Liderança – Na frente

Deming inspirou um sistema de quatro partes e criou uma estratégia eficaz para liderança

John R. Schultz

“O trabalho de gestão não é a supervisão, mas a liderança.” … “O objetivo da liderança deve ser melhorar o desempenho de homem e máquina, para melhorar a qualidade, aumentar a produção e, ao mesmo tempo, trazer orgulho de trabalhar para as pessoas.” 1

W. Edwards Deming acreditava que muitas pessoas vêem a liderança como o resultado de características específicas de sua personalidade que predestina um indivíduo a uma posição de destaque. Outros acreditam que é tudo sobre mentalidade forte, a capacidade de ganhar o controle através da força de vontade. Mas também não é verdade, e este veredito é apoiado por anos de pesquisa acadêmica.

Os líderes podem ser encontrados em todos os níveis organizacionais e pode reunir pessoas para uma causa, porque suas competências e habilidades correspondem a um conjunto particular de necessidades e circunstâncias situacionais. Estas são competências que podem ser aprendidas e praticadas por qualquer pessoa com motivação para avançar.

Liderança e conhecimento profundo

Muitas pessoas têm uma visão ostensiva da liderança, que pode ter muito a ver com os comportamentos por vezes grandiosos exibidos por pessoas visíveis e importantes. A seguinte história de ficção sobre uma personalidade fascinante demonstra este ponto de vista popularizou:

Gertrud Grossmund era a presidente de um colégio historicamente aclamado. O Ph.D. foi bem falado e reconhecido pela comunidade em geral como um indivíduo com visão de futuro que tinha introduzido o planejamento estratégico e gestão de consenso na faculdade. Para os professores e funcionários, no entanto, ela foi vista como uma extravagante autopromotora e uma malandra que era um conversadora magistral.

Articulado e experiente, Grossmund poderia apresentar uma imagem convincente. Quando alguns cargos da diretoria ficavam vagos para a nomeação, por exemplo, ele usava a sua reputação e influência na comunidade para nomear pessoas que, cativadas por sua autoconfiança e de forma persuasiva, eram afáveis para suas ideias.

Ao chegar ao colégio, cinco anos antes, ele pretendia substituir o nível executivo de decanos por novos presidentes de nível executivo. As posições de realinhamento incluía os serviços financeiros, os serviços administrativos, os serviços para estudantes, os serviços educacionais, os serviços de informação e os de RH.

Todos os recém-chegados eram pessoas capazes, amigáveis e geralmente muito apreciadas por suas equipes, mas cada um não foi páreo para a eloquência ou comportamento de Grossmund. Essas pessoas eram diligentes, mas estranhamente quietas e despretensiosas. Elas agiam a mando de Grossmund, mas nunca avançara com suas próprias ideias. Ele parecia ter um dom para escolher introvertidos que saiam de seu caminho para evitar polêmica.

Grossmund iria realizar reuniões mensais abertas e fóruns com os alunos. Quando confrontada com questões difíceis, ela concordou plenamente com eles, sem combater com explicações plausíveis. Falando de forma brilhante e com um tom direto, ela iria oferecer soluções à multidão, sempre atraentes e convincentes. Muitos balançavam a cabeça, concordando, no entanto, quando tudo foi dito e feito, os estudantes deixaram de questionar a sequência exata de raciocínio e lógica que os havia ganhado.

Esta capacidade de vender ideias e convencer os outros de que tudo estava ótimo foi usado em funcionários e professores também. No final, as pessoas muitas vezes se perguntavam o que tinha acordado.

 

Conforme o tempo passava, é claro, as pessoas começaram a perceber que muitas questões foram deixadas de lado e grandes ideias nunca chegaram a acontecer. Embora houvesse reorganizações anuais com departamentos sendo reformulados, as oportunidades acabaram sendo perdidas e o número de matrículas não cresceu em proporção com a outras escolas do sistema estadual. No final, depois de um período sabático demais, a pressão da comunidade e uma declaração de perda de confiança por professores, o conselho pediu a sua demissão.

O que faz um líder?

Os verdadeiros líderes criam oportunidades para as pessoas expressarem o seu valor, principalmente para o seu talento e a capacidade de contribuir, e se reúnem com as pessoas para explorar ideias e encontrar soluções. Eles não dominam a discussão. Eles não têm medo de avançar em ideias novas e fazer o possível para a sua realização. As pessoas são atraídas para os indivíduos que são fortes, deliberados e dispostos a assumir o controle. Porque é estilo e alargamento como um chamariz irresistível?

Vivemos em um mundo complexo em que muitas instituições têm dificuldade para manter uma existência significativa e coerente ao longo de um período prolongado. Algumas organizações parecem funcionar bem por um tempo, mas vacilam com as pressões competitivas e econômicas e expõem suas vulnerabilidades. As notícias documentam muitas dessas falências de empresas.

Algumas pessoas acreditam que as organizações tornaram-se demasiadas grandes e os líderes não estão em contato com as necessidades públicas. Grupos de interesse descontentes exigem resultados, enquanto as questões suscitam marginalizados sobre a conduta ética e justa, e saber o que pode ser feito. Eles se agarram à esperança de que grandes ideias acompanhadas de arrogância e fanfarronice vai levá-los a uma terra prometida.

Liderança é um tema que tem recebido atenção considerável. Bibliotecas e catálogos arquivam inúmeros títulos dedicados à sua prática. Da mesma forma, a liderança tem uma variedade de significados. Aqui estão alguns exemplos:

  • Não há maus soldados sob um bom general. 2
  • Liderança é a força fundamental por trás de organizações de sucesso. Para criar pessoas viáveis, a liderança é necessária para ajudá-los a desenvolver uma nova visão do que pode ser e a capacidade de mobilizar as organizações para a mudança para a nova visão. 3
  • Liderar é a parte central do papel de um gerente, que envolve o trabalho através dos outros para atingir os objetivos organizacionais. 4
  • O trabalho do líder é realizar a transformação de sua organização. Ele ou ela possui o poder de personalidade, conhecimento e persuasivo. 5
  • Liderança define o que o futuro deve ser semelhante, alinha pessoas com essa visão e inspirá-los para que isso aconteça, apesar dos obstáculos. 6
  • Liderança é a presença e o espírito do indivíduo que lidera, e o relacionamento criado com os que são guiados. 7

O que você pode concluir sobre a liderança depois de considerar estas declarações? Para os pensadores mais atuais, há duas hipóteses:

  1. Os líderes fazem as coisas acontecerem.
  2. Eles não fazem isso por si mesmos.

Através da experiência, treinamento ou aptidão pessoal, os líderes podem levar os outros a alcançar resultados considerados desejáveis pelo líder e seus seguidores. Trabalhando juntos, eles podem alterar as circunstâncias comuns e atingir resultados vantajosos.

Um novo sistema de liderança

Durante séculos, os líderes foram reunindo pessoas para uma maior realização para vencer as guerras, construir impérios e, claro, preencher os rigores mundanos do dia a dia de trabalho. Parece que o mundo produziu líderes suficientes para combinar quase qualquer desafio. Certamente, muito já foi escrito sobre o tema. Quem estiver interessado em se tornar um líder pode, através de esforço, promover a si mesmo aplicando o que já é conhecido.

Então, por que é um novo sistema de liderança é necessário? Porque, como já muitos perceberam, as circunstâncias recentes produziram muitas falhas na indústria, finanças e política. As consequências têm sido economicamente devastadoras, com perdas em todos os setores: fechamento de bancos, uma indústria de construção em colapso, uma indústria lutando ainda em recuperação, empregos e segmentos industriais inteiros deixando os Estados Unidos e uma economia em profunda recessão.

Os indivíduos nos cargos de liderança não têm facilitado a melhoria ou uma sociedade melhor. A administração responsável por esta tragédia foi quase criminal, tendo como pano de fundo alguns esquemas que incidiram sobre os ganhos de curto prazo e de autosserviço e muitos problemas nos comportamentos pessoais.

Algo pode ser feito, mas deve assumir a liderança, não do tipo tradicional, mas a liderança profunda. Este novo tipo diferente de liderança transformacional possui um conjunto básico de princípios que produz benefícios para todas as partes interessadas, não apenas a alguns privilegiados.

O sistema de Deming de profundo conhecimento fornece um ponto de vista diferente sobre a liderança. Suas ideias e princípios subjacentes foram os primeiros moldados pela crise econômica na década de 1980, um período em que a qualidade dos produtos norte americanos atingiram o fundo do poço e a demanda por bens estrangeiros aumentou, enquanto fabricação nacional diminuiu lentamente. Essa foi a primeira de muitas crises de crescimento e de ciclos em que os negócios e a liderança política ignoraram as lições e os custos de erros do passado.

O sistema de conhecimento profundo é uma teoria de princípios relacionados que requer um líder ou gestor considerar todos os aspectos organizacionais na tomada de decisões. Isto significa reconhecer como os processos estão interligados e como eles funcionam como um todo dentro do ambiente para que a organização possa atingir as expectativas previstas. Na sua essência, este sistema de liderança inclui quatro partes:

1. Valorização para o sistema – A capacidade de compreender a relação entre os componentes do sistema/fornecedores, produtores e clientes e como eles contribuem para o bem geral da organização, suas partes interessadas e ambiente adjacente.

2. Conhecimento sobre a variação – A capacidade de reconhecer que dois pontos de dados não faz uma tendência, e todos os sistemas de variar ao longo do tempo, às vezes positivamente e negativamente. A informação produzida, no entanto, pode fornecer orientações sobre o que é normal e quando agir.

3. Teoria do conhecimento – A capacidade de compreender como as pessoas aprendem e como fazer avançar a sua capacidade de tomar decisões, melhorar os processos de trabalho e contribuir para o bem comum da organização.

4. Conhecimento de psicologia – A capacidade de reconhecer porque as pessoas se comportam, como eles fazem e criar um ambiente de não baseado em slogans, citações, incentivos ou exortações em que as diferenças individuais e habilidades são usadas para otimizar o sistema para benefício de todos.

Como catalisador de liderança, no entanto, estes quatro elementos não podem ser separados e aplicados individualmente. Todos os elementos interagem uns com os outros para criar uma estratégia abrangente para conduzir os outros e gerenciar o comportamento individual. Deming enquadrou os benefícios desta forma: “Uma vez que o indivíduo entende o sistema de conhecimento profundo, ele vai aplicar seus princípios a todo tipo de relacionamento com outras pessoas. Ele terá uma base para o julgamento de suas próprias decisões e para a transformação da organização que ele pertence. O indivíduo , uma vez transformado, se: dá o exemplo; é um bom ouvinte, mas não vai se comprometer; continuamente ensina a outras pessoas; e ajuda as pessoas a se afastar de sua prática atual e crenças, e se mudar para a nova filosofia sem se sentir culpado sobre o passado.”8

Como uma nota lateral, embora Deming frequentemente utilize o pronome “ele”, a liderança é de gênero neutro. Líderes podem vir de qualquer caminhada da vida e, muitas vezes intensificam o que alguns considerariam condições monótonas. É o resultado da administração de um indivíduo, no entanto, que determina a estatura do líder e a capacidade de gerir.

Competências de liderança

Liderança é um tema que muitas pessoas têm dificuldade em definir. Existem vários pontos de vista variados. Alguns focam isso na capacidade de criar riqueza, enquanto outros consideram os aspectos gerenciais de planejamento, organização, direção e controle. Ainda outros procuram traços e comportamentos, como carisma, que definem líderes para além da multidão de gestão.

Independentemente da forma como a liderança é definida, há influências interpessoais que fazem com que as pessoas subordinem como seguidores. Em geral, os líderes de sucesso apresentam as seguintes características:

  • Influenciar – líderes podem moldar uma visão que tem relevância atual e futura, e comunicar a visão em termos que é prontamente aceita como sua própria. As pessoas olham para os líderes para a direção que irá orientar o seu esforço em direção a um futuro melhor.
  • Know-how – líderes podem compreender fatores circunstanciais, criação de processos e estruturas para permitir que outros realizem a visão. As pessoas acreditam que os líderes têm o conhecimento e as habilidades necessárias para obtê-los através de uma situação particular ou a um resultado desejado.
  • Permanente – Líderes podem se colocar em uma posição em que os outros estão dispostos a confiar e aceitar a direção que irá harmonizar os esforços coletivos para que os seguidores podem realizar a visão da organização. Seja por escolha pessoal ou por voto comum, as pessoas permitem que os líderes canalizem e direcionem suas atividades.

Os indivíduos que apresentam esses recursos têm desenvolvido um conjunto de habilidades que lhes permite comandar quando em uma posição de liderança. Em seu núcleo, o sistema de conhecimento profundo tem competências que suportam as três características de liderança. Competências de liderança são as habilidades que definem esse sistema de acionamento de Deming de conhecimento profundo 9 e, portanto, a expressão de características de liderança.

O poder do líder e a sua capacidade de exercer influência e comportamentos dos canais individuais e ações, depende deste conjunto de habilidades distintas e sua execução capaz. As habilidades que caracterizam um líder capaz e profundamente eficaz incluem:

  • Articula um futuro atraente. O líder pode definir e comunicar o propósito da organização.
  • Centra-se no longo prazo. O líder pode criar um mapa que focalize a atenção sobre a sobrevivência da organização a longo prazo.
  • Centros de diversos esforços para que os benefícios de todo o sistema. Líder pode gerenciar a organização como um sistema, eliminando barreiras entre os componentes que as pessoas possam trabalhar em equipe para o bem comum.
  • Prevê estruturas de habilitação. O líder pode facilitar o desenvolvimento de uma infraestrutura que acomoda a diversidade do comportamento humano e coordena as atividades individuais para ações alinhar com os objetivos de longo prazo e de curto prazo.
  • Aprecia o impacto da variação. Líder pode reconhecer a inerente variabilidade de influências organizacionais e atividades, distinguir o que é normal e compreender o tipo de ação para responder a cada condição. Liderança baseia-se na utilização de dados para tomar decisões.
  • Facilita o desenvolvimento individual. Líder pode fornecer recursos para o desenvolvimento das capacidades individuais, aumentando o acesso à informação e ao aprendizado que as pessoas possam resolver problemas, tomar decisões e contribuir para a organização de bem-estar.
  • Desperta comportamentos e ações que contribuam para o bem comum. Líder pode usar reforço positivo e recompensas intrínsecas para inspirar ações que alcançar resultados alinhados com os esforços do grupo e o objetivo geral da organização.
  • Exibe credibilidade pessoal. O líder pode estabelecer um senso de credibilidade pessoal, que dá um exemplo, mostrando a ética pessoal, gestão de emoções e assumir a responsabilidade pelos resultados de ações individuais e subordinado.

A capacidade de aplicar essas habilidades, é claro, depende de fatores situacionais e emocional, as necessidades do grupo e circunstâncias, e capacidade de o líder do indivíduo e bom senso. Independentemente disso, a liderança é um aspecto importante no sucesso ou fracasso da organização, e pode ser encontrado em contextos formais e informais, e em todos os níveis da organização.

Implicações da liderança

O que tudo isso significa? Quais são as lições aprendidas ou conclusões a tirar?

  • Liderança não é uma qualidade inerente intuitiva que alguns indivíduos têm e outros não.
  • O trabalho de um líder é complexo, mas as ideias que definem e moldam a função de liderança podem ser identificadas e, consequentemente, incorporadas como sua própria.
  • A liderança é baseada em competências. As habilidades podem ser ensinadas e aprendidas.
  • Liderança é como qualquer outra habilidade. Proficiência é adquirida através de treinamento de professores e mentores, e através da experiência em uma variedade de ambientes de trabalho.
  • Comportamentos de liderança devem ser adaptáveis, flexíveis e eficientes o suficiente para atender as necessidades situacionais de seguidores.
  • A liderança pode ser encontrada em todos os níveis organizacionais. O papel pode ser formal (oficialmente selecionado) ou informal (seguidor nomeado).
  • Qualquer pessoa com ambição suficiente, disciplina mental e maturidade emocional tem o potencial para se tornar um líder.
  • Liderança baseada em princípios e competências encontradas no sistema de Deming de conhecimento profundo é transformadora e vai fazer qualquer organização mais competitiva e um lugar em que as pessoas têm orgulho de trabalhar.

As organizações de sucesso têm um elemento importante que os diferencia dos entes sem sucesso: Eles têm liderança prospectivas, adaptável às condições de mudança e preocupado com os processos culturais que tornam possível para a força de trabalho para atender os objetivos organizacionais e expectativas.

O sistema de conhecimento profundo contém princípios transformadores que, quando aplicado a liderança, fornece uma base sólida para o julgamento e tomada de decisão. Líderes são pessoas que pensam que a mudança é necessária e pode unificar os outros a fazer isso acontecer.

Referências
  1. W. Edwards Deming, Out of the Crisis , MIT Press, 1986, p. 54.
  2. Ralph GH Siu, O Gerente de Mestre, John Wiley & Sons, 1980.
  3. Warren Bennis e Burt Nanus, Líderes: estratégias para assumir o comando, Harper and Row Publishing Inc., 1985.
  4. James Arthur Finch Stoner e R. Edward Freeman Jr., Gestão, quarta edição, Prentice-Hall Inc., 1989.
  5. W. Edwards Deming, A Nova Economia, MIT Press, 1994.
  6. John P. Kotter, Mudança de líder, Harvard Business School Press, 1996.
  7. Peter R. Scholtes, O Manual de Líderes, McGraw-Hill, 1998.
  8. Deming, A Nova Economia, ver referência 5, p. 93.
  9. Ibid.

John R. Schultz é um consultor de gestão baseado em West Bend, WI. Um professor universitário aposentado, ele administrou um programa de certificação técnica avançada em gestão da qualidade. Schultz obteve o grau de mestre em gestão da National-Louis University, em Evanston, Illinois, e escreveu para que tudo funcione: Um Guia de Bolso para sustentar a mudança de Aperfeiçoamento de âncora e os próximos quatro cantos Liderança: Um Quadro para tomada de decisões.

Fonte: Quality Progress – American Society Quality (ASQ) – http://asq.org/quality-progress/2013/01/leadership/out-in-front.html

Tradução: Hayrton Rodrigues do Prado Filho

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: