolvimento e precisamos assumir total responsabilidade pelo bem das futuras gerações, especialmente nos países mais pobres”, afirma o relatório.

O estudo denominado Turn Down the Heat: Why a 4°C Warmer World Must be Avoided (em tradução livre, desligue o aquecimento: porque um mundo 4°C mais quente deve ser evitado), conduzido pelo Instituto Postdam, afirma que o planeta já está 0,8°C acima da média do período pré-industrial e caminha para catastróficos 4°C de aquecimento até 2100. “Esse relatório reforça a realidade da volatilidade do clima, que afeta tudo o que fazemos. Precisamos redobrar nossos esforços para melhorar a adaptação e a resiliência, assim como para buscar soluções para o desafio climático”, escreveu Rachel Kyte, vice-presidente do banco. O estudo combina uma síntese da literatura científica disponível com novas análises dos riscos mais prováveis do aquecimento global, focando principalmente nos países em desenvolvimento. Também descreve os impactos já observados, como os eventos climáticos extremos, que têm ficado mais frequentes. Sobre o aumento das temperaturas, o Instituto Postdam alerta que por volta de 2080 os meses de verão no norte da África, nos Estados Unidos, no Oriente Médio e em algumas partes da Europa ficarão até 6°C mais quentes. Isso acarretará em ondas de calor fatais para idosos e crianças, por exemplo.

Um dos impactos mais complicados para a humanidade com a elevação das temperaturas será a queda da produção agrícola. O relatório afirma que 44% das áreas cultiváveis do planeta se tornarão sujeitas às secas. Se o planeta aquecer 5°C, 35% da agricultura africana deixará de existir. Além de sofrerem com a escassez de água, algumas regiões enfrentarão graves problemas de incêndios florestais. A Amazônia, por exemplo, deve registrar uma aumento de 100% das queimadas até 2050. Para os oceanos, o estudo afirma que o nível das águas está subindo mais rápido agora do que há duas décadas, e que isso pode ser observado em diversas partes do globo. A principal causa seria o degelo dos polos, que segundo os autores também está acelerando. Em setembro de 2012 foi registrado um recorde mínimo na quantidade de gelo flutuante no Ártico.

Citando um estudo de 2010, o Banco Mundial afirma que o aumento de um metro no nível do mar resultará em um prejuízo de US$ 68,2 bilhões apenas para as nações caribenhas, incluindo perda de terras e custos com realocação e reconstrução. Outro problema causado pelo aquecimento global nos oceanos é a acidificação. Segundo o relatório, se a temperatura dos mares subir 2,4°C muitos recifes de corais desaparecerão, trazendo enormes consequências negativas para a pesca internacional e para milhares de espécies. A estimativa encontra apoio em um estudo publicado em setembro, que afirma que um aumento de 1,5°C na temperatura média mundial já será o suficiente para iniciar um processo de degradação em 89% dos corais. “Tenho a esperança de que esse relatório incentive novas ações. O cenário de um mundo aquecido em 4°C é devastador: inundação de cidades costeiras, riscos para a produção de alimentos, ondas de calor, secas, etc. A falta de engajamento coloca o desenvolvimento de milhões de pessoas em risco. Esse relatório é um lembrete austero de que a mudança climática afeta tudo. As soluções não se encontram apenas no financiamento climático ou projetos climáticos. As soluções estão em gestão de risco eficaz e garantir que todos os nossos trabalho, todo o nosso pensamento, é projetado com a ameaça de um mundo 4 ° C mais quente em mente”, concluiu Jim Yong Kim, presidente do banco.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: