Construindo a cadeia de suprimentos sustentável

A cadeia de suprimentos sustentável revelou-se como uma oportunidade inexplorada para capturar valor e gerar receitas superiores, de acordo com um novo documento técnico divulgado. Enquanto, antigamente, a cadeia de suprimentos era o elo mais fraco do ponto de vista da sustentabilidade, a nova cadeia de suprimentos sustentável de ciclo fechado é um imperativo de negócios que pode reduzir as emissões de carbono, proporcionar reduções significativas de custos e melhorar o favorecimento entre os consumidores.

“Fechando o ciclo: construindo a cadeia de suprimentos sustentável”, o novo documento técnico de Lisa Harrington, presidente do grupo lharrington LLC, encomendado pela DHL, empresa de logística líder mundial. Isso justifica o fato das empresas pensarem de forma diferente sobre suas cadeias de suprimentos e os ‘custos’ relacionados a se tornarem ecologicamente corretas. O artigo argumenta que as empresas que aplicam melhores práticas de negócios – tal como uma das líderes mundiais do mercado de consumo – reportam redução de custos de quase US$ 1 bilhão resultante de sua cadeia de suprimentos sustentável – já não percebem a sustentabilidade como um custo adicional, mas sim como uma oportunidade de criar valor.

Lisa Harrington, presidente do grupo Lharrington LLC, acredita que uma grande mudança de atitude está acontecendo em todos os setores. Os equívocos de que ser ecologicamente correto significa ter custos mais elevados já pertencem ao passado. Quando o modelo de cadeia de suprimentos sustentável é executado corretamente, as empresas capitalizam em aumentos de receita e elogios sociais dos clientes, ao mesmo tempo garantindo que suas operações estejam de acordo com as medidas de conformidade exigidas.

“A receita do sucesso é aplicar corretamente os quatro princípios fundamentais. São eles: reduzir, reutilizar, reciclar e recuperar. A redução está relacionada com a eliminação de resíduos gerando eficiência; a reutilização envolve a remodelagem do produto; já a reciclagem significa garantir que seus resíduos gerados se transformem em oportunidade. A recuperação é o processo de decompor produtos que estão no fim de sua vida útil para capturar valores residuais, tais como os metais preciosos”, afirma.

Diante de tendências de mercado, tais como a pressão crescente do consumidor, a necessidade de melhorar a eficiência e reduzir os custos, a forte exigência com a conformidade e a elevação das expectativas de responsabilidade social, as empresas estão reavaliando sua abordagem de gestão da cadeia de suprimentos sustentável. As empresas líderes estão criando valor através da modificação de suas cadeias de suprimentos para gerenciar suas principais entradas e saídas, tais como energia, carbono, água, materiais e resíduos, de forma a reduzir os impactos ambientais da empresa e gerar novas fontes de receita a partir de seus resíduos.

O documento técnico identifica soluções que permitirão às empresas implementar os quatro princípios fundamentais da cadeia de suprimentos sustentável. Um Parceiro Ambiental Estratégico (Lead Environmental Partner – LEP) cumpre a função de torre de controle, monitorando os fluxos normais e reversos da cadeia de suprimentos para identificar oportunidades que possam proporcionar benefícios ambientais e econômicos aos negócios.

A próxima solução é a abordagem de gestão da cadeia de suprimentos em ciclo fechado, que integra a reciclagem de resíduos, a recuperação de valor e o cumprimento de normas de proteção ambiental através de um Parceiro Ambiental Estratégico (Lead Environmental Partner – LEP) que gerencia a coleta, a separação e a reciclagem dos fluxos de resíduos. Por fim, o Parceiro Ambiental Estratégico (Lead Environmental Partner – LEP) fornece visibilidade através de relatórios de emissão de carbono detalhados que permitem acompanhar o progresso de uma gestão aprimorada.

Chris Jackson, vice-presidente de soluções ambientais, da DHL Supply Chain, defende que a cadeia de suprimentos sustentável tornou-se rapidamente uma oportunidade e uma necessidade para as empresas. As companhias que têm demonstrado aplicar as melhores práticas de mercado estão reduzindo seus custos e economizando milhões, ao mesmo tempo garantindo que seus negócios respeitem os padrões de medidas de conformidade atuais, que podem gerar sérios danos quando não são cumpridos.

“O Parceiro Ambiental Estratégico (Lead Environmental Partner – LEP) ajuda a ampliar ainda mais a redução de custos com sua capacidade de atuar como um único fornecedor para a gestão de resíduos de uma empresa, garantindo que as melhores taxas de reciclagem possíveis sejam alcançadas e que o processo seja o mais simples possível. Por exemplo, atualmente, a abordagem integrada de parceria está na vanguarda da gestão de resíduos com empresas recebendo seus embarques e tendo seus resíduos recicláveis coletados pelo mesmo veículo. Ter um parceiro que possa cumprir essa função poupa centenas de milhares de dólares para a empresa em impostos para aterros sanitários, além de reduzir significativamente as emissões de carbono”, finaliza o executivo.

Siga o blog no TWITTER

Mais notícias, artigos e informações sobre qualidade, meio ambiente, normalização e metrologia.

Linkedin: http://br.linkedin.com/pub/hayrton-prado/2/740/27a

Facebook: http://www.facebook.com/#!/hayrton.prado

Skype: hayrton.prado1

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: