No Brasil, joias e bijuterias podem causar problemas de saúde

Aterramento e a Proteção de Instalações e Equipamentos Sensíveis contra Raios: Fatos e Mitos – A partir de 3 x R$ 257,81 (56% de desconto)

Inspetor de Conformidade das Instalações Elétricas de Baixa Tensão de acordo com a NBR 5410 – A partir de 3 x R$ 320,57 (56% de desconto)

Interpretação e Aplicações da Norma Regulamentadora Nº 13 (NR-13) do MTE (Inspeção de Segurança de Caldeiras e Vasos de Pressão) – A partir de 3 x R$ 257,81 (56% de desconto)

Filtros de Harmônicos em Sistemas Industriais – A partir de 3 x R$ 257,81 (56% de desconto)

joiasJoias e bijuterias de baixo custo, não raramente usadas como ornamentos em crianças, podem causar problemas de saúde nos consumidores, principalmente nas crianças. Esses produtos contém chumbo e cádmio em proporções, muitas vezes, muito acima dos limites do permitido. Esses materiais têm sido associados a impactos na saúde a longo prazo em animais e humanos, contaminação capaz de ocasionar problemas como defeitos de nascimento, deficiência de aprendizagem, toxicidade hepática, câncer e alergias.

Por tudo isso, o Inmetro disponibilizou em consulta pública até 23 de março a proposta de regulamento para estabelecer limites de cádmio e chumbo na fabricação de bijuterias e joias comercializadas no Brasil. As sociedade em geral e todas as partes interessadas podem participar, enviando relatos e sugestões para diape.consultapublica@inmetro.gov.br ou por correio. A intenção é incentivar o mercado nacional, prejudicado com a concorrência desleal dos produtos de baixa qualidade, resguardar a saúde do consumidor e, principalmente, proteger o meio ambiente contra metais pesados.

Pesquisa feita pelo Inmetro em joias e bijuterias no país revelou a concentração de metais pesados como chumbo e cádmio em até 60 vezes acima dos níveis permitidos na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil até hoje não há regulamentação sobre isso. A maior parte desses produtos vêm da Ásia. Os metais pesados são usados para baratear os custos. São substâncias tóxicas que oferecem riscos ao meio ambiente e à saúde.

“Em geral, ele é revestido com um banho metálico que protege essa migração, mas quando o banho não é de boa qualidade, e isso acontece nessas joias mais baratas, ele se decompõe facilmente com o próprio suor, com a acidez do suor e faz com que o cádmio ou o chumbo migrem para o organismo humano aí ele tem efeito acumulativos podendo provocar doenças renais, no sistema nervoso central, doenças hepáticas. Esse é o risco dele”, alerta diretor de avaliação do Inmetro Alfredo Lobo.

A proposta de regulamentação, que considera bijuterias e joias, de uso adulto ou infantil, contas metálicas e componentes metálicos para fabricação de peças de joalheria; artigos de joalheria e de bijuteria metálicos, como acessórios para o cabelo; pulseiras, colares e anéis; piercings; relógios de pulso e outros adornos para os pulsos; abotoaduras e brincos, é fruto de uma articulação junto à Receita Federal, ao Ministério do Meio Ambiente e representantes da indústria nacional de bijuterias e joias. Nos EUA, o limite máximo permitido para cádmio em joias e bijuterias é de 0,03% e na Europa, 0,01%, índices que serviram de base para o regulamento brasileiro que está em consulta pública.

“Não há regras estabelecidas para estas substâncias no Brasil, ao contrário da Europa e dos Estados Unidos. Resultados de ensaios em laboratórios do Inmetro com amostras de bijuterias, principalmente as importadas, acusaram a presença de metais pesados em níveis elevados. Apesar de a migração dessas substâncias para o corpo humano ser baixa, a maior preocupação é com a contaminação do maio ambiente, principalmente quando do descarte em grandes quantidades desses produtos”, comentou o chefe da Divisão de Articulação Externa e Projetos Especiais, Gustavo Kuster.

Fabricantes e importadores terão 12 meses para adequação, após a publicação da portaria definitiva do regulamento, com mais seis meses para atacadistas e varejo escoarem todo o seu estoque, sujeitos às penalidades previstas na lei. Após este prazo, o Inmetro, por meio dos órgãos delegados, os Institutos de Pesos e Medidas em cada estado, iniciará a fiscalização. “Teremos uma atuação muito forte em portos e aeroportos, em parceria com a Receita Federal. Um trabalho de inteligência para impedir que o produto irregular, não conforme, entre no país”, resumiu Gustavo. Para acessar o texto da Portaria, clique no link http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC002208.pdf

Anúncios

Como brilhar em tempos mais desafiadores

VÍDEO EXPLICATIVO – ISO 9001:2015

Apresentando os novos requisitos e as alterações para a ISO 9001:2015 – Disponível pela Internet
Tem sido verificado em todo o mundo, nos últimos anos, um significativo aumento no interesse pelo desenvolvimento de Sistemas de Gestão “integrados”

José Ricardo Noronha

Dizer que 2015 será um ano desafiador já não é novidade para ninguém. O que é realmente difícil é acertar todos os elementos que serão essenciais a todos nós, que vendemos nossos produtos, ideias, serviços e nós mesmos. No entanto, posso afirmar com muita certeza que um dos mais importantes “ingredientes” de sucesso das organizações e profissionais se chama “atenção aos detalhes”.

E daí você para e pergunta: “O que vem a ser exatamente esta atenção aos detalhes?’”. Para te ajudar nesta tarefa de prestar maior atenção a tudo que cerca o seu negócio, compartilho abaixo três dicas espetaculares para você implementar a partir de hoje. É uma espécie de “política de atenção extrema” a todos os detalhes que direta e indiretamente impactam o sucesso e a sustentabilidade do seu negócio:

1) Cuide de todos os detalhes que cercam seu produto ou serviço. Faça com que, desde a concepção do produto ou solução que você vende, todos os esforços estejam altamente orientados ao cliente. Na prática, isso envolve uma reflexão bastante profunda sobre o quão verdadeiramente sua empresa e seus profissionais estão focados nas necessidades, expectativas, desejos e sonhos do cliente (em inglês chamamos isso de “customer centric“, que se traduz em empresas realmente voltadas ao cliente) ou focadas na sua empresa (“company centric“, equivalente a empresas mais preocupadas em satisfazer suas necessidades e gerar o maior lucro possível). Tudo o que você e sua empresa fizerem precisa estar 100% conectado com os desejos, necessidades, expectativas e sonhos dos seus clientes. Embora isso pareça um tanto quanto lógico, são poucas as empresas que pensam e agem desta forma.

2) Obsessão pelos detalhes. Estabeleça, como parâmetros mínimos de produção, atendimento e encantamento de clientes, os melhores e mais reconhecidos padrões de qualidade do mercado. Se uma empresa que você já conhece lhe fornece experiências inesquecíveis e memoráveis, tome-a como base para criar um modelo de encantamento ainda mais incrível. Para que isso aconteça, preste atenção a todos (repito: todos!) os detalhes que envolvem seu negócio: pesquisa & desenvolvimento, produção, marketing, vendas, pós-vendas, financeiro, logística etc. Todos os detalhes, em toda a sua cadeia de negócio, são fundamentais para criar experiências sensacionais aos seus clientes.

3) Pesquise e entenda melhor os seus clientes o tempo todo. Faça de cada contato com seus clientes (atuais e futuros) uma nova oportunidade de absorver deles novas expectativas, desejos, sonhos e necessidades. E também para entender melhor as grandes experiências que eles tenham vivido com outras empresas, produtos e serviços, que sejam marcadas exatamente pelo alto nível de encantamento. Isso é algo umbilicalmente ligado à atenção máxima a todos os detalhes, que é tão característico das empresas com maior e mais elevado nível de satisfação e lealdade. Quanto maior for este entendimento, maiores serão as chances de você customizar e personalizar seus produtos e serviços às necessidades e sonhos dos clientes.

Não posso e nunca serei infame ao dizer que a implementação das ações acima se dá da noite para o dia. Trata-se de um processo árduo e gradativo, que inclui aspectos ainda maiores. Entre eles a existência de um grande propósito da empresa que seja vivido e percebido na prática por clientes, colaboradores, fornecedores e toda a cadeia de negócios que sua empresa estiver inserida, incluindo aí a própria sociedade.

No entanto, já posso dizer desde já que, se você focar seus melhores esforços na construção deste modelo de excelência fortemente baseado na atenção aos detalhes, os resultados no médio e longo prazo serão incríveis. E, consequentemente, surgirá um negócio muito mais saudável, sustentável e o que é mais importante: querido e desejado pelo mercado. Bons negócios e ótimas vendas!

José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP.