Previsão: para onde vai a TV

A intenção do estudo foi trazer um olhar aprofundado sobre as expectativas dos telespectadores em 2020, e a evolução que elas irão provocar na experiência do consumidor de TV

Com base em uma ampla pesquisa feita pela Ericsson (NASDAQ: ERIC), o Projeto Media Vision 2020 traçou a visão estratégica da empresa, mostrando como evoluirão a TV e o cenário da mídia. A Ericsson definiu os seis fatores mais influentes que impulsionam sua Media Vision 2020 com o Game Changers sendo elementos fundamentais de interconexão de negócios, consumidores e tecnologia.

“A Experiência em Constante Evolução” da Ericsson é o primeiro dos seis Game Changers. O relatório traça um retrato de como o consumo da geração de 2020 contará com experiências de TV, cinema e jogo integradas, acessíveis e adaptadas aos seus interesses, dispositivos e situações pessoais. Maior definição, várias telas e interatividade envolverão de maneira mais transparente o conteúdo premium, em um mundo em que o vídeo se funde com as mídias sociais. A Ericsson também explora como a definição de “experiência” está se expandindo, à medida que o setor de mídia perde sua exclusividade na formação desta experiência para fabricantes de dispositivos, redes sociais e aplicativos. A visão do Game Changer “A Experiência em Constante Evolução” da Ericsson pode ser conferida no quadro abaixo.

TV

* Mercados avançados de TV

Fonte : Relatório The Game Changer “A Experiência em Constante Evolução”, da Ericsson

“Os consumidores estão mudando, rapidamente, os seus valores e suposições sobre a descoberta, o acesso e a experiência de conteúdo de TV por assinatura. E o setor de mídia tem de se adaptar para atender a essas expectativas”, diz Adrian Gioia, diretor de desenvolvimento de soluções para TV e multimídia da Ericsson na América Latina.  “Os proprietários de conteúdo e emissoras devem mudar os formatos de programação, os direitos de distribuição e os modelos de publicidade. Os provedores de serviços de TV devem se tornar agregadores de valor definitivos e permitir que os telespectadores escolham e misturem o conteúdo de uma forma específica e encontrem tudo sobre qualquer coisa. Expomos a nossa visão da evolução da experiência de TV para dar aos nossos clientes o conhecimento necessário para atender os consumidores exigentes de 2020”.

À medida que os consumidores impulsionam a mudança e impõem exigências sobre a tecnologia e os modelos de negócios do setor de mídia, o Game Changer “A Experiência em Constante Evolução” da Ericsson destaca os impactos específicos que permitem aos proprietários de conteúdo, emissoras, provedores de serviços de TV, proprietários de redes e anunciantes ter sucesso no caminho para 2020. O relatório completo em inglês: Media Vision 2020

Anúncios

Difícil situação

NORMAS COMENTADAS

NBR 14039 – COMENTADA
de 05/2005

Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV. Possui 140 páginas de comentários…

Nr. de Páginas: 87

NBR 5410 – COMENTADA
de 09/2004

Instalações elétricas de baixa tensão – Versão comentada.

Nr. de Páginas: 209

NBR ISO 9001 – COMENTADA
de 11/2008

Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos. Versão comentada.

Nr. de Páginas: 28

Luiz Gonzaga Bertelli

A educação é a propulsora do desenvolvimento. Atua não só no coletivo como está intrinsecamente ligada à construção do próprio indivíduo. Para o educador Paulo Freire, é o único caminho para a transformação da sociedade. Quanto mais as pessoas estudarem, mais oportunidades terão no mercado de trabalho. Alguém que conclui um curso de pós-graduação tem 422% mais chances de conseguir um emprego do que uma pessoa analfabeta, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Uma boa educação também melhora as condições econômicas de um país, pois os indivíduos consumem mais e dependem bem menos das políticas sociais. A educação é capaz, ainda, de diminuir os índices de violência, promovendo a igualdade social.

Apesar das benesses, a cada estatística anunciada, uma decepção quanto à qualidade de ensino. Em São Paulo, o estado mais rico da federação, quatro em cada dez alunos chegaram ao fim do ensino médio na rede estadual sabendo menos do que o básico em língua portuguesa, segundo os índices de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo. Os resultados são analisados a partir da pontuação dos alunos nas provas de português e matemática do Saresp, que foram medidos em quatro níveis: abaixo do básico, básico, adequado e avançado.

A proporção de alunos que ficaram no pior nível aumentou em 2013, em relação ao ano anterior: 39,6% contra 34,4%. Em matemática, o índice dos estudantes no nível mais baixo caiu, mas continua em um patamar altíssimo: de 55,8% em 2012 para 55% em 2013. No Brasil, o cenário é similar como mostra os dados do Pisa: entre 65 nações, o país está em 55.° lugar em leitura; 58.° em matemática e 59.° em ciências.

A situação compromete a inserção dos jovens no mercado de trabalho. A dificuldade para fazer contas e interpretar textos básicos pode barrar o sonho de um emprego. O CIEE, atento às necessidades na formação dos jovens para o mercado de trabalho, oferece 37 cursos gratuitos de educação à distância, com o objetivo de melhorar a empregabilidade da juventude.

O programa Aprendiz Legal, desenvolvido em parceria com a Fundação Roberto Marinho, também busca o aprimoramento da formação, por meio de aulas teóricas específicas para cada modalidade. São saídas que o Terceiro Setor disponibiliza para amenizar a escuridão no túnel, a curto e médio prazos.

Luiz Gonzaga Bertelli é presidente executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.