Dicas de qualidade: Diagrama de Pareto, Ishikawa e 5W1H

O Diagrama de Pareto é um recurso gráfico utilizado para estabelecer uma ordenação nas causas de perdas que devem ser sanadas. Sua origem decorre de estudos do economista italiano Pareto e do grande mestre da qualidade Juran. O diagrama de Pareto torna visivelmente clara a relação ação/benefício, ou seja, prioriza a ação que trará o melhor resultado. Ele consiste num gráfico de barras que ordena as freqüências das ocorrências da maior para a menor e permite a localização de problemas vitais e a eliminação de perdas.

Como fazer o diagrama de Pareto?

Alguns passos importantes:

  • determine o tipo de perda que você quer investigar.
  • especifique o aspecto de interesse do tipo de perda que você quer investigar.
  • organize uma folha de verificação com as categorias do aspecto que você decidiu investigar.
  • preencha a folha de verificação.
  • faça as contagens, organize as categorias por ordem decrescente de freqüência, agrupe aquelas que ocorrem com baixa freqüência sob denominação “outros” e calcule o total.
  • calcule as frequências relativas, as frequências acumuladas e as frequências relativas acumuladas.

Por exemplo, como seria a distribuição das peças segundo o tipo de defeitos:                                                            

Defeito Frequênciarelativa Frequência acumulada
A 0,35 0,35
B 0,25 0,6
C 0,15 0,75
D 0,1 0,85
E 0,1 0,95
D 0,05 1
Total 1  

 figura 1_postnovembro1

 O diagrama de Pareto estabelece prioridades, isto é, mostra em que ordem os problemas devem ser resolvidos.

  1. verifique e teste diversas classificações, antes de fazer o diagrama definitivo
  2. estude o problema medindo-o em várias escalas
  3. quebre grandes problemas ou grandes causas em problemas ou causas específicas, estratificando ou subdividindo em aspectos mais específicos.

O diagrama de Pareto é uma figura que permite visualizar a estratificação de dados segundo critérios de priorização. É uma forma de descrição gráfica onde procuramos identificar quais itens são responsáveis pela maior parcela dos problemas.

Originou-se do modelo econômico de Pareto, traduzido por Juran para a área da qualidade; sucintamente, diz: alguns elementos são vitais; muitos, apenas triviais. Este princípio também ficou conhecido como “Lei 20/80”. Em termos práticos, significa afirmar coisas como:

  • 20% do tempo gasto com itens importantes são responsáveis por 80% dos resultados; ou
  • 20% dos itens em estoque respondem por 80% dos custos; ou
  • 20% do tempo gasto em planejamento economiza até 80% do tempo de execução; ou
  • 20% dos clientes representam 80% do faturamento do negócio;
  • 20% das empresas detêm 80% do mercado;
  • 20% dos defeitos são responsáveis por 80% das reclamações.

Assim, quando se identificam e coletam dados sobre um processo, é possível determinar as porcentagens atribuídas a cada uma das causas (ou outro parâmetro que esteja sendo estudado). Com isto, podemos identificar quais elementos são críticos ou prioritários, merecendo maior atenção e cuidado de nossa parte.

A seguir o modelo gráfico típico para um Diagrama de Pareto: como exemplo, vamos considerar o resultado de uma pesquisa sobre as principais tipos de lesões por acidentes domésticos em uma determinada cidade (repare que a coleta de dados terá usado um formulário de dados, como já estudado).

Os resultados são:

1- hematomas 27
2- queimaduras 23
3- cortes 34
4- fraturas 15

Para construir o Diagrama de Pareto, organizam-se os dados segundo a quantidade de ocorrências. Veja o resultado no exemplo abaixo:

figura 2_postnovembro1 

É comum ser incluído no Diagrama de Pareto o valor em porcentagem e o valor acumulado das ocorrências; desta forma, é possível verificarmos o efeito acumulado dos itens pesquisados. Neste caso, a figura a seguir mostra-nos qual é a participação de cada item individualmente e também a participação de:

Hematomas + Queimaduras
Hematomas + Queimaduras+Cortes
Hematomas + Queimaduras+Cortes+Fraturas (Todos)

 figura 3_postnovembro1

Já o Diagrama de Ishikawa é um gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, da maior para a menor, permitindo a priorização dos problemas, procurando levar a cabo o princípio de Pareto (poucos essenciais, muitos triviais), isto é, há muitos problemas sem importância diante de outros mais graves. Sua maior utilidade é a de permitir uma fácil visualização e identificação das causas ou problemas mais importantes, possibilitando a concentração de esforços sobre os mesmos.

É uma técnica para análise das causas profundas, na transição entre a descrição do problema e a formulação de soluções. Na prática constitui-se basicamente de um diagrama que mostra a relação entre uma característica da qualidade e os fatores, permitindo que seja identificada uma relação significativa entre um efeito e suas possíveis causas.

Propósitos

É usado para auxiliar a identificação e a justificativa das causas, e melhorias de determinados processos, de modo a analogamente incorporá-las em processos similares. Porém, a utilização deste diagrama não diz respeito apenas à investigação das causas de defeitos e falhas, de modo a evitar sua reincidência, mas é mais utilizado com este motivo.

Ao serem listadas diversas causas raiz, ou causas profundas, é necessário identificar aquelas de maior impacto sobre a eficiência e eficácia do todo. Estas causas restringem e obstruem o sistema e o processo de trabalho. Assim, a resolução de restrições de menos impacto não ajudará caso estas causas não sejam resolvidas, e o todo continuará comprometido. 

Como Funciona

A visão do todo direcionada a processo ou a gestão por processos, possibilita aos interessados e tomadores de decisão que cheguem a uma conclusão, baseada em dados específicos, e tomem consciência de que é preciso buscar mais explicações além daquelas que os olhos podem ver, ou daquelas que são de difícil ou de impossível resolução. Ao se deparar com um problema, a tendência é que se coloque a culpa na falta de recursos, ou na má gerência e administração; no campo de futebol se demite o técnico. A realidade mostra que existem outras causas sobre as quais temos menos controle e conhecimento, como por exemplo expectativas não transparentes, avaliações pouco freqüentes do desempenho, e outras coisas. A prática diz que não conhecemos o que não podemos medir.

No exemplo citado, a conclusão equivocada de que há falta de recursos, pode na realidade ser originada de uma má alocação de fundos, com mal planejamento ou má coordenação. Sua confecção pode parecer apenas burocracia, mas seus efeitos na melhoria dos processos são surpreendentes. É importante para se repensar as variáveis envolvidas em um processo. Por isso, para que possamos resolver os problemas, primeiramente precisamos identificar as sua causas.

Estrutura dos Diagramas de Causa e Efeito e Fatores Envolvidos

Um diagrama de causa e efeito também é chamado de “diagrama de espinha de peixe” porque ele se parece com o esqueleto de um peixe, conforme mostrado na Figura 1. Um exemplo real é mostrado na Figura 2. Este diagrama possibilita que se aprofunde a análise, e que se tenha uma visão macroscópica, de diversos fatores envolvidos no processo, facilitando a visualização das causas dos problemas, definindo aspectos como:

Mão-de-Obra (ou pessoas);

Materiais (ou componentes);

Máquinas ou equipamentos);

Métodos;

Meio Ambiente;

Medição.

  figura 4_postnovembro1

Figura 1 – Estrutura do Diagrama de Causa e Efeito

 figura 5_postnovembro1

Figura 2 – Diagrama de Causa e Efeito da variação dimensional do Produto X

Fatores críticos de sucesso do uso do diagrama na solução de problemas:

  • Participação de todos os envolvidos;
  • Não criticar nenhuma idéia;
  • Visibilidade favorece a participação;
  • Agrupar as causas conjuntamente;
  • Não sobrecarregar demais o diagrama;
  • Construir um diagrama separado para cada problema/defeito;
  • Imaginar as causas mais favoráveis;
  • Criar ambiente de solução ambientada;
  • Entender claramente cada causa.

Para organizar o diagrama de causa e efeito, você pode usar as seguintes classificações de causas:

Os 7 M’s: Os 4 P’s:
Mão de obraMétodoMaterialMáquina

Meio ambiente

Medição

“Management” (gestão)

PolíticasProcedimentosPessoalPlanta

O 5W1H

O 5W1H é um tipo de lista de verificação utilizada para informar e assegurar o cumprimento de um conjunto de planos de ação, diagnosticar um problema e planejar soluções. Esta técnica consiste em equacionar o problema, descrevendo-o por escrito, da forma como é sentido naquele momento particular: como afeta o processo, as pessoas, que situação desagradável o problema causa. Com a mudança do final da pergunta, pode ser utilizado também como um plano de ação para implementação das soluções escolhidas. O quadro abaixo resume estas perguntas e suas variações para aplicá-las no levantamento dos problemas ou em sua solução.

Observação:Ultimamente tem se incluido o “Quanto Custa” (How Much) nas questões. Talvez sendo mais adequado denominarmos a técnica de 5W2H.

Perguntas Problemas Soluções
O quê / What é o problema? vai ser feito? Qual a ação?
Por quê / Why ocorre ? foi definida esta solução?
Quando / When (desde quando) ele ocorre? será feito?
Onde / Where ele se encontra? será implantada?
Quem / Who está envolvido? será o responsável?
Como / How surgiu o problema? vai ser implementada?
Quanto Custa / How Much ter este problema? esta solução?

 

APRENDA MAIS UM POUCO SOBRE AS FERRAMENTAS DA QUALIDADE:

Anúncios

20 Respostas

  1. Sugiro colocar 5W3H, sendo que o último será o “how control” (item de controle).

  2. […] Dicas de qualidade: Diagrama de Pareto, Ishikawa e 5W1H Novembro, 2009 1 comentário 4 […]

  3. o que é um diagrama de limnociclo??

    • A biosfera é o conjunto de todas as regiões do globo terrestre onde existe vida, ou seja, é a soma de todos os ecossistemas da terra. Ela se divide em biociclos: epinociclo ou biociclo terrestre, talassociclo ou biociclo das águas salgadas e limnociclo ou biociclo das águas doces. Quer dizer um diagrama de limnociclo é uma análise do ciclo das águas de uma determinada região.
      Saudações
      Hayrtpn

  4. Aqueles que transferem o que sabem e ensinam o que aprendem proporcionam felicidades.

  5. Bom dia;Srs.
    Eu gosto muito de ler essas informações, pois são muito inportantes,
    mesmo que não proceda como manda, mais gosto de ler,
    melhorar o conecimento, pois é uma boa ferramentas
    Obrigado Tchau
    Abraço.

  6. hey there and thank you for your info – I have
    definitely picked up

    something new from right here. I did however expertise some technical points using this site, as I experienced
    to reload the website many times previous

    to I could get it to load correctly. I had been wondering if your hosting is OK?
    Not that

    I’m complaining, but sluggish loading instances times will sometimes affect your

    placement in google and could damage your high quality score if ads and

    marketing with Adwords. Anyway I am adding this RSS to my e-mail and could look out for

    much more of your respective fascinating content. Ensure that you update

    this again very soon..

  7. I truly appreciate this post. I have been looking everywhere for this!

    Thank goodness I found it

    on Bing. You’ve made my day! Thx again

  8. A lot of whatever you point out happens to be astonishingly

    accurate and it makes me wonder the reason why I had
    not

    looked at this with this light before. This article truly did

    switch the light on for me as far as this particular subject goes.
    Nevertheless there is one

    particular point I am not necessarily too comfy with

    so whilst I try to reconcile that with the main

    idea of your issue, let me observe just what all the

    rest of the readers have to point out.Well done.

  9. I just could not depart your site prior to suggesting that I extremely enjoyed the
    standard information a person provide for your visitors?
    Is gonna be back often in

    order to check up on new posts

  10. Hello! Do you know if they make any plugins to assist with

    SEO? I’m trying to get my blog to rank for some targeted keywords but I’m
    not seeing very good

    results. If you know of any please share. Cheers!

  11. There are some attention-grabbing cut-off dates in this article however I don’t know if I see all of them center to heart.
    There

    is some validity however I’ll take hold opinion until I look into it

    further. Good article , thanks and we want more! Added to FeedBurner as well

  12. Também Sugiro colocar 5W3H, sendo que o último será o “how control” (item de controle).

  13. […] Continua em Dicas de qualidade: Diagrama de Pareto, Ishikawa e 5W1H […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: