Revestimento não aderido (RNA) em edifícios

rna

O artigo Revestimento Não Aderido: Proposta de Critérios de Desempenho e Métodos de Ensaio, dos pesquisadores Luiz Fernando Batista Silva e Luciana Alves Oliveira, revelou que os sistemas de revestimento não aderido (RNA) são tecnologias relevantes do ponto de vista da industrialização da construção. O RNA é composto por placas apoiadas em peças metálicas, presas aos perfis da estrutura do sistema, os quais são fixados à estrutura principal do prédio e às paredes da fachada com insertos metálicos.

Os sistemas podem ser aplicados tanto na execução de novas fachadas quanto no retrofiting de edificações. Entretanto, a ausência de normalização brasileira específica prejudica uma avaliação adequada do desempenho do produto.

Segundo os autores, partindo da constatação de que a NBR 15575-4 de 02/2013 – Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas não se aplica diretamente ao sistema RNA, eles propuseram uma definição de critérios de desempenho e de métodos de ensaio, com base na NBR 10821, partes 1, 2 e 3 – Esquadrias externas para edificações e no European Technical Approval Guideline (ETAG 034 – Part 1), considerando os requisitos de resistência a cargas de vento e drenagem do sistema.

A NBR 15575-4 entrou em vigor 150 dias após sua publicação, devido à repercussão que esta parte terá sobre as atividades do setor da construção civil, bem como à necessidade de adequação de todos os segmentos desta cadeia produtiva, envolvendo projetistas, fabricantes, laboratórios, construtores e governo. Ela estabelece os requisitos, os critérios e os métodos para a avaliação do desempenho de sistemas de vedações verticais internas e externas (SVVIE) de edificações habitacionais ou de seus elementos.

Já a NBR 10821-1 de 01/2011 – Esquadrias externas para edificações – Parte 1: Terminologia define os termos empregados na classificação de esquadrias externas utilizadas em edificações e na nomenclatura de suas partes. A NBR 10821-2 de 01/2011 – Esquadrias externas para edificações – Parte 2: Requisitos e classificação especifica os requisitos exigíveis de desempenho de esquadrias externas para edificações, independentemente do tipo de material. E a NBR 10821-3 de 01/2011 – Esquadrias externas para edificações – Parte 3: Métodos de ensaio especifica os métodos de ensaio para a avaliação de desempenho e classificação de esquadrias externas para edificações, independentemente do tipo de material. Mais informações sobre as normas clique aqui

Os autores concluíram que o método proposto neste estudo é consistente. Os resultados obtidos nos ensaios demonstraram que a compatibilização entre a NBR 10821 e o ETAG 034 – Parte 1 deu subsídios aos critérios e aos métodos de ensaio para avaliação do comportamento do sistema RNA, demonstrando que os métodos propostos são consistentes e podem integrar uma futura regulamentação técnica.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: