Os fatores que impactam o envolvimento das pessoas e suas competências (Parte 1)

A NBR ISO 10018 de 08/2013 – Gestão de qualidade – Diretrizes para envolvimento das pessoas e suas competências, além de fornecer orientação para envolver as pessoas no sistema de gestão da qualidade de uma organização e para adquirir e desenvolver suas competências, descreve no seu Anexo A os fatores que impactam o envolvimento das pessoas e suas competências.

No Anexo B há as considerações sobre a autoavaliação, que podem ser usadas como uma lista de verificação para avaliar a situação em relação às participação das pessoas e a competência em uma organização. O nível de envolvimento das pessoas e de suas competências pode também ser verifi cado comparando as ações terminadas em função dos itens listados sob cada seção. Vários ajustes são possíveis ao determinar o nível de envolvimento, por exemplo, avaliando o grau a que as ações separadas são terminadas, ou colocando ponderações diferentes às ações.

CLIQUE NAS FIGURAS PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO

Autoavaliação da participação das pessoas

quadro 1

Autoavaliação das competências

quadro 2

Atitude e motivação – Os líderes devem assegurar-se de que as pessoas tenham a atitude e a motivação para conseguir os resultados desejados pela organização. Os benefícios-chave de atitudes positivas e de motivação são a promoção de um ambiente de trabalho que conduz ao alcance dos resultados planejados.

O comportamento das pessoas deve ser consistente com as estratégias, as políticas e os procedimentos da organização. Isto envolve as pessoas que demonstram valores e comportamentos que os conduzam a atuar de uma maneira orientada para a realização dos objetivos de organização.

As opiniões de uma pessoa em relação às políticas da organização, aos procedimentos, aos processos, ao produto, aos fornecedores, ao pessoal, aos clientes, à alta direção ou a outros elementos do sistema de gestão dão a fi nalidade e a direção a seu comportamento. As atitudes positivas se desenvolvem em consequência do comportamento da liderança, fornecendo a educação, o desenvolvimento das competências e os programas estruturados de reconhecimento.

Conscientização – As pessoas devem compreender as políticas e os objetivos do sistema de gestão da qualidade e de seu papel na ajuda para atingi-los. Para conseguir isto, as pessoas devem estar cientes de que a NBR ISO 9001 exige que a organização estabeleça um sistema de gestão da qualidade em que os processos são identificados e a operação eficaz do processo assegurada. As pessoas devem compreender suas responsabilidades individuais em conseguir a operação efi caz do processo.

Os líderes devem assegurar que as pessoas na organização compreendam a fi nalidade do sistema de gestão da qualidade e seu papel no sistema. Devem também assegurar que as pessoas estejam cientes de que o sistema de gestão da qualidade inclui os documentos para a política e os objetivos, um manual e os procedimentos, documentos de planejamento e registros, que devem ser conhecidos e controlados. As pessoas devem ser envolvidas em todas as fases de identificação do processo e dos controles com que trabalham e devem estar cientes de suas responsabilidades do processo.

A conscientização é frequentemente provida durante a incorporação de uma pessoa na organização. Métodos de prover essa conscientização pode ser através de explanação de um supervisor, apresentação em grupo em slides ou vídeos. Entretanto, convém que ela seja encarada como uma atividade contínua fornecendo informações, em intervalos regulares, sobre os resultados relacionados com o sistema de gestão da qualidade.

Comunicação – Uma comunicação eficaz é necessária para que pessoas de dentro e fora da organização trabalhem com objetivos comuns. Enquanto as organizações crescem e se tornam mais complexas, a comunicação torna-se mais difícil. A precisão, a brevidade e a clareza fazem uma comunicação eficaz. O objetivo de uma comunicação qualquer precisa ser claro, e conteúdos desnecessários devem ser evitados. Uma mensagem deve ser entregue nos termos mais simples e deve estar em uma forma que seja compreendida pelo receptor.

As mensagens verbais não são sempre compreendidas claramente na primeira vez, e pontos-chave devem ser repetidos. Uma comunicação pode ser entregue através de mídia verbal ou não verbal. A mídia correta para uma mensagem deve ser escolhida considerando a audiência. A mídia e os métodos dependerão da finalidade e da natureza da comunicação. As mensagens complexas devem ser documentadas e as mensagens simples podem ser fornecidas verbalmente. As mensagens importantes serão fornecidas geralmente em mídia múltipla, por exemplo visualmente, verbalmente e em forma escrita.

Os exemplos da mídia incluem reuniões frente a frente, boletins de notícias, blogs, e-mail, conferências e videoconferências. Em uma organização hierárquica, uma comunicação interna pode ser “de cima para baixo” dos líderes e dos gerentes, e pode ser “de baixo para cima” quando informação sobre desempenho é fornecida. Uma organização em matriz teria também uma comunicação multifuncional entre os grupos e entre as pessoas que compartilham da informação.

A comunicação é necessária para fornecer a informação sobre o sistema de gestão da qualidade e as estratégias de organização. É também necessário para pedir às pessoas as suas opiniões, que assim podem influenciar planos e decisões, e para fornecer uma compreensão de quais as questões são importantes para o trabalho de cada indivíduo.

Criatividade e inovação – A criatividade e a inovação dentro da organização ajudam a melhorar processos e produtos existentes e a criar produtos e serviços novos para o mercado. A criatividade é o processo de produzir ideias novas, enquanto que a inovação é o processo de criar e de aplicar estas ideias. No contexto de uma organização, o termo “inovação” refere-se ao processo inteiro pelo qual as pessoas ou os grupos geram ideias novas e as convertem em produtos comerciais, em serviços e em práticas de negócio.

A inovação é obtida frequentemente em consequência de compartilhamento do conhecimento coletivo. A inovação bem-sucedida resulta de um grau alto de participação das pessoas. A natureza da contribuição que as pessoas fazem ao processo de inovação muda com o processo.

As necessidades em mudança no local de trabalho moderno exigem indivíduos que trabalhem dentro dos processos estáveis existentes e também para operar efi cazmente em um ambiente de trabalho em mudança, usando novas competências de criatividade e inovação. Para desenvolver a criatividade e a inovação, os líderes devem reconhecer e incentivar a inovação. Isto é conseguido identificando oportunidades de inovar e encorajando pessoas para criar soluções práticas.

Educação e aprendizagem – A competência é a capacidade para aplicar o conhecimento e as habilidades para conseguir resultados pretendidos. O benefício da educação e da aprendizagem é o aumento na competência, que conduz a um aumento na capacidade de uma pessoa para criar valor para a organização e seus clientes.

A educação e a aprendizagem são fatores essenciais na participação das pessoas e nas competências. As organizações bem-sucedidas aplicam o conhecimento e as habilidades de suas pessoas de uma maneira que cria valor para a organização e seus clientes.

O aprendizado é o processo de adquirir o conhecimento ou habilidades pela experiência estudo, ou instrução. A aprendizagem formal conduzirá frequentemente uma pessoa a receber qualificações.

Os processos de aprendizagem podem aplicar-se a uma pessoa ou, coletivamente, a uma organização. Uma organização deve reconhecer que as pessoas aprendem de maneiras diferentes. Os adultos aprendem diferentemente das crianças. Algumas pessoas são mais adequadas a um ambiente de sala de aula e outros a um ambiente de tutoria. Outros aprendem melhor em um ambiente baseado na internet.

A organização em aprendizagem focaliza em aumentar seu conhecimento para aumentar continuamente a capacidade da organização para o desempenho. As organizações precisam ser competentes para ser competitivas. Para conseguir o fluxo de informação e de conhecimento necessário e tornar-se uma organização de aprendizagem, os processos da organização precisam formar um sistema de gestão. A capacidade de uma organização para aprender permite-lhe ser mais competitiva. A organização em aprendizagem focaliza em aumentar seu conhecimento para aumentar continuamente a capacidade da organização para o desempenho.

Os benefícios de uma aprendizagem efi caz são um aumento no sentimento de realização, satisfação e segurança profissional. Isto conduz a uma melhoria na atitude e na motivação. A melhoria nas competências, como comunicação, conduz à melhoria na qualidade do produto e no melhor serviço ao cliente. Para a organização, isto conduz ao aumento da competitividade e da rentabilidade.

Delegação de autoridade – A delegação de autoridade (empowerment) permite que as pessoas tomem a responsabilidade por seu trabalho e seus resultados. Isto é conseguido fornecendo as pessoas informações, autoridade e liberdade necessárias para tomar as decisões relativas ao seu próprio trabalho. Isto conduz a uma redução na necessidade do controle centralizado e permite que uma organização opere com maior agilidade.

Para conseguir isto, convem que os líderes defi nam objetivos individuais, deleguem autoridade e responsabilidade e criem um ambiente de trabalho em que as pessoas controlem o seu próprio trabalho e tomada de decisão. Convem que a organização ofereça incentivos para que as pessoas atuem de forma autônoma, reconhecendo o seu desempenho, recompensando resultados e comemorando os objetivos alcançados.

Convem que recursos sejam fornecidos para desenvolver a competência das pessoas. Convem que sejam fornecidos conhecimento e informação completos sobre o seu trabalho e também sobre o desempenho e as tendências da organização. A delegação de autoridade aprimora a aprendizagem. Uma característica de equipes bem sucedidas é estar investidas de autoridade para tomar decisões. A delegação de autoridade permite que um líder e um gerente invistam mais tempo em estratégia e planejamento.

70x70

É possível ser um empreendedor de sucesso e preservar a qualidade de vida

REGULAMENTOS TÉCNICOS

Os Regulamentos Técnicos, estabelecidos por órgãos oficiais nos níveis federal, estadual ou municipal, de acordo com as suas competências específicas, estabelecidas legalmente e que contém regras de observância obrigatórias às quais estabelecem requisitos técnicos, seja diretamente, seja pela referência a uma Norma Brasileira ou por incorporação do seu conteúdo, no todo ou em parte, também estão disponíveis aqui no Portal Target.

Estes regulamentos, em geral, visam assegurar aspectos relativos à saúde, à segurança, ao meio ambiente, ou à proteção do consumidor e da concorrência justa, além de, por vezes, estabelecer os requisitos técnicos para um produto, processo ou serviço, podendo assim também estabelecer procedimentos para a avaliação da conformidade ao regulamento, inclusive a certificação compulsória.

Você pode realizar pesquisas selecionando o produto “Regulamentos Técnicos” e informando a(s) palavra(s) desejada(s).

Para fazer uma pesquisa clique no link https://www.target.com.br/produtossolucoes/regulamentos/regulamentos.aspx

Ernesto Haberkorn

Há um provérbio, atribuído à Dalai Lama, que diz: “os homens perdem saúde para ganhar dinheiro e perdem dinheiro para reaver a saúde”. Não sei se a autoria procede, mas o conteúdo da frase está mais do que correto.

O tema qualidade de vida vem sendo amplamente discutido na sociedade contemporânea, com inúmeras publicações, programas, dicas, novelas e receitas de como ser uma pessoa feliz, magra e com saúde. Por outro lado, também há uma cobrança da sociedade de que a pessoa seja bem-sucedida, rica e, se for possível, dona do próprio negócio.

A partir disso, ficam as perguntas: é possível ganhar dinheiro e saúde, sem perder um ou outro? É possível ser um profissional de sucesso e com qualidade de vida? A resposta depende muito do que a pessoa entende por “sucesso” e “felicidade”. Porém, posso afirmar que, se seguirmos alguns princípios fáceis de entender, mas não tão fáceis de adotar (e que também servem para a vida pessoal), conseguiremos nos equilibrar sobre estes dois pilares.

Como o tema aqui é o dia a dia de um profissional, vamos iniciar pelos princípios a serem colocados em prática neste campo. O primeiro, é fazer do trabalho um lazer, um prazer. É importante ter sempre o que fazer, acordar de manhã e lembrar que naquele dia você irá cumprir mais uma etapa do seu trabalho e, finalmente, que o seu trabalho traga algum benefício para você ou para os outros. Não estou falando aqui apenas de dinheiro.

Outro princípio é agir com ousadia, calma e persistência. Para ser proativo é preciso ser ousado, mas sempre com segurança. Nada de dar um passo maior que a perna. Porém, se ficar a dúvida, faça! As pessoas se arrependem muito mais daquilo que não fizeram. Por fim, outra dica importante é ter sempre metas. Quem não tem metas passa a vida matando o tempo. A vida sem metas é monótona. E tudo o que é monótono estagna-se.

Já os princípios a serem colocados em prática no campo pessoal, o primeiro que destaco é a prática de atividade física. Fazendo uma comparação com o computador, a prática esportiva “azeita” nosso hardware. Falando em azeite, ter uma alimentação orgânica e equilibrada, também ajuda na realização pessoal.

Outro princípio é dormir o suficiente para sentir-se descansado. Dormir não é perda de tempo, muito pelo contrário. Revigora-se para não dormir no trabalho ou volante. Além desses, destaco três outros pontos: estar sempre bem informado, viver a sua própria espiritualidade (não importa qual) e jamais ter inimigos.

Por último, deixei um princípio meio piegas, mas importantíssimo: amar. Desde o amor paixão até o amor fraternal pela família ou amigos. Qualquer tipo de amor ajuda a encarar a vida de maneira mais agradável, mais bonita.

Como avisado anteriormente, estes são princípios fáceis de entender, mas difíceis de serem colocados em prática. O mais importante é que a pessoa saiba focar os seus objetivos e não cometa excessos em nenhum dos dois campos, caso contrário, a balança vai alçar um lado e rebaixar o outro.

Ernesto Haberkorn é criador do Circuito NETAS (acrônimo de Natureza, Esporte, Trabalho, Amor e saúde), treinamento diferenciado, criado com o intuito de apresentar uma rotina mais saudável e com qualidade de vida aos executivos; e diretor da TI Educacional.

banner.jpg