A revisão da ISO 9001 para 2015

isoO ISO/TC 176/SC 2/WG 24 emitiu o primeiro CD da nova ISO 9001:2015. A versão CD é a primeira oportunidade para a apresentação de comentários à nova revisão da norma ISO 9001 e está circulando pelo mundo todo, inclusive no Brasil, para comentários e melhoramentos. Abaixo, segue o conteúdo da norma no CD em inglês. Fiz mais abaixo uma tradução livre do Anexo A que descreve os princípios de gestão da qualidade ou Quality Management Principles (QMP).

Contents Page

Foreword vi

Introduction to this Committee Draft vii

1 Scope 1

2 Normative references 1

3 Terms and definitions 1

4 Context of the organization 4

4.1 Understanding the organization and its context 4

4.2 Understanding the needs and expectations of interested parties 5

4.3 Determining the scope of the quality management system 5

4.4 Quality management system 5

5 Leadership 6

5.1 Leadership and commitment 6

5.2 Quality policy 7

5.3 Organizational roles, responsibilities and authorities 7

6 Planning 8

6.1 Actions to address risks and opportunities 8

6.2 Quality objectives and planning to achieve them 8

6.3 Planning of changes 9

7 Support 9

7.1 Resources 9

7.2 Competence 10

7.3 Awareness 10

7.4 Communication 10

7.5 Documented information 11

8 Operation 12

8.1 Operational planning and control 12

8.2 Determination of market needs and interactions with customers 12

8.3 Operational planning process 13

8.4 Control of external provision of goods and services 14

8.5 Development of goods and services 15

8.6 Production of goods and provision of services 16

8.7 Release of goods and services 18

8.8 Nonconforming goods and services 18

9 Performance evaluation 19

9.1 Monitoring, measurement, analysis and evaluation 19

9.2 Internal Audit 20

9.3 Management review 20

10 Continual improvement 21

10.1 Nonconformity and corrective action 21

10.2 Improvement 21

Annex A – Quality management principles
(Informative) 23

Bibliography 25

Anexo A – Princípios de gestão da qualidade

(Informativo)

A.1 Introdução

Este documento apresenta os sete princípios de gestão da qualidade em que as normas de sistema de gestão da qualidade da série ISO 9000 são baseadas. Os princípios foram desenvolvidos e atualizados por especialistas internacionais do ISO/TC 176, que é responsável pelo desenvolvimento e manutenção da série ISO 9000 que estabelece as normas de gestão da qualidade. Este anexo fornece uma “afirmação”, descrevendo cada um dos princípios, e uma “análise racional”, explicando porque uma organização deve abordar o princípio.

A.2 QMP 1 – Foco no Cliente

a) Afirmação

O foco principal da gestão da qualidade é atender às necessidades dos clientes e se esforçar para superar as expectativas dos clientes.

b) Análise racional

O sucesso sustentado é alcançado quando uma organização atrai e retém a confiança dos clientes e outras partes interessadas sobre os quais ele depende. Cada aspecto da interação com o cliente é uma oportunidade para criar mais valor para o cliente. Compreender as necessidades atuais e futuras dos clientes e outras partes interessadas contribui para o sucesso sustentado de uma organização

A.3 QMP 2 – Liderança

a) Afirmação

Os líderes de todos os níveis devem estabelecer a unidade de propósito e direção e criar condições para as pessoas que estão envolvidas na realização dos objetivos da qualidade na organização.

b) Análise racional

A criação de unidade de propósito, direção e engajamento permite a uma organização alinhar suas estratégias, políticas, processos e recursos para atingir seus objetivos.

A.4 QMP 3 – Envolvimento das Pessoas

a) Afirmação

É essencial para a organização que todas as pessoas sejam competentes, capacitadas e engajadas na entrega de valor. Competentes, pessoas habilitadas e engajadas em toda a organização aumentam a sua capacidade de criar valor.

b) Análise racional

Para gerenciar uma organização eficaz e eficiente, é importante envolver todas as pessoas em todos os níveis e respeitá-las como indivíduos. Reconhecimento, capacitação, aprimoramento de habilidades e conhecimentos facilitarão o engajamento das pessoas na realização dos objetivos da organização.

A.5 QMP 4 – Abordagem de Processos

a) Afirmação

Os resultados consistentes e previsíveis são alcançados de forma mais eficaz e eficiente quando as atividades são entendidas e gerenciadas como processos inter-relacionados que funcionam como um sistema coerente.

b) Análise racional

O sistema de gestão da qualidade é composto de processos inter-relacionados. Compreender como os resultados são produzidos por este sistema, incluindo todos os seus processos, recursos, controles e interações, permite que a organização otimize o seu desempenho.

A.6 QMP 5 – Melhoria

a) Afirmação

As organizações bem sucedidas têm um foco contínuo na melhoria.

b) Análise racional

A melhoria é essencial para uma organização manter os níveis atuais de desempenho, para reagir às mudanças em suas condições internas e externas, e criar novas oportunidades.

A.7 QMP 6 – tomada de decisão baseada em evidências

a) Afirmação

As decisões com base na análise e avaliação de dados e informações são mais propensas a produzir os resultados desejados.

b) Análise racional

A tomada de decisão pode ser um processo complexo e envolve sempre alguma incerteza. Muitas vezes envolve vários tipos e fontes de fatores de produção, bem como a sua interpretação que pode ser subjectiva. É importante entender as relações de causa e efeito e potenciais consequências não intencionais. Fatos, provas e análise de dados levam a uma maior objetividade e confiança nas decisões tomadas.

A.8 QMP 7 – Gestão de Relacionamento

a) Afirmação

Para o sucesso sustentado, as organizações devem gerenciar seus relacionamentos com as partes interessadas, tais como os fornecedores.

b) Análise racional

Os interessados ​​influenciam o desempenho de uma organização. O sucesso sustentado é mais provável de ser alcançado quando uma organização gerencia os relacionamentos com suas partes interessadas para otimizar o seu impacto sobre o seu desempenho. A gestão de relacionamento com o seu fornecedor e parceiro de negócios muitas vezes é de particular importância.

As pessoas interessadas em participar na revisão da norma devem entrar em contato com o Luiz Carlos Nascimento: lcnascimento@petrobras.com.br

Anúncios

Empresas investem em capacitação de funcionários

Curtos-Circuitos e Seletividade em Instalações Elétricas Industriais – Conheça as Técnicas e Corretas Especificações – Presencial ou Ao Vivo pela Internet – A partir de 3 x R$ 257,81 (56% de desconto)

Sistemas de Informações Tecnológicas Target Gedweb

Portal Target – Saiba como é fácil ter acesso às Informações Tecnológicas

Aterramento e a Proteção de Instalações e Equipamentos Sensíveis contra Raios: Fatos e Mitos – Presencial ou Ao Vivo pela Internet – A partir de 3 x R$ 257,81 (56% de desconto)

susanaSusana Falchi

As transformações vividas pela economia brasileira trouxeram uma nova realidade para as empresas: a necessidade de capacitar seus profissionais e reter talentos. Segundo os dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), cerca de 70% das empresas brasileiras enfrentam problemas para encontrar mão de obra qualificada. Na era do conhecimento, os executivos entendem cada vez mais a necessidade do desenvolvimento contínuo e permanente das competências de seus colaboradores e, dentro deste contexto, o e-learning ganha espaço no mercado.

Além do tradicional ensino presencial, o e-learning transformou-se numa realidade para algumas empresas e vem crescendo de forma exponencial, ano após ano. Recentes pesquisas do Portal Learning & Performance Brasil, mostram que há um aumento do interesse das organizações pelo e-Learning, em 2013. Os resultados, obtidos permitem concluir que as organizações estão otimistas quanto à utilização das práticas de e-Learning em 2013, uma vez que grande parte dos executivos consultados (84%) expressaram que o interesse pelas práticas de e-Learning nas suas organizações aumentará consideravelmente este ano.

De acordo com estudo publicado no ano passado pela HSBC Global Research, em menos de uma década, cerca de 1,2 milhão de pessoas devem estar matriculadas em cursos privados de ensino à distância, o que representa um crescimento médio anual de 3,8%.Tais números não são de estranhar, quando lembramos que há um grande déficit educacional no Brasil. Em um país, com as dimensões continentais como o nosso, o e-learning pode ser a mola propulsora para o crescimento para a educação. O ensino à distância atende um grande volume de pessoas com dispersão geográfica em tempo real, bastando para isto, o acesso à internet.

Para as empresas que precisam capacitar seus profissionais, o e-learning mostra-se uma importante ferramenta, pois implica na redução dos custos de viagens e maior rapidez no processo de treinamento. Mas, não podemos esquecer, que esta modalidade de ensino ainda não se consolidou e existem barreiras culturais que impedem a adoção do e-learning em muitas empresas. Ainda estamos em fase de aprendizagem, quando o assunto é educação e tecnologia.

Muitas pessoas ainda acreditam que e-learning é a disponibilização de conteúdo via internet, ledo engano. Há toda uma metodologia de aprendizagem a ser desenvolvida para que a aquisição de conhecimento se reflita no individuo. E esta metodologia é tão importante quanto o conteúdo e a tecnologia. O desenvolvimento de e-learning deve integrar estes três componentes para que possamos ter cursos de qualidade que cumpram seu papel, seja na formação ou na atualização de competências profissionais.  Há vários fatores que devem ser analisados para um curso refletir qualidade como: interatividade, navegabilidade, atratividade, conteúdo, registro de evolução para gerenciamento da aprendizagem e feedback aos treinandos, entre outros, além do ambiente de colaboração, fundamental para a troca de experiências.

O e-learning pode ser uma solução para capacitar os funcionários, mas a fase atual ainda é de transição, com uma longa caminhada pela frente. Inicialmente a tecnologia foi muito valorizada, agora estamos entrando em uma fase onde já entendemos que o modelo de aprendizagem e o seu gerenciamento é o que faz a diferença neste processo, garantindo assim, o que estamos buscando, a aprendizagem contínua.

Susana Falchi é CEO da HSD Consultoria em Recursos Humanos.