Trabalho em altura: riscos, penalidades e medidas de prevenção

CURSO TÉCNICO

Interpretação e Aplicações da Norma Regulamentadora Nº 13 (NR-13) do MTE (Inspeção de Segurança de Caldeiras e Vasos de Pressão)

A norma regulamentadora NR 13 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) estabelece requisitos compulsórios relativos a projeto, operação e inspeção de caldeiras, vasos de pressão e tubulações. Mais informações clique no link.

Empregadores devem atender à legislação para assegurar a saúde e segurança dos seus funcionários

Atenção redobrada para a execução de trabalho em altura. Nas atividades realizadas em locais elevados, com altura superior a dois metros do piso, o risco de queda pode ter consequências graves e fatais. De acordo com Sheila Comachio, gerente de Segurança do Trabalho do Imtep, um dos maiores grupos de saúde empresarial do país, as ocorrências de acidente de trabalho em altura são provenientes do não atendimento às normas de saúde e segurança do trabalho, em especial a NR 35. “Contudo, importante ressaltar que os requisitos das demais normas regulamentadoras também deverão ser cumpridos”, afirma.

Segundo a profissional, é importante observar as atividades e as condições do ambiente a ser realizado o trabalho. “Por exemplo, a exposição as intempéries, como ventos e chuvas, pode causar hipotermia, portanto recomenda-se o uso de vestimenta adequada ou barreira para impedir a exposição. Já o calor intenso pode causar desidratação e, consequentemente, o mal súbito”, destaca.

Da mesma forma, trabalhos simultâneos que apresentem riscos específicos acarretam em riscos adicionais, como: atividades de corte e solda, com exposição a gases e vapores, eletricidade ou realizadas em áreas classificadas, espaço confinado ou em locais com falta de espaço, iluminação deficiente, presença de equipamentos ou em terrenos instáveis que podem ocasionar soterramento.

De acordo com a Norma Regulamentadora, os empregadores que não cumprem a legislação trabalhista estão sujeitos a multas, que variam conforme o número de empregados, infração e tipo (Segurança ou Medicina do Trabalho). Em caso de reincidência, embaraço ou resistência à fiscalização o valor pode ser ainda maior. “Outra penalidade que pode ser aplicada é quando o agente de inspeção do trabalho constatar situação de risco grave e iminente à saúde ou integridade física do trabalhador. Neste caso, ele poderá propor à autoridade competente a imediata interdição do estabelecimento, setor ou equipamento ou, ainda, embargo parcial ou total da obra”, finaliza Sheila.

Algumas medidas descritas na NR 35 para evitar acidentes em altura:

  • Garantir a implementação das medidas de proteção adequadas, sendo que a seleção, inspeção, forma de utilização e limitação de uso dos sistemas de proteção coletiva e individual devem atender às normas técnicas vigentes, às orientações dos fabricantes e aos princípios da redução do impacto e dos fatores de queda;
  • Realizar a Análise de Risco – AR antes do início da atividade;
  • Emitir Permissão de Trabalho – PT para atividades não rotineiras;
  • Desenvolver procedimento operacional para as atividades rotineiras de trabalho em altura, o qual deve ser documentado, divulgado, entendido e conhecido por todos os trabalhadores que realizam o trabalho bem como as pessoas envolvidas;
  • Assegurar a realização de avaliação prévia das condições do ambiente de trabalho a fim de planejar e implementar as ações e medidas de segurança aplicáveis não contempladas na AR e no procedimento operacional;
  • Criar uma sistemática de autorização dos trabalhadores para trabalho em altura,
  • Assegurar que o trabalho seja supervisionado e a organização e arquivamento da documentação inerente para disponibilização, quando necessário, à Inspeção do Trabalho;
  • Capacitar os trabalhadores através de treinamento periódico prático e teórico com carga mínima de 8 horas;
  • Realizar exames médicos voltados às patologias que poderão originar mal súbito e queda de altura, considerando também os fatores psicossociais;
  • Suspender o trabalho caso ofereça condição de risco não prevista e;
  • Disponibilizar equipe para respostas em caso de emergências para trabalho em altura com os recursos necessários.
Anúncios

Como diminuir calorias na alimentação em cinco passos

CURSO TÉCNICO
Aterramento e a Proteção de Instalações e Equipamentos Sensíveis contra Raios: Fatos e Mitos

Apresentação de novos conceitos e técnicas de projeto que resultem em maior eficiência dos sistemas de proteção contra os efeitos de surtos gerados internamente ou devidos às descargas atmosféricas. Aterramentos e SPDA´s (Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas) não garantem a proteção de equipamentos eletro-eletrônicos. O curso apresenta os mais modernos conceitos e técnicas efetivas para eliminação dos efeitos de raios nas instalações. Clique no link para mais  informações.

Vinícius Possebon

Um dos desafios que mais fazem com que as pessoas desistam da dieta é a reeducação alimentar. Muita gente acha que precisa passar fome para emagrecer, mas não é verdade. Descubra neste artigo como diminuir calorias na alimentação e, mesmo assim, se sentir saciado em todas as refeições.

Para entendermos como esse processo funciona, inicio relembrando que caloria é energia. Desta forma, você sabe que, se entra mais caloria do que você gasta, o ganho de peso é inevitável. Na via contrária, se você gasta mais caloria do que consome, há perda de peso.

Isso, no entanto, não é nenhuma novidade para você, certo? Na verdade, o que está sabotando a sua dieta para emagrecer é justamente essa história de ter que diminuir as calorias na alimentação e acabar passando fome. Nos primeiros dias, você até aguenta o tranco, mas depois, a tentação é maior, você acaba comendo demais e adeus regime.

Para evitar esse problema, eu recomendo fortemente que você faça algumas mudanças permanentes na sua alimentação para diminuir calorias e, mesmo assim, não passar fome e conseguir emagrecer permanentemente. Confira os cinco passos que você precisa seguir:

1. Inclua mais proteína na sua alimentação

Não tem outra: se você quer perder peso, a proteína vai te ajudar bastante. Adicionar mais alimentos ricos em proteína na sua dieta fará com que você perca peso sem fazer tanto esforço e sacrifícios, acredite. São muitos os estudos que mostram que a proteína não só acelera o seu metabolismo, o que faz com que você queime gordura em repouso, como também reduz o apetite. Isso acontece porque a proteína necessita de certa quantidade de energia para metabolizar, o que faz com que você queime de 80 a 100 calorias a mais se ingerir esse nutriente em boas quantidades diariamente. Além disso, como a proteína aumenta sua saciedade, consequentemente você vai diminuir calorias ingeridas por dia. Estudos mostram que pessoas que ingeriram 30% de energia proveniente de proteínas deixaram de ingerir 441 calorias diárias! Ou seja, você pode diminuir drasticamente o consumo calórico diário apenas adicionando mais alimentos ricos em proteína na sua dieta.

2. Evite refrigerantes, sucos de frutas e alimentos com muito açúcar em geral

O quê? Suco de fruta engorda? Bom, é inegável que frutas são absolutamente saudáveis, mas elas contêm uma grande quantidade de açúcar, o que pode boicotar sua dieta. Eliminar líquidos ricos em açúcar é outro grande favor que você faz a si. Isso inclui os grandes vilões, como refrigerante, leite achocolatado e também aqueles que não percebemos que podem sabotar o emagrecimento, como sucos de frutas. Talvez isso seja o que mais esteja impedindo você de emagrecer, pois o seu cérebro simplesmente não considera as calorias líquidas que você ingere diariamente, da mesma forma que considera as sólidas.
3. Beba mais água

Esse talvez seja o truque mais eficaz e saudável para emagrecer: beba mais água. Talvez você já saiba que o recomendado é beber cerca de 2 litros de água por dia (ou 8 copos), mas você sabia que essa atitude super benéfica para o organismo pode fazer com que você queime cerca de 96 calorias a mais por dia? Além disso, quando você bebe mais água antes das refeições, pode ter o apetite reduzido e, consequentemente, diminuir as calorias ingeridas. Outras bebidas com cafeína também podem ajudar. O café e o chá verde são excelentes para aumentar o metabolismo, ainda que seja por um curto prazo.

4. Exercite-se!

Quando ingerimos menos calorias, nosso corpo compensa queimando menos. Esse é o motivo pelo qual a restrição calórica pode ser um tiro no pé, pois, a longo prazo, seu metabolismo diminuirá. Além disso, você pode perder massa magra, que é metabolicamente ativa, fazendo com que seu metabolismo fique ainda mais lento. A maneira eficaz de evitar esse desastre é fortalecer os músculos fazendo exercícios, de preferência os de alta intensidade, que queimam gordura, aceleram o metabolismo e fortalecem os músculos. Você não precisa necessariamente ir para a academia: exercícios como flexões, por exemplo, têm um excelente efeito.
5. Evite os carboidratos a todo custo

Cortar os carboidratos, principalmente os refinados, é outra maneira muito eficaz de perder peso. Talvez você passe pela mesma situação todos os dias: depois de comer o tradicional pão com café pela manha, você realizará suas atividades diárias e, poucas horas depois, perceberá que está morrendo de fome. Você não entende porque está de barriga vazia tão cedo, mas deixa isso para lá e come mais um biscoito ou pãozinho, porém, um pouco antes do almoço, você já está com muita fome novamente, o que faz com que você coma mais do que precisa na refeição seguinte. O que acontece é que você está comendo muitos alimentos ricos em carboidratos, que não trazem muita sensação de saciedade, como é o caso da proteína. Quando você substitui o carboidrato por outros alimentos ricos em nutrientes como a proteína, seu apetite tende a diminuir, fazendo com que você coma menos. Estudos já demonstraram que ter uma alimentação baseada na dieta low-carb pode fazer com que você perca deduas a três vezes mais peso do que numa dieta baseada em restrição calórica ou baixa ingestão de gordura.

Bem, estas foram as cinco dicas sobre como diminuir as calorias sem passar fome e, como último recado, recomendo que você evite ao máximo alimentos industrializados. Quanto mais natural for sua alimentação, menos importará que tipo de dieta você está fazendo. Bons treinos, forte abraço e até a próxima!

Vinícius Possebon é personal trainer, palestrante e criador do Sistema de Emagrecimento Queima de 48 Horas – Facebook: ttps://www.facebook.com/queimade48horas