Pesquisa: obrigação do marketing é puramente inovar

NORMAS COMENTADAS

NBR 14039 – COMENTADA
de 05/2005

Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV. Possui 140 páginas de comentários…

Nr. de Páginas: 87

NBR 5410 – COMENTADA
de 09/2004

Instalações elétricas de baixa tensão – Versão comentada.

Nr. de Páginas: 209

NBR ISO 9001 – COMENTADA
de 11/2008

Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos. Versão comentada.

Nr. de Páginas: 28

Com o desafio de desenvolver abordagens cada vez mais focadas em novas tecnologias para identificar, atrair e engajar o consumidor, levantamento ouviu o que pensam 156 executivos das principais empresas do país sobre a importância e as obrigações do marketing

Tendências em relação ao comportamento do comprador, ao crescimento de novas tecnologias de mídia e novos canais de comunicação dão ao marketing novas funções de trabalho e desenvolvimento de novas habilidades que aliam análise e conhecimento de inteligência de negócios. Pesquisa da DOM Strategy Partners, consultoria 100% nacional focada em estratégia corporativa, revela este cenário apontando que a área é considerada de extrema importância para 93% dos 156 CEOs de empresas de diversos setores econômicos, tais como varejo, serviços, finanças, telecom, seguros, dentre outros.

Segundo o levantamento, 72% dos executivos apostam no marketing como um dos principais fatores para a companhia ter sucesso com os seus diversos públicos. Entre as práticas rumo ao sucesso do novo marketing consideradas prioritárias para os entrevistados, 82% dos CEOS apontam que potencializar as vendas da empresa é ainda a obrigação primaria da área. Já 75% consideram que atrair clientes é o papel primordial do marketing atual e no quesito canais, 69% acham que gerenciá-los é mais importante do que agregá-los, como considera outros 79% dos executivos questionados.

Com o desafio de desenvolver uma abordagem através de novas tecnologias para identificar, atrair e engajar o comprador 2.0, 49% dos CEOS apontam que obrigação do marketing é inovar e a comunicação, neste caso, é vista para 39% como a ação mais assertiva para consolidar a marca para os seus públicos. Neste ponto, a internet é citada como o meio com maior peso relevante no futuro para 88% dos líderes.

Com a expectativa de aumentar em 59% nos próximos dois anos, o orçamento e as práticas do novo marketing se conectarão cada vez mais com as estratégias corporativas das empresas, sendo mensurados através de medições e cobranças como qualquer outro organismo estratégico, conforme aponta Daniel Domeneghetti, CEO da DOM Strategy Partners.

“O marketing se fortalece como função crucial para o sucesso das empresas. Por isso, acionistas e CEOs aumentam suas expectativas sobre sua performance, exigindo da área que entregue as estratégias definidas, gere os resultados pactuados e produza valor. O Marketing agora precisa de métricas apropriáveis e executáveis, que comprovem sua eficácia. Sua gestão tenderá a ser cada vez mais baseada em evidências concretas e retornos palpáveis sobre os seus investimentos, sejam estes no mundo tradicional, sejam esses no cada vez mais natural mundo online, envolvendo ações de inteligência, planejamento, relacionamento com clientes, multicanalidade, branding, comunicação, promoção, princing ou, claro, vendas”, explica o executivo.

Resumo da pesquisa:

– 93% dos executivos entrevistados consideram a área de extrema importância;

– 72% apostam no marketing como um dos principais fatores para a companhia ter sucesso com os seus diversos públicos;

– 82% dos CEOS apontam que potencializar as vendas da empresa é ainda a obrigação primaria da área.

– 75% consideram que atrair clientes é o papel primordial do marketing atual e no quesito canais

– 69% acham que gerenciá-los é mais importante do que agrega-los, como considera outros 79% dos executivos questionados.

Congresso Internacional da Propriedade Intelectual

Abertura de capital e projetos de Inovação, conteúdo audiovisual pela Internet, lojas virtuais e grandes eventos esportivos são alguns dos temas que serão debatidos no XXXIV Congresso Internacional da Propriedade Intelectual da Associação Brasileira da Propriedade Intelectual (ABPI), que acontece de 24 a 26 de agosto no hotel WTC São Paulo. Durante os debates, distribuídos em quatro plenárias e 14 painéis, homens de negócios, juízes, advogados, parlamentares e membros do governo discutirão “A Propriedade Intelectual como Fator de Crescimento Econômico, Competitividade Industrial e Atração de Investimento” sob os vieses das Patentes, Direito Autoral, Transferência de Tecnologia, Biotecnologia, Cultivares, Internet e outros temas de PI. Mais informações e inscrições: http://www.abpi.org.br/congresso2014/

Como economizar água e evitar o racionamento

NR 10 – Atendendo às exigências do Ministério do Trabalho – Reciclagem Obrigatória – A partir de 3 x R$ 264,00 (56% de desconto)

Inspetor de Conformidade das Instalações Elétricas de Baixa Tensão de acordo com a NBR 5410 – A partir de 3 x R$ 320,57 (56% de desconto)

CEP – Controle Estatístico de Processo – A partir de 3 x R$ 165,00 (56% de desconto)

Entendendo e aplicando os conceitos de PPR e PPRO – A partir de 3 x R$ 165,00 (56% de desconto)

A cidade de São Paulo vem vivendo um sério problema em seu abastecimento de água por conta da falta de chuva, decorrente disso, um dos principais reservatórios que distribui água para a cidade, o Sistema Cantareira se encontra em nível crítico. Mesmo o Planeta Terra possuindo 75% da superfície coberta por água, a Organização das Nações Unidas declara que se não houver mudanças de hábitos em relação à economia, em 2030, quase metade da população global terá problemas de abastecimento de água.

As causas mais aparentes em relação à falta de água são o desperdício e a contaminação dos mananciais e cursos d’água. Por isso, Sibylle Muller, engenheira civil e diretora da AcquaBrasilis, destaca cinco importantes dicas sustentáveis de como a população pode economizar água sem passar por um racionamento.

1-    Aproveitar a água da chuva: Mesmo com o nível baixo de chuva nessa época do ano, uma saída para a economia é utilizar o sistema de reuso de água da chuva, que pode ser implantado em residências e condomínios empresariais, aproveitando os dias em que a chuva pode aparecer e captar o líquido para armazenamento e tratamento de água, podendo assim, aproveitá-la para fins não potáveis como irrigação de áreas verdes, em vasos sanitários, lavagem de roupas e carros ou áreas comuns.

2-    Mais economia, menos torneira aberta: A dica aqui é que quando estiver escovando os dentes, evitar ao máximo deixar a água correndo. Essa atitude pode economizar 1,9 milhão de litros de água ao longo da vida se economizada por pelo menos uma pessoa que escova os dentes com a torneira fechada.

3-    Nada de furos: Muitas pessoas não se dão conta, mas canos furados e vazamentos são desperdício de água potável e de dinheiro também. Um buraco de 2 mm em um cano, desperdiça cerca de 96 mil litros do líquido em um único mês. Portanto, é importante fechar as torneiras interrompendo o consumo de água e verificar se os indicadores de hidrômetro continuam girando. Caso isso aconteça, o indicado é procurar um profissional, porque certamente há um vazamento no local.

4-    Água multifuncional: Já é de costume as pessoas utilizarem mangueiras como vassouras para limpar calçadas. Mesmo que a mangueira gaste menos água, o desperdício ainda é grande, pois, cerca de 15 minutos utilizando esse artefato, equivale a 280 litros de água. A alternativa para economizar é substituir a mangueira pelos baldes, de preferência com água reutilizada da máquina de lavar roupas, por exemplo.

5-    Banho consciente e rápido: A economia de água começa pelos hábitos mais comuns do dia a dia, como tomar banho. Foi comprovado que a cada 2 brasileiros que diminuem em pelo menos 5 minutos o tempo do banho, daria para economizar 13,4 bilhões de litros de água por mês, quantidade suficiente para abastecer a população de uma cidade maior que a Bahia, por 30 dias.

“A atual situação da represa é crítica, mas os paulistas podem evitar o racionamento se souberem economizar água no cotidiano”, finaliza Sibylle Muller.