Benefícios da aveia podem aumentar ainda mais através de pesquisas

Curtos-Circuitos e Seletividade em Instalações Elétricas Industriais - Conheça as Técnicas e Corretas Especificações - Presencial ou Ao Vivo pela Internet

Curso: Curtos-Circuitos e Seletividade em Instalações Elétricas Industriais – Conheça as Técnicas e Corretas Especificações

Modalidade: Presencial ou Ao Vivo pela Internet

Dias: 18 e 19 de Março

Horário: 09:00 às 18:00 horas

Carga Horária: 16h

Professor: José Ernani da Silva

Preço: A partir de 3 x R$ 257,81

(*) O curso permanecerá gravado e habilitado para acesso pelo prazo de 30 dias a partir da data da sua realização.

Engenheiros e Projetistas têm a constante preocupação de saber especificar adequadamente os equipamentos elétricos que são submetidos à corrente de curto-circuito, pois um sistema elétrico está sujeito a eventuais falhas que podem envolver elevadas correntes de curtos-circuitos, e que fatalmente irão submeter os equipamentos a esforços térmicos e dinâmicos. Este curso é dividido em dois tópicos: curto-circuito e coordenação da proteção (seletividade).
O tópico Curto-Circuito discute: a) Cálculo de corrente de curto-circuito simétrica e assimétrica; b) Especificação dos equipamentos de proteção do ponto de vista de corrente de curto-circuito; c) Recomendações práticas das normas nacionais e internacionais vigentes, como ANSI-VDE-IEC-NEC-ABNT. O tópico Coordenação da Proteção discute: a) Importância e conceitos de proteção exigidos em normas; b) Filosofia e técnicas de proteção para dispositivos de proteção de Baixa, Média e Alta Tensão; c) Ajuste de relés fase e neutro de sobrecorrentes. Para atender à demanda daqueles que não podem se locomover até as instalações da Target, tornamos disponível este curso Ao Vivo através da Internet. Recursos de última geração permitem total aproveitamento mesmo à distância. Os cursos oferecidos pela Target são considerados por seus participantes uma “consultoria em sala”, ou seja, o participante tem a possibilidade de interagir com renomados professores, a fim de buscar a melhor solução para problemas técnicos específicos e particulares.

Inscreva-se Saiba Mais

aveiaMuitas são as qualidades da aveia, mas poucas pessoas conhecem os reais benefícios que este simples grão pode proporcionar quando adicionado na dieta diária de uma pessoa. De acordo com o pesquisador de aveia, professor e fundador do Instituto de Ciências Agronômicas (INCIA), Elmar Luiz Floss, além de ser um alimento nutritivo e funcional por natureza, é rico em proteínas de alto valor biológico e bom balanceamento de aminoácidos, ou seja, é altamente indicado na alimentação infantil, quando a criança precisa mais de proteína do que de energia. Segundo Floss, as vantagens de consumir aveia não param por aí. Ela apresenta em sua composição flavonóides (avenantramidas), que atuam na prevenção do câncer. Além disso, possuem fibras solúveis, que são as responsáveis pela diminuição do colesterol ruim e pela prevenção de doenças do coração, e fibras insolúveis, que aceleram os movimentos peristálticos do intestino, fazendo com que o bolo fecal permaneça menos tempo no intestino, diminuindo a possibilidade de que suas toxinas gerem tumores.

Para o pesquisador, muitos aspectos relacionados a saúde humana mudam quando a pessoa passa a consumir aveia. “Há muitos fatores envolvidos como: o bem estar, a regularidade do funcionamento do aparelho digestivo, o controle dos teores de açúcar no sangue, a diminuição dos riscos de alta pressão arterial e, a longo prazo, a prevenção de doenças como tumores no intestino e doenças do coração”, afirma o professor, que desde 1977 realiza pesquisas com aveia e recentemente lançou o livro “Aveia, memória de uma vida de trabalho e paixão”. Floss destaca que, atualmente, o consumo médio de grãos de aveia na alimentação humana no Brasil chega a, aproximadamente, 65 mil toneladas/ano. “Isso representa um consumo de menos de 300 gramas per capita/ano, ou seja, apenas 10% do consumo médio dos países europeus, que gira em torno de 3 quilos por ano”, diz, e informa: “É importante salientar que a quantidade ideal de consumo diário varia de acordo com a idade da pessoa, seu peso e objetivo”.

O estudioso salienta que é preciso mudar este cenário e, para isso, defende a disseminação das informações sobre a aveia e seus benefícios para que as pessoas reconheçam seu valor. A Universidade Federal do rio Grande do Sul desenvolve pesquisas com aveia branca desde 1974. O principal objetivo é o desenvolvimento de variedades que atendam as necessidades dos produtores rurais, das indústrias e dos consumidores. Para criar uma variedade de aveia na UFRGS são trazidas as linhas de aveia com a melhor genética disponível no mundo. “Na UFRGS através das técnicas de genética e melhoramento clássicos são criadas novas variedades. Do cruzamento até os testes finais, são necessários de 10 a 12 anos para a obtenção de uma nova variedade”, conta o professor da faculdade de Agronomia da instituição, Luiz Carlos Federizzi.

As variedades criadas pela universidade, antes de serem disponibilizadas aos produtores, são testadas por três anos em vários locais nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Somente aquelas linhagens que apresentam rendimento de grãos superiores as melhores existentes no mercado e que apresentam atributos agronômicos e de qualidade superiores são, então, distribuídas aos agricultores. Por sua vez a indústria testa com seus equipamentos quais as variedades que apresentam melhor rendimento industrial e comunica esta informação aos agricultores parceiros. Durante os testes são avaliados mais de 30 aspectos como: rendimento, qualidade, adaptação a diferentes ambientes, teor de fibras, teor de proteínas, altura da planta, entre outros.

A oferta de grãos de aveia de alta qualidade no mercado interno eliminou, desde a década de 90, a necessidade de importação de grãos de aveia da Argentina e de outros países para suprir o mercado interno. Assim, o País deixou de ser um importador sistemático de grãos de aveia com dispêndio de divisas. “Não só a produção nacional atende a demanda interna, como as cultivares desenvolvidas no Brasil nas ultimas décadas permitiram um aumento no rendimento e principalmente na qualidade dos grãos produzidos que melhoraram o rendimento industrial e propiciaram o melhor aproveitamento pela indústria dos grãos”, diz Federizzi. As variedades desenvolvidas no país apresentam desempenho agronômico e qualidade de grãos muito superior às variedades importadas. Os agricultores do Sul do Brasil têm na aveia uma grande aliada para o sistema de rotação de cultura utilizado no plantio direto. Para o consumidor, a aveia é um dos poucos produtos que é integral por sua natureza. Os grãos de aveia que chegam à mesa do consumidor têm exatamente a mesma composição da variedade original, porque no processamento nada é tirado, perdido ou adicionado aos grãos, no caso de flocos de aveia.

A empresa Naturale, de Lagoa Vermelha, é uma das parcerias da UFRGS. “A Universidade desenvolve as cultivares e realiza todos os testes em laboratórios e a campo, a Naturale realiza em primeira mão a avaliação das mesmas em processo industrial, retornando os resultados diretamente para a pesquisa, além de recomendar o plantio dos melhores materiais a seus produtores parceiros.” O empresário salienta a importância das pesquisas já realizadas. “Os avanços das pesquisas tem sido extraordinários, hoje temos cultivares iguais as melhores dos principais produtores mundiais. Quem ganha com isso? Todos: a indústria, os pesquisadores, os apaixonados por aveia, a economia e principalmente os consumidores”, avalia de forma positiva.

Água: sustentabilidade para beber!

Gestão de Energia – Implantação da Nova Norma ISO 50001 – Presencial ou Ao Vivo pela Internet

Curso: Gestão de Energia – Implantação da Nova Norma ISO 50001

Modalidade: Presencial ou Ao Vivo pela Internet

Dias: 04 e 05 de Março

Horário: 09:00 às 18:00 horas

Carga Horária: 16h

Professor: Eduardo Daniel

Preço: A partir de 3 x R$ 257,81

(*) O curso permanecerá gravado e habilitado para acesso pelo prazo de 30 dias a partir da data da sua realização.

Este curso visa permitir que as organizações estabeleçam os sistemas e processos necessários para melhorar o desempenho energético, incluindo a eficiência e intensidade energéticas. A nova Norma deve conduzir as reduções nos custos nas emissões de gases de efeito estufa e outros impactos ambientais através da gestão sistemática da energia. Ela se aplica a todos os tipos e tamanhos de organizações, independentemente de quaisquer condições geográficas, culturais ou sociais. Para atender à demanda daqueles que não podem se locomover até as instalações da Target, disponibilizamos este curso Ao Vivo pela Internet. Recursos de última geração permitem total aproveitamento mesmo à distância. Os cursos oferecidos pela Target são considerados por seus participantes uma “consultoria em sala”, ou seja, o participante tem a possibilidade de interagir com renomados professores, a fim de buscar a melhor solução para problemas técnicos específicos e particulares.

Inscreva-se Saiba Mais

waterSilneiton Favero

A água é fundamental para a manutenção das sociedades pelo singelo motivo de que é um insumo primordial em todos os processos produtivos e atividades humanas. Mas, antes disso, a água é parte de todos os organismos vivos no planeta e uma substância indissociável do funcionamento dos ecossistemas. Dessa forma, a qualidade e a disponibilidade desse recurso vital devem ser asseguradas para que as sociedades continuem a se desenvolver em seus capítulos sociais, econômicos e culturais. Ocorre que o cenário é de demandas múltiplas e crescentes em função das exigências típicas do crescimento econômico, da expansão demográfica e da mobilidade social. Os usos industriais, domésticos, comerciais, recreativos, agrícolas, energéticos e no transporte são concorrenciais. Ao mesmo tempo, diversos mananciais estão ameaçados ou degradados mediante os impactos desses usos – ao passo que o atendimento pleno das necessidades mais básicas de água ainda está distante em muitos países, não sendo diferente no Brasil.

De fato, o Brasil possui a maior reserva hídrica e a segunda maior cobertura florestal do planeta, atributos que, em princípio, favorecem os recursos hídricos. As águas utilizadas nos variados processos e tipos de usos invariavelmente retornam aos rios, mares, solo e subsolo, dado o ciclo hidrológico. Contudo, não se pode falar que seja um recurso inesgotável, tampouco abundante em termos absolutos. Apenas 3% de toda a reserva hídrica do mundo são de água doce. Os mananciais estão distribuídos heterogeneamente entre os países e em suas regiões, por vezes distantes dos pontos de demanda. Os ecossistemas aquáticos acham-se sob estresse ambiental. O desmatamento impacta negativamente os corpos hídricos. Os sistemas de captação, tratamento e distribuição ainda não são capazes de levar água a todos, além de enfrentarem sazonalidades, e nem todas as pessoas podem arcar com os custos da água tratada. Em termos relativos, pode-se falar em escassez na abundância porque há questões de qualidade e acesso à água.

Em tal quadro, o crescimento desejado da economia brasileira e a ampliação do comércio internacional continuarão a demandar mais água, energia e alimentos. Destaque-se que parte das exportações brasileiras é, na prática, importação de externalidades ambientais hídricas negativas, pois os maiores importadores de commodities intensivas em água deixam de impactar seus próprios recursos hídricos. Portanto, a água condiciona a economia e a produção de modo bastante abrangente, consideração fundamental na abordagem da segurança hídrica em relação às seguranças energética e alimentar. Nesse sentido, é simplesmente urgente superar questões irresolutas da água, como o saneamento insuficiente e a ausência de manejo abrangente de resíduos sólidos, pois os efluentes e a interação das chuvas com o lixo urbano são problemas sérios. Restaurar e conservar as áreas de recarga mediante a recuperação da vegetação ciliar favorece os serviços ecossistêmicos prestados pela água. Os instrumentos legais e as soluções de engenharia devem ser acompanhados da melhora no resultado da gestão, de modo a promover o uso responsável da água, que incorpora aspectos de governança, de relevância dos ecossistemas aquáticos, de qualidade e quantidade e do acesso à água com vistas à sustentabilidade.

O governo deve exercer a gestão eficiente da água e promover o uso responsável, elevando a qualidade da administração pública e da resposta à sociedade também nesse aspecto. As pessoas devem buscar saber a origem dos produtos que consomem e como foram produzidos, trazendo a realidade da água ao seu cotidiano. Os setores produtivos precisam compreender melhor o seu papel dentro da governança da água e utilizar os recursos hídricos com responsabilidade em seus processos, internalizando nos negócios os serviços prestados pela água. Os desafios amplificados que o Brasil enfrenta em matéria da conjugação desse contexto com as mudanças globais que já se avizinham – demográficas, econômicas, sociais e climáticas – impõem a segurança hídrica como item prioritário na agenda da sustentabilidade, pois somente assim se poderá assegurar a produção de alimentos e a geração de energia, tão essenciais ao desenvolvimento do país.

Silneiton Favero é consultor sênior da Green Domus Desenvolvimento Sustentável.