O coaching no aprimoramento pessoal

CURSO TÉCNICO

Aterramento e a Proteção de Instalações e Equipamentos Sensíveis contra Raios: Fatos e Mitos

Apresentação dos conceitos e técnicas de projeto que resultem em maior eficiência dos sistemas de proteção contra os efeitos de surtos gerados internamente ou devidos às descargas atmosféricas. Aterramentos e SPDA´s (Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas) não garantem a proteção de equipamentos eletro-eletrônicos. O curso apresenta os mais modernos conceitos e técnicas efetivas para eliminação dos efeitos de raios nas instalações. Mais informações: https://www.target.com.br/home.aspx?pp=1&c=680&cm=1

O método que pode revolucionar a vida de alguém é cada vez mais utilizado para os mais diversos motivos.

Realizar mudanças, mesmo que seja para o melhor, não é uma tarefa fácil para a maioria das pessoas. Sair do lugar-comum e arriscar, seja no âmbito profissional ou pessoal, geralmente requer muita preparação. A verdade é uma só: são poucas as pessoas que se sentem confortáveis com grandes mudanças, mas isso, necessariamente, não é uma coisa ruim.

Os processos de coaching são uma alternativa para quem quer superar uma barreira em sua vida, trocar de emprego ou fazer alguma outra grande mudança, mas não sabe como. Eles ajudam, de forma simples e direta, a transformar realidades em que o indivíduo não consegue perceber a possibilidade de mudança, e, consequentemente, não pode atingir a realidade positiva que ele deseja. De forma geral, pode-se dizer que o coaching é um acelerador de resultados.

Segundo a psicóloga e coach Cíntia Seabra, conhecida no Brasil inteiro pelo seu método de emagrecimento online “O Segredo do Emagrecimento em 8 Semanas”, o coaching é uma forma de aprimorar pessoas, desempenhos e resultados. “Muitas das dificuldades que as pessoas têm originam-se na mente, causando preocupações e prejudicando na tomada de decisões. O coaching faz com que você assuma o controle da sua vida ao ter mais segurança e comportamentos adequados para que ocorra a mudança de hábitos necessária para uma vida mais satisfatória”, afirma.

A profissional esclarece que o coaching pode acontecer de várias formas diferentes, para alcançar diversos resultados. Em sua empresa, Seabra Coaching, existem três tipos de processos: o Coaching de Vida, Coaching de Negócios e Coaching Executivo. “O primeiro é voltado para quem quer promover mudanças urgentes na sua vida pessoal ou profissional, como para emagrecer, planejar sua carreira ou melhorar seu relacionamento. Já o segundo é feito para quem precisa alavancar resultados rápidos nos negócios, como abrir um novo empreendimento, crescer ou inovar. Por fim, o executivo é direcionado a gestores, líderes e empresários que querem alcançar melhores resultados, administrando melhor seu tempo e gerenciando melhor o dia a dia corporativo, por exemplo”, explica Cintia.

O coaching tem uma taxa de aceitação muito grande atualmente, sendo amplamente aprovado por quem o utiliza, como é o caso de da produtora executiva sênior, Laura Lacerda Fonseca. “O coaching de Cintia me fez crescer como ser humano, já que eu estava estagnada profissionalmente e, com sua ajuda, pude me encontrar”, conclui.

Como aumentar a produtividade, a eficácia e a eficiência para vender mais na crise

LIVRO EM 2ª EDIÇÃO - AMPLIADA E ATUALIZADA: TRAGÉDIAS, CRIMES E PRÁTICAS INFRATIVAS DECORRENTES DA NÃO OBSERVÂNCIA DE NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS – NBR

LIVRO EM 2ª EDIÇÃO – AMPLIADA E ATUALIZADA: TRAGÉDIAS, CRIMES E PRÁTICAS INFRATIVAS DECORRENTES DA NÃO OBSERVÂNCIA DE NORMAS TÉCNICAS BRASILEIRAS – NBR

Em tempos de crise, as empresas e os profissionais precisam se redobrar ainda mais para vender, atingir metas e ter sucesso. E, se não bastasse o cenário econômico atual, o mercado altamente competitivo vem exigindo mais produtividade, eficácia e eficiência.

O consultor e especialista em vendas José Ricardo Noronha afirma que conectar estes três elementos é essencial para o sucesso de qualquer negócio ou empresa. “A jornada é bastante árdua, mas os resultados tendem a ser recompensadores”, diz o autor do livro “Vendas. Como eu faço?”. Veja abaixo as dicas de Noronha para você e sua organização potencializarem essas características:

1) Para ser mais eficaz: defina seus principais objetivos estratégicos ou da sua empresa. São eles que determinarão as principais metas a serem perseguidas. Exemplos claros de metas: aumentar as vendas em x%; obter crescimento de y% no market share; melhorar a margem EBITDA em z%; crescer o mix de produtos e serviços em w%. “Se você lidera uma equipe, essas metas precisam ser claramente entendidas por cada integrante”.

2) Para ser mais eficiente: uma vez que você já tenha todas as suas metas definidas e as responsabilidades atribuídas a cada profissional, é chegada a hora de partir para a execução. Em vendas, nesta etapa deve-se privilegiar processos e métricas bastante específicos e que claramente identifiquem os profissionais de melhor performance. “E quando se fala em desempenho, não se deve entender apenas ‘boas vendas’. É importante privilegiar os processos e boas práticas que permitam crescer o volume de vendas com a melhoria das margens líquidas, o que se traduz em reduzir sensivelmente a perigosa estratégia da oferta deliberada de descontos”.

3) Para ser mais produtivo: venda mais produtos e serviços para o mesmo cliente. Estabeleça metas claras de “up selling”, que significa vender mais de um mesmo produto ou serviço para o mesmo cliente (“batata grande por mais R$ 1”) e de “cross selling”, que significa vender outros produtos e serviços do seu mix para o mesmo cliente (“milk shake para acompanhar?”). “Para conseguir isso, você e sua empresa precisarão incrementar as experiências que têm oferecido aos seus clientes. Assim, eles se transformarão em seus verdadeiros ‘embaixadores’ junto ao mercado.”
Isso só se faz possível com funcionários motivados, treinados e que se sintam pertencentes à grande causa e ao grande propósito de existência da sua empresa.

“Em resumo: a eficácia está muito mais ligada à estratégia, às importantes decisões tomadas pelas lideranças. A eficiência está integrada à execução e à operação, ou seja, à crucial tarefa de todos trabalharem na transformação de uma grande estratégia em uma execução perfeita. E não se pode incrementar a produtividade sem uma estratégia extremamente bem definida (eficácia) e uma execução perfeita (eficiência)”, finaliza José Ricardo Noronha.