Prepare-se: a ISO 14001:2015 está quase pronta para ser publicada

14001

A revisão de uma das normas mais populares do mundo para a gestão ambiental, a ISO 14001, mudou-se para o estágio de Final Draft International (FDIS). Isto significa que os países membros têm até dia 02 de setembro para votar e comentar antes da sua publicação prevista para o final de setembro.

Na verdade, as normas ISO devem passar, a cada cinco anos, por um processo de revisão, a fim de definir se norma deve ser mantida, aprimorada ou até cancelada. A ISO 14001 teve sua publicação inicial em 1996 e foi revisada em 2004. Em 2011, teve início um novo processo de revisão, que resultará na versão final em 2015.

O principal objetivo da ISO 14001 é permitir que as organizações estabeleçam processos para gerenciar o risco ambiental, reduzindo o consumo de recursos naturais e custos operacionais, tendo um compromisso de melhoria contínua de seu desempenho ambiental. Ou seja: as ações extremamente necessárias e urgentes para o Planeta.

Atualmente, atingir um equilíbrio entre o ambiente, a sociedade e a economia é considerado essencial para atender às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas necessidades. O desenvolvimento sustentável como um objetivo é alcançado através do equilíbrio dos três pilares da sustentabilidade.

As expectativas da sociedade para o desenvolvimento sustentável, transparência e responsabilidade têm evoluído com a legislação cada vez mais rigorosa, as crescentes pressões sobre o meio ambiente decorrentes da poluição, ineficiência da utilização de recursos, gestão de resíduos inadequada, alterações climáticas, degradação dos ecossistemas e perda da biodiversidade.

Isso tem levado as organizações a adotar uma abordagem sistemática à gestão ambiental por implementação de sistemas de gestão ambiental com o objetivo de contribuir para o meio ambiente, um pilar para a sustentabilidade.

O objetvo da norma de gestão ambiental é o de proporcionar às organizações uma estrutura para proteger o ambiente e responder às mudanças das condições ambientais em equilíbrio com as necessidades sócio-econômicas. Ele especifica requisitos que permitam uma organização para atingir os resultados pretendidos que ela estabelece para a seu sistema de gestão ambiental.

Uma abordagem sistemática à gestão ambiental pode fornecer à alta administração as informações para construir o sucesso em longo prazo e criar opções para contribuir para o desenvolvimento sustentável; proteger o ambiente através da prevenção ou mitigação de impactos ambientais adversos; mitigar o potencial efeito adverso das condições ambientais sobre a organização; auxiliar a organização no cumprimento de obrigações de conformidade; melhorar o desempenho ambiental; controlar ou influenciar a forma como os produtos e serviços da organização são concebidos, fabricados, distribuídos e consumidos e depois eliminados usando uma perspectiva de ciclo de vida que pode prevenir os impactos ambientais; alcançar os benefícios financeiros e operacionais que podem resultar da aplicação de alternativas ambientalmente corretas que fortaleçam a posição de mercado da organização; e comunicar a informação ambiental aos interessados diretos.

A norma fala do sucesso de um sistema de gestão ambiental que depende do comprometimento de todos os níveis e funções da organização, liderada pela alta administração. As organizações podem aproveitar as oportunidades para
prevenir ou mitigar os impactos ambientais adversos e melhorar os impactos ambientais benéficos, particularmente aqueles com implicações estratégicas e competitivas.

A alta administração pode tratar eficazmente seus riscos e oportunidades de integração da gestão ambiental nos negócios e nos processos da organização, realizando o direcionamento estratégico e a tomada de decisão, alinhando-as com outras prioridades de negócios, e incorporando a governança ambiental no seu sistema de gestão global. A demonstração de sucesso da implementação da ISO 14001 pode ser usada para assegurar às partes interessadas que um sistema de gestão ambiental eficaz está funcionando.

Duas organizações podem realizar atividades semelhantes, mas podem ter diferentes obrigações de conformidade, os compromissos na sua política ambiental, tecnologias ambientais e metas de desempenho ambiental, mas ambas podem estar em conformidade com os requisitos da norma. O nível de detalhe e a complexidade do sistema de gestão do ambiente variarão dependendo do contexto da organização, o âmbito do seu sistema de gestão ambiental, a sua conformidade às obrigações e a natureza de suas atividades, produtos e serviços, incluindo os seus aspectos ambientais e impactos ambientais associados.

A norma adota o modelo Plan-Do-Check-Act. A base para a abordagem subjacente a um sistema de gestão ambiental é fundada no conceito de Plan-Do-Check-Act (PDCA). O modelo PDCA fornece um processo iterativo utilizado pelas organizações para alcançar a melhoria contínua. Ele pode ser aplicado a um sistema de gestão do ambiente e para cada dos seus elementos individuais.

Ele pode ser descrita brevemente como segue.

– Plan: estabelecer os objetivos ambientais e processos necessários para fornecer os resultados de acordo com a política ambiental da organização.

– Do: implementar os processos conforme o planejado.

– Check: monitorar e medir processos conforme a política ambiental, incluindo os seus compromissos, os objetivos ambientais e os critérios operacionais e relatar os resultados.

– Act: fazer ações buscando constantemente a melhoria.

A Figura 1 mostra como o quadro introduzido na norma pode ser integrado a um modelo PDCA, que pode ajudar os usuários novos e existentes para compreender a importância de uma abordagem sistêmica.

CLIQUE NAS FIGURAS PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO

ambiental 1

Esta norma não inclui os requisitos específicos de outros sistemas de gestão, tais como os de qualidade, saúde ocupacional e segurança, energia ou gestão financeira. No entanto, permite que uma organização possa usar uma abordagem comum e pensamento baseado no risco para integrar o seu sistema de gestão ambiental com os requisitos de outros sistemas.

Contém os requisitos utilizados para avaliar a sua certificação. Uma organização que pretenda demonstrar conformidade com esta norma internacional pode fazê-lo: fazendo uma autodeterminação e autodeclaração; ou buscando conformidade por partes interessadas na organização, tais como clientes; ou buscar a conformidade por meio de uma autodeclaração por uma parte externa à organização; ou buscar certificação do seu sistema de gestão ambiental de terceira part.

O Anexo A fornece informações explicativas para evitar erros de interpretação dos requisitos da presente edição da norma. O Anexo B mostra uma ampla correspondência técnica entre a edição anterior e essa edição. As diretrizes para a implementação da gestão ambiental estâo incluídas na norma ISO 14004.

Nesta norma, as seguintes formas verbais são usadas:

– “Deve” indica um requisito;

– “Deverá” indica uma recomendação;

– “Pode” indica uma permissão;

– “Poderá” indica uma possibilidade ou capacidade.

As informações identificadas como “NOTA” destinam-se a auxiliar a compreensão ou utilização do documento. “Notas a entrada” é usado na cláusula 3 para fornecer informações adicionais que complementam os dados terminológicas e podem conter disposições relativas à utilização de um termo. Os termos e as definições na Cláusula 3 são organizadas em ordem conceitual, com um índice alfabético fornecida no final do documento.

Contéudo (tradução livre)

Prefácio…………v

Introdução……..vi

1 Escopo………1

2 Referências normativas..1

3 Termos e definições…….1

3.1 Termos relacionados com a organização e liderança…1

3.2 Termos relacionados com o planejamento……………. 2

3.3 Termos relacionados com suporte e operação……….. 4

3.4 Termos relacionados com a avaliação de desempenho e melhoria .. 5

4 Contexto organizacional………………………………………6

4.1 Compreendendo a organização e seu contexto…………6

4.2 Compreendendo as necessidades e as expectativas das partes interessadas ……..6

4.3 Determinando o escopo do sistema de gestão ambiental……. 6

4.4 Sistema de Gestão Ambiental……….7

5 Liderança……………………………..7

5.1 Liderança e compromissomitment..7

5.2 Política Ambiental…………….7

5.3 Regras organizacionais papéis, responsabilidades e autoridades……..8

6 Planejamento……….8

6.1 Ações para enfrentar os riscos e as oportunidades…8

6.1.1 Geral………………8

6.1.2 Aspectos ambientais……….9

6.1.3 Obrigações de conformidade…..9

6.1.4 Ação de planejamento………..9

6.2 Planejamento ambiental e objetivos para alcançá-los…………….10

6.2.1 Objetivos ambientais……………..10

6.2.2 Ações de planejamento para alcançar os objetivos ambientais………..10

7. Suporte………..10

7.1 Recursos……10

7.2 Competência………….11

7.3 Consciência…………….11

7.4 Comunicação……….11

7.4.1 Geral………..11

7.4.2 Comunicação interna……………12

7.4.3 Comunicação externa…………….12

7.5 Informação documentada………12

7.5.1 Geral……………12

7.5.2 Criação e atualização……..12

7.5.3 Controle da informação documentada………12

8 Operação………..13

8.1 Planejamento operacional e controle………….13

8.2 Preparação para emergências e responsabilidades…….13

9 Avaliação do desempenho………………………………..14

9.1 Monitoramento, medição, análise e avaliação….14

9.1.1 Geral………………………14

9.1.2 Avaliação de conformidade….14

9.2 Auditoria interna……………..15

9.2.1 Geral……………….15

9.2.2 Programa de auditoria interna…………………..15

9.3 Revisão do programa de gestão………………15

10 Melhoria………………………………………16

10.1 Geral……………………………………….16

10.2 Não conformidade e ação corretiva…………..16

10.3 Melhoria contínua……………………. 17

Anexo A (informativo) Orientação para o uso desta norma…….. 18

Anexo B (informativo) Correspondência entre a ISO 14001: 2015 e ISO 14001: 2004……………………. 32

Bibliografia………………….34

Índice alfabético de termos….35

Conteúdo em inglês

ambiental 3

O escopo da norma especifica os requisitos para um sistema de gestão ambiental que uma organização pode usar para melhorar o seu desempenho ambiental. Destina-se a ser utilizada por uma organização que procura gerir as suas responsabilidades ambientais de uma forma sistemática, de maneira a contribuir para a sustentabilidade.

Ajuda uma organização a alcançar os resultados pretendidos do seu sistema de gestão ambiental, oferecendo mais valor ao meio ambiente, à própria organização e às partes interessadas. Coerentes com a política ambiental da organização, os resultados pretendidos de um sistema de gestão ambiental incluem: melhoramento do desempenho ambiental; cumprimento das obrigações de conformidade; e a realização dos objetivos ambientais.

Esta norma é aplicável a qualquer organização, independentemente do tamanho, tipo e natureza, e se aplica aos aspectos ambientais das suas atividades, produtos e serviços que a organização determina que pode controlar ou influenciar considerando uma perspectiva do ciclo de vida. Não prescreve critérios específicos de desempenho ambiental. Pode ser utilizada no todo ou em parte para melhorar sistematicamente a gestão ambiental. As reivindicações de conformidade com esta Norma Internacional, entretanto, não são aceitáveis, a menos todas as suas exigências sejam incorporadas no sistema de gestão ambiental de uma organização e satisfeitas sem exclusão.

Tabela B.1 – Correspondência entre ISO 14001: 2015 e ISO 14001: 2004

ambiental 2

Transição

O International Accreditation Forum, Inc. (IAF) fornece uma orientação para a transição da ISO 14001:2004 e ISO 14001:2015 que foi elaborada com a cooperação do ISO/TC 207/SC 1 para prestar assessoria aos interessados sobre o regime de transição a ser considerado antes de implementar a ISO 14001:2015. Foram identificadas as atividades que devem ser considerados pelas partes interessadas e aumentar a compreensão do contexto da ISO 14001:2015. A revisão introduzirá alterações significativas e será publicado em setembro de 2015.

A norma é baseada no anexo SL das diretivas ISO, uma estrutura de alto nível (high-level structure – HLS) que padroniza os títulos, as subcláusulas, o texto principal, os termos comuns e as definições essenciais para melhorar a compatibilidade e o alinhamento com outras normas de sistemas de gestão ISO. O IAF e o ISO Committee on Conformity Assessment (CASCO) concordaram em um período de transição de três anos a partir da publicação da ISO 14001:2015. A Resolução IAF 2014-11 foi aprovada pela Assembleia Geral da IAF em Vancouver em 17 de outubro 2014 endossando um período de transição de 3 anos para ISO 14001: 2015.

Assim, as certificações ISO 14001:2004 só serão válidas em até três anos a partir da publicação da ISO 14001:2015. O prazo de validade da certificação com a norma ISO 14001: 2004 emitido durante o período de transição deve corresponder ao final do período de transição de três anos.

Às organizações que usam a ISO 14001:2004 recomenda-se a tomar as seguintes ações: identificar as lacunas da organização que precisam ser abordadas para atender aos novos requisitos; desenvolver um plano de implementação; proporcionar a formação e a sensibilização adequadas para todas as partes que têm um impacto sobre a eficácia da organização; atualizar o sistema de gestão ambiental existente para atender aos requisitos revistos e verificar a sua eficácia; e, se for caso disso, assegurar o contato com o seu organismo de certificação para arranjos de transição.

Para o IAF, ocorreram várias mudanças estratégicas na nova norma. Por exemplo, a Gestão Ambiental Estratégica, havendo um aumento da proeminência da gestão ambiental dentro dos processos de planejamento estratégico da organização. Um novo requisito para compreender o contexto da organização foi incorporado para identificar e alavancar oportunidades para o benefício tanto da organização como do ambiente.

Uma particular atenção é sobre questões ou alteração das circunstâncias relacionadas com as necessidades e expectativas das partes interessadas (incluindo os requisitos regulamentares) e as condições ambientais locais, regionais ou globais que podem afetar ou ser afetados por, a organização. Uma vez identificada como uma prioridade, as ações para mitigar o risco adverso ou explorar oportunidades benéficas estão integrados no planejamento operacional do sistema de gestão ambiental.

Liderança – Para garantir o sucesso do sistema, uma nova cláusula foi adicionada que atribui responsabilidades específicas para aqueles em papéis de liderança para promover a gestão ambiental dentro da organização.

Proteção o meio ambiente – A expectativa sobre as organizações tem sido expandida para se comprometer com iniciativas proativas para proteger o ambiente de danos e degradação, de acordo com o contexto da organização. O texto revisto não define “proteger o ambiente”, mas observa que ela pode incluir a prevenção da poluição, a utilização sustentável dos recursos, as alterações climáticas mitigação e adaptação, a protecção da biodiversidade e dos ecossistemas, etc.

Desempenho ambiental – Há uma mudança de ênfase no que diz respeito à melhoria contínua, desde a melhoria do sistema de gestão para melhorar o desempenho ambiental. Consistente com a organização compromissos políticos da organização seria, conforme o caso, reduzir emissões, efluentes e resíduos aos níveis estabelecidos pela organização.

Pensamento voltado para o ciclo de vida – Além da exigência atual para gerenciar aspectos ambientais associados a produtos e serviços adquiridos, as organizações terão que estender seu controle e influência para os impactos ambientais associados ao uso do produto e de fim de vida tratamento ou eliminação. Isto não implica a obrigação de fazer uma avaliação do ciclo de vida.

Foi adicionado o item Comunicação, para o desenvolvimento de uma estratégia de comunicação com ênfase na igualdade de comunicações externas e internas. Isso inclui uma exigência de comunicação de informações consistente e confiável, e estabelecer mecanismos para as pessoas que trabalham sob o controle da organização para fazer sugestões sobre a melhoria do sistema de gestão ambiental. A decisão de comunicar externamente é retida pela organização, mas a decisão deve ter em conta os relatórios de informações exigidas pelos órgãos reguladores e às expectativas de outras partes interessadas.

Documentação – Refletindo a evolução dos sistemas informáticos e de nuvem para a execução de sistemas de gestão, a revisão incorpora o termo “informação documentada”, em vez de “documentos” e “registros”. Para alinhar com a ISO 9001, a organização vai manter a flexibilidade para determinar quando são necessários “procedimentos” para assegurar o controle efetivo do processo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: