Pós para extinção de incêndios precisam cumprir a norma técnica

normas_374x204.gif

Crie sua biblioteca técnica digital e acesse qualquer norma técnica por R$ 15,00. Com o objetivo de fomentar a utilização e aplicação das normas técnicas brasileiras, facilitando o acesso a esse conteúdo técnico essencial para o dia-a-dia da sociedade brasileira, a Target, por tempo determinado, cobrará apenas R$ 15,00 pela inclusão da norma técnica brasileira em sua biblioteca técnica digital. Acesse http://www.normas.com.br/

O pó para extinção de incêndio é definido como uma mistura na forma de pó, com propriedade de extinção de incêndio, constituída de um ou mais produtos inibidores e outras substâncias que proporcionam propriedades físico-químicas a ela. Normalmente, o pó químico comum é fabricado com 95% de bicarbonato de sódio, micropulverizado e 5% de estearato de potássio, de magnésio e outros, para melhorar sua fluidez e torná-lo repelente à umidade e ao empedramento.

Age por abafamento e, segundo teorias mais modernas, age por interrupção da reação em cadeia de combustão, motivo pelo qual é o agente mais eficiente para incêndios de Classe B. Os produtos químicos secos são agentes extintores indicados para dar combate eficiente a incêndios que envolvam líquidos inflamáveis. Podem ser utilizados naqueles ocorridos em equipamentos elétricos energizados (fogo de Classe C), pois são maus condutores de eletricidade. Contudo, deve-se evitá-lo em equipamentos eletrônicos onde, aliás, o CO2 é mais indicado. Não dá bons resultados nos incêndios de Classe A.

O efeito do agente químico seco não é prolongado, caso exista no local fonte de reignição, como, por exemplo, superfícies metálicas aquecidas, o incêndio poderá ser reativado. Não deve ser usado em painéis de relés e contatos elétricos, como centrais telefônicas, computadores, etc. Em resumo, existe o pó para extinção de incêndio BC e o pó para extinção de incêndio ABC, que utilizam os seguintes produtos inibidores: bicarbonato de sódio (NaHCO3); bicarbonato de potássio (KHCO3); e fosfato de monoamônio (NH4H2PO4).

A NBR 9695 de 01/2012 – Pó para extinção de incêndio fixa os requisitos mínimos para propriedades físico-químicas, bem como de desempenho,para agentes químicos na forma de pó utilizados para combate a incêndios nas classes de fogo A, B e C, para os seguintes produtos inibidores: bicarbonato de sódio (NaHCOs) que deve ser identificado pela cor branca; bicarbonato de potássio (KHCOs) que deve ser identificado pela cor púrpura; e fosfato de monoamônio (NH4H2P04) que deve ser identificado pela cor amarela. Aplica-se ao controle de fabricação do pó embalado para comercialização e do pó contidoem extintores de incêndio. Estabelece as informações e dados a serem declarados pelo fabricante quando do fornecimento do pó comercializado.

O fabricante deve declarar na embalagem do produto no mínimo as seguintes informações: a sentença: “Pó para extinção de incêndio”; número desta norma; nome do produto, produto inibidor utilizado, bem como as classes de fogo às quais se destina; a razão social do fabricante; a composição do pó conforme estabelecido em 6.1; a data de fabricação expressa em trimestre e ano; a validade do produto; o número da batelada de fabricação; e informações referentes a manuseio, preservação, uso e armazenagem da embalagem com produto. Igualmente, o fabricante deve disponibilizar a Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ), conforme NBR 14725-4, para cada produto fabricado.

A amostra deve ser coletada de uma batelada. Quantidade suficiente de produto deve ser retirada de uma embalagem escolhida ao acaso, integrante da batelada. Quando a embalagem individual não comportar a quantidade suficiente de produto para a realização dos ensaios, uma outra embalagem é escolhida ao acaso, pertencente à mesma batelada, a fim de completar a quantidade necessária de produto.

Objetivando evitar riscos de condensação, é essencial que a temperatura do pó contido em sua embalagem original não seja inferior à temperatura ambiente quando a amostra for coletada. O recipiente onde a amostra coletada é depositada deve ser aberto no laboratório quando o equilíbrio de temperatura for obtido. O teor mínimo de produtos inibidores deve ser: bicarbonato de sódio, 90%, bicarbonato de potássio, 70% e fosfato monoamônico, 40%.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Facebook: http://www.facebook.com/#!/hayrton.prado

Skype: hayrton.prado1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: