Uma equipe unida gera bons resultados

gedweb_qualidade

Ana Paula Azevedo, sócia-diretora da Garcia Azevedo e Consultores, especializada na implementação de estratégias em Gestão Integrada dos Recursos Humanos

Falar sobre trabalho em equipe, muitas vezes, parece um assunto batido. Mas ele é fundamental para o atingimento de bons resultados. A representatividade de equipes de alta performance no desempenho financeiro de uma empresa é excessiva. Ela pode influenciar muito na definição do sucesso de uma empresa. Isso porque times admiráveis têm como características a coesão e o foco.

E qual a diferença entre um grupo e uma equipe vencedora? A equipe tem uma causa, ela conhece seus objetivos, e os participantes trabalham juntos na mesma direção. A paixão e o comprometimento são ingredientes fundamentais para o sucesso deste time. Além disso, o resultado do todo é mais importante que o individual.

As empresas, atualmente, buscam profissionais que saibam se relacionar com pares e atuar de maneira coesa em equipe. Problemas como diferenças de visões, temperamentos e comportamentos, definitivamente, acontecem. O desafio é apreciar a diversidade e aprender a crescer com este tipo de cenário.

O time tem que atingir um alto nível de maturidade para saber resolver conflitos, como também conviver com profissionais de diferentes perfis, experiências, crenças, atitudes, ideias e opiniões. Para isto, saber ouvir, ter uma comunicação assertiva, respeitar os desejos e opiniões dos participantes do grupo e equilíbrio emocional são fundamentais.

O feedback constante entre os participantes da equipe é necessário para a manutenção de um time sadio, que fala diretamente com quem tem uma divergência de maneira transparente, madura, e educada.

É percebido que quanto maior a maturidade profissional de um indivíduo, mais ele consegue ouvir, respeitar e reconhecer os pontos fortes de seus pares. O papel do líder na construção e consolidação de uma equipe diferenciada é imprescindível. Ele deve fomentar o conhecimento da missão, visão, valores e objetivos da empresa para que os profissionais saibam a razão do trabalho deles e como cada um pode agregar valor a equipe, e consequentemente, a organização.

O incentivo das diferenças, opiniões e da busca da melhor entrega de cada participante em benefício da empresa, são atitudes esperadas de um gestor diferenciado. Ele precisa permitir que seus colaboradores tomem decisões e façam sugestões, trazendo inteligência aos processos e aumentando os resultados da organização. Claro que, para isso, a equipe deve ter um nível de maturidade mínimo. Se não o tiver, cabe ao líder desenvolver esta maturidade.

Um bom líder é parceiro de sua equipe. Ele envolve seus funcionários, sabe ouvir, contagia com atitudes positivas, coesas e cheias de energia. Isto não quer dizer que seu papel seja paternalista, pelo contrário, ele deve planejar e estruturar as ações juntamente com a equipe, buscando sempre a superação, tanto dele como do grupo todo. Para isso, ele deve enxergar como cada funcionário do seu time atua e reconhecer o desempenho de cada membro.

Para finalizar, duas citações que ilustram bem o cenário: “As equipes brilhantes são formadas por pessoas especiais que, em geral, se irritam umas com as outras. Mas, com a ajuda ‘espiritual’ de um líder ‘iluminado’, encontram a forma de serem elas mesmas e, ao mesmo tempo, consagrarem-se como equipe.” (Tom Peters); “Com talento, ganhamos partidas; com trabalho em equipe e inteligência, ganhamos campeonatos.” (Michael Jordan).

Sustentabilidade: ideias simples com retorno garantido

GLOSSÁRIO TÉCNICO GRATUITO

Selecione o idioma que deseja ordenar os termos técnicos:

de Português para Inglês

de Português para Espanhol

de Inglês para Português

de Espanhol para Português

Cecília Vick

Sustentabilidade ainda é um tema novo no ambiente corporativo aqui no Brasil, apesar de muito comentado. Os empresários mostram receio quando se trata de aplicar ações sustentáveis em suas companhias. O temor é de um possível aumento nos custos e a consequente queda dos lucros. Tudo parece muito complicado, muito difícil.

Esse pensamento, porém, não corresponde à realidade. Implantar práticas sustentáveis envolve menos gastos do que muitos imaginam. Não se trata apenas de criar relatórios, consultorias e gestões complexas. Basta seguir alguns métodos fáceis que podem ser utilizados por todos, e de forma muito simplista. Veja algumas ideias:

– Pense simples – Pode-se economizar energia elétrica ao desligar os computadores fora do horário de expediente, instalar torneiras automáticas nos banheiros para reduzir o consumo de água e também propor o menor uso de papel nas impressões. Outras ações envolvem o reuso de água do sistema de ar-condicionado, a manutenção correta do sistema hidráulico e a opção pelo modo econômico de aparelhos elétricos quando não estiverem em uso. É importante ter um relatório para saber o real resultado dessas iniciativas, mas isso não deve ser o seu maior foco. É muito mais simples do que parece.

– Envolva a todos – para o primeiro ponto dar certo, é necessário que os colaboradores estejam envolvidos nesses processos. Avisos nos banheiros e nas impressoras ajudam, mas é preciso realizar métodos que estimulem a tomada de consciência. Reuniões ou treinamentos podem ser utilizados, de acordo com o que funciona bem em cada empresa.

– Mostre os resultados – quando os primeiros resultados aparecerem, divulgue-os para que todos dentro da companhia percebam como a sustentabilidade também traz um retorno financeiro. A conta é básica: menor uso de água, energia elétrica e papel logo resultam em economia financeira e criam maior margem para o lucro.

Há números que reforçam isso. O Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) do BM&F Bovespa, que leva em conta corporações com essas práticas, apresentou uma valorização maior do que o próprio Ibovespa nos últimos tempos. Há também o ganho da marca. Uma empresa sustentável se posiciona como responsável e engajada em questões sociais. De acordo com o Sebrae, 79% das companhias com essas ações atraem mais clientes.

Estes hábitos são tão simples que podem e devem ser utilizados também fora do ambiente corporativo, nas casas dos colaboradores, por conta de seus benefícios. É uma prática imprescindível para quem quer retorno financeiro com engajamento social.

Cecília Vick é diretora executiva da GreenClick.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Facebook: http://www.facebook.com/#!/hayrton.prado

Skype: hayrton.prado1